Transei com o marido da minha melhor amiga

Me chamo Fernanda, mas sou conhecida carinhosamente como Fernandinha, desde minha adolescência sempre fui gostosa, com coxas grossas, bunda empinada e seios fartos, nunca passava despercebida, sempre atrai olhos gulosos por onde passei, por conta disso não tive dificuldades em ter meus namoradinhos, que ficavam loucos, pois desde cedo, sempre fui safada, alisava, me esfregava, usava shorts curtos ou calças bem justas que faziam os rapazes delirar, sempre saiam molhados após os encontros.
Conheci a Paula anida na quinta série e estudamos juntas todo o ensino fundamental e parte do médio, já que para me dedicar aos estudos acabei me transferindo de colégio. Mas nossa amizade permaneceu, mesmo apesar da distância, nos tornamos grandes amigas. Já o André, mesmo durante a fase de namoro e noivado, nunca fomos muito próximos, para falar a verdade nem gostava dele antes dele começar a namorar a Paula, mas com o tempo nos tornamos grandes

amigos. Eu sempre ia visitar a Paula e vez ou outra tomávamos vinho e após bebermos, percebia que ele sempre me olhava com outros olhos, mas não dava muita bola. A Paula tinha um brincadeira de pegar na minha bunda e logo ele passou a “brincar” também, sempre que possível, pegando na minha bunda.
Como minha Universidade era em outra cidade, na qual ele trabalhava, após ele comprar o carro, sempre me dava caronas, tanto para ir, quanto para voltar e sempre conversavamos batante durante as viagens, sobre os mais variados assuntos, inclusive sobre sexo, pois sempre fui putinha. Mas sempre me controlava para não atacá-lo, pois tinha a amizade com a Paula e eu sabia que ele não iria trair ela, com a melhor amiga, ao menos era isso que eu imaginava.

Eu sempre evitava ir para a casa deles, quando Paula não estava, mas ocasionalmente ficava um tempo a sós com ele, quando chegavamos na casa dele, já que Paula trabalhava e só chegava mais tarde. Certa vez, quando chegamos ele sentou no braço do sofá e me pediu um abraço, me virando de costas, ele começou a beijar meu pescoço, entre lambidas, mordidas e sua barba por fazer roçando no meu pescoço (meu ponto fraco), comecei a sentir minha bucetinha molhar e meu corpo todo arrepiar, para evitar irmos até o fim, saí as pressas, mas quando cheguei em casa, precisei me masturbar para aliviar o tesão e pela primeira vez, gozei pensando nele, desejando ele.
A partir deste dia, vi que até o sexo com ele, seria apenas uma questão de tempo, já que oportunidade não faltava, uma vez que ele passava muito tempo em casa, enquanto sua esposa estava no trabalho.

Certo dia, após uma exaustiva semana de provas no final do período, eu estava acabada, quando chegamos na casa dele, ele me ofereceu uma massagem, de início eu recusei, pois imaginei onde podia terminar. Mas ele começou a massagear por cima da minha blusa, enquanto estavamos sentados no sofá e acabei cedendo. Ele disse que aquela posição não era legal e pediu para eu me deitar no sofá, enquanto ele iria buscar um óleo no quarto, levantei a blusa e fiquei de bruços, quando ele chegou, disse que eu teria que tirar a blusa e o sutiã, pois iriam atrapalhar a massagem. Com certa resistência, acabei cedendo e logo eu estava só com minha calça legging e uma calcinha minúscula que dava para perceber, já que a calça era colada, deixando bem evidente minha bunda. Ele derramou um pouco de óleo em minhas costas e logo começou a massagear, com uma pegada firme, comecei a sentir tesão e logo já comecei a dar pequenos gemidos, quando olhei disfarçadamente, vi um volume e tive a certeza que ele também estava super excitado.

Após algum tempo, ele perguntou se podia massagear minhas pernas, sabendo e desejando suas intenções, disse que podia, pois a massagem estava ótima, ele pediu e prontamente tirei minha calça, ficando só de calcinha. Ele ficou parado um pouco, admirando, então brincando falei, vai massagear ou vai só me comer com os olhos, ele riu e começou a alisar minhas pernas, subindo aos poucos, alisando minha bunda, dando pegadas firmes. Sem dúvidas ele tinha pegada e eu a essa altura já estava molhada. Ele então resolveu dar um beijo na minha nuca, me arrepiei toda e então ele foi descendo, dando beijos e leves mordidas, aquilo foi me deixando louca, minha buceta já havia ensopado a minha calcinha, ele então pediu para eu virar, virei, mostrando meus seios com meus biquinhos durinhos, e minha calcinha completamente

ensopada, ele me deu um beijo cheio de tesão e em seguida começou a descer, chupando deliciosamente meus peitos e depois chupando com gosto minha buceta até eu gozar. Enquanto eu me recuperava do gozo, ele tirou sua roupa e meu deu seu pau para eu chupar, um pau delicioso, grande e grosso, do jeito que eu gosto, comecei a lamber e aos poucos já estava engolindo até onde dava, deixando ele louco, quando percebi que ele estava perto de gozar, pedi para ele sentar no sofá e sentei no seu colo, sem penetração e fiquei rebolando, minha buceta escorria e seu pau já estava bem molhado e de uma uma vez, sentei naquele mastro, entrando tudo de uma vez, empinei bem minha bunda e subi bem lentamente, para logo em seguida sentar com força, gemiamos muito, estava muito gostoso, ele pediu para eu me virar e sem tirar seu

cacete da minha buceta, girei meu corpo e comecei a cavalgar, enquanto ele chupava meus peitos. Nessa posição não aguentei muito e acabei gozando. Logo em seguida, ele pediu para eu ficar de quatro e fiquei com a bunda bem empinada, ele socava forte, de vez em quanto tirava tudo e botava bem devagarinho, depois de uns 15 minutos ele tira, dá uma boa lambida no meu cu e vai colocando lentamente, após me acostumar com aquele cacete ele passou a bombar com força, enquanto isso eu me masturbava, não demorou muito, gozamos gostoso, pela quantidade de porra, parecia que fazia dias que ele não trepava, ele encheu meu cu de porra…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *