Irmã do amigo: a fantasia dela era experimentar uma DP

Logo após o Natal (dezembro/2021) marquei de me encontrar com Isabela, que é irmã de um grande amigo meu, exatamente quatro dias após termos transado em uma festa na casa deles. Ela havia ficado recém solteira e sedenta por experimentar novas emoções. Isa vestia um biquini branco minúsculo que a deixava muito apetitosa, e seu corpo dourado era uma verdadeira tentação para os olhos dos machos que passavam por ela.
Ficamos na areia da praia bebendo e conversando por um tempo. Ao escurecer convidei-a para irmos até a pousada onde estava hospedado. Eu estava super ansioso para transar com Isa novamente ainda mais quando abriu brecha para realizar suas fantasias sexuais.


Para saber mais sobre a nossa primeira transa sugiro ler o relato “Irmão do amigo: deliciosa festa prive” publicado aqui neste site. Naquela noite depois de transarmos feito loucos, assistimos partes de filmes pornôs com situações que ela gostaria de realizar.
Juntamos suas coisas, ela enrolou uma canga na cintura e fomos caminhando em direção a pousada que ficava a duas quadras de distâncias. Isabela é uma loura com corpo e jeito de ninfeta. Tem 24 anos e medindo pelo olhar deve ter uns 52 kg e 1.65 de altura. Cintura fina, bundinha pequena e durinha já que ela treina uma modalidade de atletismo que não lembro qual é.

Ao fechar a porta do quarto lasquei um beijo surpresa agarrando-a firme pela cintura. Imediatamente ela levou a mão em direção a minha sunga confirmando minha empolgação. Aproveitei para puxar o laço lateral do seu biquini e o mesmo já caiu por completo. Me ajoelhei e comecei a chupar sua bocetinha que já tinha aquele gosto melado e gostoso, sinal de que já estava toda molhadinha lá na praia. Ela então se virou contra a parede para se apoiar e empinou sua bundinha para que eu pudesse lamber seu cuzinho e massagear sua bocetinha com mais facilidade.

Depois disso baixei minha sunga, sentei na beirada da cama sinalizando para que montasse em mim. Começamos trepando devagar até o pau se encaixar, mas em questão de segundos já aumentamos o ritmo trepando mais forte e mais cadenciado. Com o tesão nas alturas essa foi uma transa de uma única posição. Soltei o laço do biquini e seus peitos turbinados pularam direto para a minha boca. Aproveitei para meter um dedo em seu cuzinho que com suas reboladas atolaram dentro dela. Em minutos ela abraçou firme meu pescoço e percebi que estava gozando. Esperei ela se contorcer de tanto gozar e logo em seguida após dar umas palmadas anunciei olho no olho que estava gozando também.
Tomamos uma ducha gostosa juntos e ao retornar para a cama anunciei que tinha preparado uma surpresa, mas que ela precisaria esperar entre 10 a 15 minutos.

Coloquei uma venda em seus olhos, mandei que se deitasse de bruços e fiz uma massagem caprichada com um creme especial que havia comprado em um sex shop. Como ela havia trabalhado o dia todo no hipermercado, minha ideia era fazer Isa relaxar um pouco para poder continuar transando noite a dentro. Concluída a sessão de massagem relaxante, falei que iria dar uma breve saída e já voltaria. Pedi para continuar com a venda nos olhos e ela concordou em obedecer. Vesti uma roupa e fui até a recepção aguardar uma pessoa que já estava a caminho.

Uma das fantasias da Isa era participar de uma DP sendo que o outro cara deveria ser totalmente desconhecido de nós dois. Dias antes havia recém conhecido o Carlos de 32 anos, moreno, 1.70m, o “faz tudo” da pousada desde limpar piscina, consertar coisas a realizar compras. Expliquei a ele, fiz a proposta e depois de mostrar umas fotos dela no celular acabou topando na hora.

Quando saí para procura-lo, Carlos estava encerrando seu experiente. Fomos até o bar da pousada e combinamos a forma como tudo seria feito. Já era noite e a pousada estava bem deserta pois os hospedes estavam pela cidade.
Passados uns 20 minutos adentramos no quarto em silêncio e acendi a luz do abajur onde percebemos que Isa havia pego no sono. Ela estava de bruços, totalmente peladinha e com a venda nos olhos como ordenado. Tiramos nossas roupas e enquanto Carlos sentou numa poltrona próxima parti para cima dela.
Fui direto ao ponto encaixando meu nariz em seu cuzinho e enfiando a língua bocetinha adentro para acordá-la de surpresa. Mesmo assim ela continuou imóvel e após algumas chupadas bem gostosas me deitei sobre ela encaixando meu pau que deslizou rapidamente para dentro dela.
Já nas primeiras bombadas Isa se mexeu bruscamente o que realmente deu a entender que ela havia tomado um grande susto. Fui beijando seu pescoço, lambendo sua orelha e metendo cada vez mais fundo. Envolvi meu braço ao redor do seu pescoço imobilizando-a completamente.

Com meu corpo repousando sobre ela, comecei a bombar forte como já havia percebido que ela gosta. Passei uma das mãos por baixo e massageei seu grelinho fazendo com que ela empinasse mais o quadril para ser masturbada ao mesmo tempo que meu pau atolava dentro dela.
É muito difícil parar de transar quando tudo está tão gostoso, mas era a hora de deixar o Carlos prova-la também. Pedi para Isa ficar de quatro e a puxei com cuidado pelas pernas até a beirada da cama. Carlos que já estava a postos assumiu meu lugar em completo silêncio agarrando-a firme pela cintura dando sequência a transa sem que Isa percebesse a troca.
Enquanto isso acendi as luzes do quarto e fixei meu celular num canto filmando tudo para dar de presente a ela depois. Para manter o clima, continuei próximo a eles e fiquei falando coisas do tipo “empina mais esse rabo gostoso” e “quer umas palmadas nessa bunda gostosa?”. Isa como uma fiel putinha obedecia a todas as ordens. Ela não só empinou sua bundinha como ordenado, mas começou a rebolar gostoso achando que estava engolindo o meu pau.

Fisicamente eu e Carlos somos muito parecidos e isso ajudou a manter a fantasia em segredo enquanto Isa se acabava de tanto gemer e se contorcer de tesão. Fiz um gesto ordenando ao Carlos para dar umas palmadas nela e ele obedeceu. Fiz um gesto para puxar seus cabelos e dar mais algumas palmadas enquanto socava fundo bocetinha adentro e ele obedeceu.
Assim deixei ele se divertir por alguns minutos, e na sequência pedi a Isa que saísse da cama pois queria mudar de posição. Ajudei ela a sair pois a venda a deixou totalmente desorientada. Carlos então sentou na beirada da cama e a puxou com cuidado de costas para ele. Ela mesmo sentiu que já estava posicionada em seu colo e ajeitou o pau dele para voltar a trepar.

Continuei falando coisas do tipo “rebola mais fundo” e “geme gostoso pra mim” e ela obedecia. Enquanto eu acompanhava tudo a distância ficava planejando os próximos passos. Peguei um KY e um mini vibrador colocando mais próximo da cama. Passado algum tempo fiz um gesto para Carlos interromper e conduzi-la para o meio da cama. Lembro que Isa perguntou por que “eu” havia parado, e rapidamente peguei-a pela mão e ordenei que se deitasse na cama para brincarmos um pouco.
Isa então se deitou, abriu as pernas e soquei o vibrador dentro dela. Imediatamente ela começou a massagear seu grelinho e aí Carlos ficou de joelhos batendo o pau no rosto dela. Imediatamente nossa putinha tomou um susto e perguntou o que estava acontecendo. Tranquilizei respondendo que uma de suas fantasias seria realizada, e de imediato ela entendeu qual seria.
Continuei brincando com o vibrador enquanto ela processava o que realmente estava acontecendo. Pedi que abrisse a boca e Carlos socou o pau dentro dela. Aproveitei para revelar que já fazia uns 10 minutos que era ele quem na verdade estava transando com ela, e Isa respondeu que havia amado a surpresa.
Na sequência interrompi a brincadeira com o vibrador e comecei a lubrificar seu cuzinho. Fiquei de pé junto a borda da cama e encaixei suas pernas em meus ombros. Meti algumas vezes na sua bocetinha, já desviando em seguida meu pau em direção ao cuzinho que piscava de tesão. Já na primeira estocada deslizou fácil e dali pra frente íamos devorá-la por inteiro. Carlos continuava metendo o pau em sua boquinha e Isa começou a gemer intensamente.
Depois de lacear seu cuzinho convidei Carlos para assumir meu lugar. Ele então foi metendo com cuidado enquanto aproveitei para filmar mais um pouco de perto. Continuei perguntando coisas do tipo “tá gostando desse pau desconhecido?” e “tá pronta para gozar em dose dupla?” e ela sinalizou dizendo que estava uma delícia.
Depois de Carlos lacear mais um pouco interrompemos novamente para achar uma posição para a DP. Carlos comentou que Isa tinha um quadril muito pequeno e que talvez não aguentasse, mas tranquilizei dizendo que ela estava pronta para a ação.
Carlos então deitou-se na cama e Isa rapidamente montou nele. Nesse momento ela resolveu remover a venda para poder vê-lo pela primeira vez. Claudio sorriu e disse, “muito prazer”. Ele a puxou pelo quadril e Isa começou a cavalgar gostoso. Deixei-a curtir o momento e fiquei filmando a trepada dos dois.
De repente Isa anunciou que ia gozar. Carlos deu uma palmada nas coxas dela e nossa putinha gozou lindamente gemendo tão alto que me preocupei de algum hóspede estar escutando.
Com o corpo desfalecido, Carlos segurou o quadril mantendo-a presa. Subi na cama e me posicionei para enrabar nossa putinha. Puxei seus cabelos a fazendo se erguer e empinar ainda mais sua bunda deliciosa. Arrombei o anelzinho deslizando de forma rápida obedecendo ao pedido dela para ir com calma.
Carlos retomou a cavalgada pois quando Isa gozou deixou seu pau ainda mais lubrificado. Ao tentar sincronizar os dois paus para meter ao mesmo tempo, Isa travou demonstrando ter ficado muito nervosa. Dei algumas palmadas bem fortes obrigando-a a relaxar sua musculatura, e quando ela finalmente se soltou, começamos a bombar de forma lenta e cadenciada.
Depois tudo se transformou em muito tesão com putaria. Isa se entregou talvez relembrando os vários vídeos pornôs que assistiu, e que agora estava sentindo na pele pela primeira vez. Depois Carlos sentou na borda da cama, fazendo com ela de costas, sentasse com seu cuzinho. Em nossa transa anterior eu já havia testado essa posição da qual Isa aprendeu como fazer.
Quando enfim ela atolou totalmente seu cuzinho no pau de Carlos, só precisei socar em sua bocetinha para continuarmos a DP por mais tempo. Acho que já estávamos a uma meia hora trepando e o ar condicionado não vencia apagar nosso fogo. Nossos corpos suados deslizavam fazendo um delicioso sanduiche de Isabela. Seus peitos arredondados pulavam diante de mim provocando novas ideias de como gozar.
Isa parecia em transe, gemendo gostoso e “dando ordens” do tipo “mais fundo”, “não para”, “mete mais” e nós obedecíamos sem questionar. Quando sugeri interromper para mudar de posição, Isa mandou que não parasse pois iria gozar novamente. Soquei com mais força e ela se retorceu toda gozando olhando nos meus olhos.
Desfalecida na cama Carlos a pegou na posição de papai e mamãe. Isa aproveitou para se vingar e começar a bater na bunda dele. Minutos depois, ele sacou a camisinha e gozou na boca dela. Isa precisou se sentar na cama para engolir sem engasgar, e depois lambeu seu pau limpando-o completamente.
Carlos saiu e já o substituí encaixando meu pau entre seus peitos. Eu havia revelado a ela que era tarado por espanhola e que seus peitos eram perfeitos para isso. Ela os segurou firme pressionando meu pau que a essa altura já estava pulsando para gozar. Quando finalmente jorrou, cheguei ao êxtase lambuzando seu pescoço. Ela então recolheu o que pode com a mão levando até sua boca carnuda.
Após nos recompormos nossa putinha resolveu tomar uma ducha e quando retornou, Carlos já havia ido embora. Ela queria saber quem ele era, mas respondi que a fantasia era que a pessoa fosse totalmente um desconhecido e assim foi. Ela tentou especular, mas a deixei morrendo de curiosidade para quem sabe repetirmos a dose.
Isa e eu ficamos na cama assistindo as filmagens que sincronizei na TV do quarto e tomando a espumante preferida dela para comemorar. Claro que rever tudo de novo reacendeu nosso tesão, ao ponto de transarmos novamente enquanto nosso filme caseiro passava na TV. A continuação espero relatar em breve de como foi virar a noite transando. Além disso, mulheres (apenas mulheres) que queiram trocar experiências comigo podem entrar em contato pelo 4,7,9,8,8,1,6,3,0,6,0 que respondo com prazer. Tenho 40 anos, sou moreno, esportista, e pretendo publicar aqui outros relatos (todos reais) sobre as minhas aventuras e fantasias já realizadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *