Na boca do casado

Estava indo trabalhar em outra cidade, precisaria ir de trem CPTM até o meu destino. Meu insta é @contos.confessos, tenho 25 anos, branco, 1,73 e adoro uma boca quente no meu pau.
Aquele dia eu tinha sonhado muita coisa e acabei acordando de pau duro, cheio de tesão. Já estava atrasado e me arrumei correndo pra não me atrasar muito. Primeiro peguei o ônibus até a estação da CPTM Grajaú/Osasco. Estava atento a todos que entravam, sentei logo no fundo, talvez desse sorte, como já dei outras vezes, de ao sentar no fundo alguém do meu lado começar a roçar a perna na minha e pegar no pau. Certa vez peguei no pau do cara que estava do meu lado, colocando somente a mochila na frente, como disfarçante.


Entraram algumas pessoas, e alguns cara. Já mirei um que por sorte sentou do meu lado, no fundo do ônibus, a caminho da estação.
A princípio, nem ele, nem eu, nos tocamos. Ele olhava concentrado ao celular. Era jovem, uns 20 anos, era alto e com ar de safado. Eu olhava a paisagem. Nas curvas do caminho, nossos corpo foram se encostando, e com jeitinho, encostei a minha perna na dele. Ele não retirou a perna, e deixou uma encostando na outra.
Meu pau começou a ficar duro só de imaginar o que poderia acontecer ali. Mas não pudia ficar mais, me levantei e posicionei pra descer já que a estação se aproximava.

Segui com o tesão a flor da pele, sentido a estação da CPTM. Resolvi passar no banheiro, vai que algo acontecesse ali?
Logo que entrei no banheiro, notei dois cara no mictório. Caminhei até os banheiros e deixei a porta aberta.
Olhei pra trás e eles me espiavam com o canto dos olhos. Saquei que eles estavam ali interessados também. Um estava bem vestido, roupa social e gravata. Aparentava ter cerca de 30 anos, e ostentava um relógio e aliança dourados. O outro, era mais velhos, talvez uns 35.
De dentro do banheiro, tirei meu pau da bermuda e coloquei no campo de visão deles. Estávamos sozinhos por enquanto. Eles me olhavam e meu pau foi aos poucos ficando mais duro. O de aliança veio aos poucos se aproximando, até que parou ao meu lado e pegou no meu pau. Eu que já estava cheio de tesão, fui me excitando cada vez mais.
Ele se aproximou mais e desceu até meu pau, colocando-o todo na boca. Eu estava adorando, e aquela boquinha quente me chupava com muita vontade. Talvez em casa, com a esposa ele sinta falta do gosto de um pau, do cheiro do saco peludo.
Ouvimos passos e por reflexo, ele entrou dentro do banheiro onde eu estava e encostou a porta. Eu fui bem no fundo e coloquei o lixo na frente dos meus pés, ninguém nos veria ali.
Ele se sentou na privada e continuou a chupar o meu pau. Eu segurava sua cabeça e pressionava meu pau contra ela, fazendo sua garganta se abrir pra cabeça do meu pau entrar.
Eu já não aguentava mais aquela boquinha quente. Até que puxei seu queixo pra cima e avisei que iria gozar.
Neste instante, o banheiro já estava vario novamente. Ele reabriu a porta, para e se ajoelhou na minha frente e continuou a chupar. Até que eu gozei, enchendo a boca dele de porra quente. Tirei meu pau e continuei batendo punheta até que as últimas gotas caíssem em seu rosto.
Ele se levantou e foi na outra cabine de banheiro.
Eu coloquei meu pau na cueca, fui até o lavatório, me lavei na medida do possível e segui meu caminho.
Quem curte chupar, me chama no insta @contos.confessos

Posted in Gay

One thought on “Na boca do casado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *