O negro pauzudo arrombou a minha filha

Este conto é continuação da narrativa sobre minhas aventuras sexuais com minha filha., uma bela morena de olhos verdes. Sou divorciado e a recebo em casa aos finais de semana, secretamente, vivemos como um casal. Bem esta aventura partiu de um fetiche que compartilhamos, com Marina sendo comida por um negro dotado, enquanto eu fazia papel de corno, amarrado na cama. Combinei com um cara pela internet e no sábado à tarde ele compareceu, já me encontrando amarrado na cama. Chegou já arrancando a roupa e oferecendo o mastro de 23cm, Marina, que trajava corset e calcinha com liga vermelha, traje que comprei para a ocasião. A safada começou a engolir a enorme mangueira de Omar e quando sorveu toda a cabeçorra, já estava de boca cheia, esforçando-se para fazer deslizar o instrumento por sua garganta, mas ela se deliciava com o desafio e logo chupava de se acabar a rola gigante do africano que fazia caras e bocas, contorcendo-se, agarrando e a cabeça de minha filha, no comando da felação. O safado dava tapas em suas bochechas, conforme se salientavam com a pica, alisava seus seios e logo passou a aplicar uma siririca em Marina que a fez seguir o boquete rezando de gratidão. – Hummmm… Delíciaaaa… Não para que vou gozar…. Aaahhhhh… Caralhoooo… Negão Continue lendo O negro pauzudo arrombou a minha filha…

Aventura deliciosa no ônibus

Em alguns momentos no meu serviço como padeiro ajudo a atender o balcão, com isso fiz muitas amizades com os clientes e com alguns uma intimidade maior ao ponte de dizer que escrevo contos eróticos. Um desses que soube do meu Hobby secreto foi o Junior que me encheu de perguntas sobre o assunto, no final ele me pediu para escrever o que tinha acontecido com ele nesse último fim de semana.

Já encerrado meu expediente Junior foi comigo até o ponto de ônibus para contar sua historia. Ele me disse que nesse último fim de semana na madrugada de sábado para domingo tinha foi sozinho a uma boate para beber e encontrar algumas garotas, mas as que conheceram não quiseram lhe dar aquilo que tanto estava necessitando. Já embriagado e quase amanhecendo ele pegou um ônibus rumo a sua casa, o ônibus estava praticamente vazio. Sentou-se no fundo, planejando ao chegar em casa bater aquela punheta. Der repente reparou que tinha uma linda garota loira sentada do outro lado do ônibus do seu lado, ela usava um pequeno vestido escuro e tinha um par de seios deliciosos e enormes saltando do vestido. Continue lendo Aventura deliciosa no ônibus…

Sexo gostoso no almoço do trabalho

E eu agora aqui de manhã, na minha precisa organização de todos os dias, com o meu trabalho totalmente sob controle, me aflijo com a possibilidade de perceberem ou sentirem o cheiro do meu úmido e louco desejo, tesão, com a minha peça íntima molhada, sinto molhada e latejando, sinto praticamente o sangue correndo em cada veia do meu sexo, quente, sabendo que dentro de algumas horas, talvez nem duas, na hora do meu almoço, estarei escondida de todos, do mundo, no silêncio de seu escritório, ouvindo apenas a nossa respiração contida, sentindo em mim, dentro de mim, em uma velocidade incrível, com violência, rápido, gostoso, o seu sexo me invadindo com toda a vontade que lhe cabe, naquele tempo tão curto, tão corrido, quase sem trocarmos palavras, nos despedindo com um leve e carinhoso beijo, voltando para o início da segunda metade do dia, agora parece que tendo ganhado-o completamente, relaxada, feliz, eufórica, com as pernas moles, bambas… Será que o amo? Quero que chegue logo amanhã, e não sei o que é melhor, o momento em si, ou as horas da manhã que antecedem a entrega! Nesse momento que parece volto a ser menina!

Meu melhor amigo me arrombou todinha

Olá, meu nome é Danielle e o conto que vou narrar abaixo é totalmente verídico. Sou de Campinas, interior de São Paulo. Tenho 1,62 de altura, 50 kg bem distribuídos, cabelos lisos e castanhos com luzes, olhos azuis, peitos grandes, bunda média e coxas bem definidas. Bom, meu melhor amigo, Pedro tem cabelos claros e cacheados, olhos verdes, magro, corpo bem definido e alto, um verdadeiro tesão. Sempre tivemos um relacionamento bem aberto, falávamos sobre tudo um com o outro. E em uma dessas conversas, estávamos falando sobre sexo. Ambos erámos virgens e ele me perguntou: ‘ Dani, com quantas anos você quer transar? ‘ – eu respondi: ‘ Não sei, ‘ ele: ‘ Se eu pudesse hoje mesmo hahahaha ‘ então eu disse: ‘ É, mas eu quero fazer sexo com alguém que eu confie e ame muito. ‘ ele: ‘ Tipo eu? ‘ e eu respondi: ‘ hahahaha é ‘ então conversa vai, conversa vem, Pedro disse: ‘ Vamos fazer um pacto? ‘ eu: ‘ Que tipo de pacto? ‘ ele: ‘ Vamos perder a nossa virgindade aos 16? ‘ eu concordei na hora e então ele selou o nosso Continue lendo Meu melhor amigo me arrombou todinha…

Fantasia sensual da minha esposa puta tarada

Olá amigos, esse é o meu primeiro relato, espero que gostem. Casada há 7 anos com um homem incrível, charmoso, sensual, sempre nos demos bem na cama. Desde o namoro sempre adorei explorar o corpo do meu amado, seduzi-lo, colocando roupas sensuais só para ele, colocando calças apertadas e rachando a buceta me exibindo pra ele, vestindo fantasias etc.. Certo dia enquanto ele trabalhava eu o esperei vestida de colegial com um pirulito na boca, toda maquiada cheirosa. Sou morena clara, olhos claros, uma boca carnuda que adora brincar, lamber o corpo do meu esposo. Transamos quase que diariamente, sempre tive muito fogo na cama. Confesso que sempre desejei meu esposo como um todo, só de olhar para ele já tenho vontade de tirar sua roupa e encaixar aquele pau dentro de mim. Na hora do sexo nunca tive vergonha, já fiz meu esposo enfiar além do seu belo pau, também brinquedos, gosto que me arrombe, já pedi para ele enfiar os dedos da mão na minha buceta e ele se empolgou tanto que quase enfia o braço, gritei de dor mas foi uma dor gostosa. Frequentamos casas de swing mas nunca fizemos troca de casal, embora isso já tenha passado por nossa mente confesso. O meu desejo por esse homem é tanto que me excito só de olhar. Gosto muito de dominar também, com ele Continue lendo Fantasia sensual da minha esposa puta tarada…

O dia que minha esposa aceitou ser putinha

Olá amigos, meu nome é Marcos, tenho 36 hoje anos e sou casado a 15 anos. Minha esposa tem 35e é uma mulher livre de preconceitos e mãe de família. Pois bem, vamos aos fatos. Eu sempre tive excitação em imaginar ela dando para outro até tomar coragem em propor a ela isso. Isso foi em 2014, o ano em que começamos o “menage trois”.
Quando propus ela topou na hora sem recriminar.
Então começamos a buscar na internet o perfil de alguém que pudéssemos confiar e ser cúmplices, até que encontramos, uma pessoa, que aqui vou chama-lo de Carlos, um jovem de 27 anos, 1,70, magro e um pau mais grosso que o meu, do jeito que ela queria. Como moramos em uma cidade pequena procuramos uma cidade maior para realizarmos nossa fantasia, que a princípio seria só uma transa e nada mais. Como Carlos mora em uma cidade grande a cerca de 200km da nossa, ficou fácil irmos até ele. Continue lendo O dia que minha esposa aceitou ser putinha…

Chupada gostosa no final da festa

Oi meu nome é Pedro , tenho 25 anos, 1.85 de altura, 90 kg, tenho boa aparência, caucasiano, cabelo e barba ruiva, corpo bem definido e um penis 23 cm.

Final de uma festa em um AP de uma amiga Juliana, tinha umas 10 pessoas e maioria era feminina, todos estavam em uma mesa conversado alto! Menos eu que estava no sofá dividindo um cigarro de maconha com a mulher que eu queria pegar. Bom isso até que a galera da mesa chegou na conversa de pau, e uma garota magricela e de cabelo azul falou. Continue lendo Chupada gostosa no final da festa…

Virei putinha safada de um desconhecido na boate

Estou em casa agora realizando um projeto e me lembrei de um fato ocorrido no ano passado, resolvi compartilhar com vocês. Bem eu sou casado, maduro, discreto, mas sempre gostei de sexo entre 4 paredes e, nas relações com outros homens gosto de ser a mulher, de ser passivo. No ano passado depois de um dia exaustivo, meus amigos insistiram para irmos numa boate para beber, daquelas que são frequentadas por mulheres, casais, homens solteiros. O lugar era bem escurinho e sentamos em uma mesa e bebemos muito. Num certo momento meus amigos sumiram e fui até o banheiro, estava bem tonto e resolvi sentar para fazer xixi e um cara me observou durante todo o tempo. Era um cara alto, gordo, meio moreno. Voltei para minha mesa e, de repente e sem cerimônia nenhuma ele sentou também e começou a conversar se insinuando todo. Eu estava meio grogue e não percebia suas investidas, mas reparei que ele começou a acariciar minhas coxas e metendo a mão por baixo até minha bunda (eu estava com as pernas cruzadas). Pouco tempo depois ele me convidou para irmos para uma mesa mais discreta que ficava atrás de um pilar, aceitei e ele pediu outra Continue lendo Virei putinha safada de um desconhecido na boate…