No banheiro da fábrica

Bom, é meu primeiro conto, espero que gostem.
Era mais um dia normal de serviço, a época eu tinha apenas 18 anos, começando a carreira profissional e várias vezes na semana um carro de transporte, as vezes caminhão, vinha recolher algum material para levar para outra empresa. Eu como era o mais novo, ajudava os motoristas que vinham buscar esses materiais. Um dia chegou um senhor, aparentava uns 58 anos, gordo, grisalho, entrei na fiorino dele pra chegarmos no prédio onde ele ia recolher o material e eu percebi que ele ficava olhando pro meu pau (um gesto arriscado dele tendo em vista que nunca tinha o visto e nem sequer dei a entender nada), notando que ele fizera isso, pensei de algum jeito tentar retribuir mas fiquei com vergonha. Ele estacionou o carro e eu fui no interior do prédio buscar o componente, quando voltei ele me perguntou se eu podia pegar a Nota Fiscal

LibidGel

LibidGel

que ficou dentro da Fiorino dele, prontamente entrei e peguei, quando peguei o papel, embaixo estava o celular dele rodando um vídeo de sexo gay entre caminhoneiros (que eu já havia visto em um site pornô). Fiquei excitado mas não disse nada na hora. Peguei a Nota, entreguei pra ele e ele me disse, gostou do que viu ? Respondi: Sim, e muito.
Ali então já tomado pelo tesão respondi pra ele: Olha, tem um banheiro aqui em cima que ninguém vai, vai na segunda cabine e me espera lá, daqui 5 minutos eu vou lá em cima e faço a mesma coisa que você viu no celular. Ele na hora colocou a mão no pau e me disse: Não sei se faço seu tipo, meu pau é pequeno, grisalho e como você pode ver eu sou gordo. Mal sabia ele que era o meu gosto preferido. Ele fez conforme eu disse, dei o sinal pra ele, observei que não tinha

ninguém no banheiro, ele abriu a cabine, eu entrei, trancamos a porta e ali ele tirou aquela rola pequena mas que me dava muito tesão. Eu logo caí de boca naquela rola quente, gostosa, passava a língua e ele se segurando pra não gemer alto. Conforme eu ia chupando ele pegava no meu pau e batia um pouco pra mim, um pouco depois ele sussurrou que ia gozar, abri a boca e ele gozou fartamente na minha boca, pediu pra eu não engolir mas que ficasse na boca que ele iria chupar o

meu pau, aquele velho sabia como chupar uma rola, ele babava no meu pau e quando eu fui gozar, ele abocanhou meu pau e não soltou até a última gota da minha porra estar na boca dele, quando estávamos nós dois com a boca cheia de porra, demos um beijo gostoso, durante uns 3 minutos, tomamos cuidado, saímos e ninguém viu e desde então toda vez que ele vai lá, fazemos essa “troca de favores”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *