Putaria no Metro de SP

Esse fato ocorreu em junho de 2017, quando fui a São Paulo para visitar alguns parentes e estava indo para a rodoviária da Barra Funda, peguei o metrô em Itaquera e junto comigo entro um rapaz alto por volta de 1,80m, cabelos curtos e pretos olhos pretos, sem barba, por volta de 25 anos no máximo se chamava Fernando, estava com uma bolsa nas costas, de social e fones de ouvido. Era segunda feira o metrô estava lotado, quase não consegui entrar, com muito esforço, entrei, fiquei de frente para ele, com os fones ele olhava para o horizonte enquanto eu o observava discretamente sentia sua respiração, que tesão. Por duas vezes nossos alhares se cruzaram, resolvi virar de costas para segurar melhor, ele estava encostado na porta, o vagão estava cheio, mas tinha espaço o suficiente para se mexer. O metrô balançava e as vezes nessas balançadas minha bunda encostava no pau do cara, no começo fiquei meio constrangido e tentei me ajeitar, porém, durante os balanços eu ainda encostava no homem, mesmo que sem querer. Aos poucos isso foi me exitando e eu ficava imaginando o que o cara estava pensando, será que estava gostando? Aquilo foi ficando gostoso demais a minha cabeça rodava um filme pornô. Não importava, gostando ou não gostando, continuei roçando nele involuntariamente até a estação Sé.
Como estávamos bem na porta onde as pessoas embarcavam e desembarcavam, fui para o canto e abri um corredor para as pessoas saírem, o cara também foi para o lado, senti mais uma vez seu pau roçando em minha bunda, o cara permaneceu na porta e eu na frente dele, mas só que agora não tinha nem espaço para se mexer, dessa vez foi a vez dele, o cara involuntariamente teve que me encochar, consegui até sentir seu cacete mole prensado na minha bunda, aproveitei aquela situação e me ajeitei de uma forma que seu pau ficasse bem no meio. Devido a diferença de altura fiquei quase que encaixado nele, sentia sua respiração em meus ouvidos e aquilo foi me subindo um fogo. Minha bunda estava posicionada na coxa dele e ele percebeu minha tara, que logo só deu uma empurradinha na minha cintura pra eu ficar logo na frente dele, eu me fiz de desentendido e ele me puxou com força e eu meio que me ajeitando olhei pra ele que estava com um olhar sério de quem sabe o que tá fazendo que não me restou outra opção senão obedecer e eu sentir ele de pau durão e deu pra sentir que era um volume considerado, já deu uma boa encouchada e disse baixinho: – empina. Eu não fiz e ele encochou mais ainda com o balanço das pessoas e eu tentei afastar indo pra frente um pouco e ele pegou em minha cintura com força e puxou que minha bunda encochou certinho na altura do pau dele que eu simplesmente dei uma contraída com meu cu em sinal de aprovação com a atitude e ele apertou mais ainda minha cintura me mostrando o que ele faria. Fingi que pegaria algo no bolso de trás e passei meus dedos no volume de sua calça, ele deu uma afastada, acho que não esperava aquilo.
Na estação Barra Funda desci e ele atrás, mais afastado e quando vou caminhando ele me acompanha e do meu lado me diz se eu queria continuar com a brincadeira, neguei, pois poderia perder o ônibus (mentira tinha mais de 2 horas para esperar), ele falou que já estava explodindo de tesão e queria uma ajuda para aliviá-lo, no fundo meu desejo era ir para qualquer lugar onde pudesse ver ele em ação.
Fomos a um prédio ali perto, ele parecia conhecer o local, quando chegando no prédio o cara da recepção nos olhou e entregou a chave. Subimos e qdo entramos ele foi me agarrando me beijando, tentei sair e falar algo mas seu beijo era bom demais, andando em direção ao quarto fomos tirando a roupa, em segundos estávamos somente de cueca. Ele endoidou qdo viu minha bundinha branquinha minhas costas lisinhas.
No quarto, joguei em cima da cama e comecei a torturar aquele moleque, continuei beijando a boca dele, beijei o pescoço dele, e ele começou a gemer gostoso, chupei os mamilos dele gostoso, passei a pontinha da língua no bico dos mamilos dele, e fui descendo lambendo o corpo todo dele, lambi a barriguinha dele, beijei gostoso passei a língua no corpo inteiro dele o cara se contorcia na cama,
Ele foi e sentou na beirada da cama e me mandou ir pro chão eu o mamava e cada vez ficava mais duro, ele olhava para mim com cara de safado, meio que mordendo os lábios e virando os olhos, seu pau pulsava, parecia que a qualquer momento iria explodir e espalhar porra para todos os lados,
Ele e começou a passar as mãos em minhas costas e descendo até minha bunda e ficou passando a mão e puxava minha cueca enfiando toda no meu rego e quando eu tava mamando gostoso sem nem esperar ele me deu um tapão na bunda, passei a língua na cabecinha que estava toda melada e abocanhei com vontade, o cara foi ao delírio, deu até para ouvir um baixo gemido, eu me deliciava com aquele gosto e cheiro do macho, meu pau também estava quase explodindo, ele pegou o pau e deu batidinhas na minha cara falando:
– Você gosta de chupar né? Você gosta de pica de macho, não gosta?
– Sim, adoro. Goza pra mim vai? Me da leitinho, enche minha boca leite.
– Então chupa – forçou o pau na minha garganta – chupa gostoso, mostra que você merece minha porra.
Aumentei a velocidade das sugadas, ele forçava minha cabeça com as duas mãos e gemia baixinho:
– Isso, não para, vai chupa, chupa.
Tirou o pau da minha boca, tocou uma punheta nervosa, puxou minha cabeça para trás e disse:
– Abre a boca, você me pediu porra não foi? Então abre bem essa boca.
Jatos e jatos do gozo esporraram minha boca e no final ele limpou seu pau nos meu rosto me deixando todo melacado.
Nos beijamos incontrolavelmente e deitei sobre ele com a mão alisava seu peito ele me colocou na cama e caiu de boca no meu cuzinho eu gemia e falava coisas desconexas, ele só me perguntava se estava gostoso, eu gemia apenas, lambeu meu cuzinho e gozei, na cama muito.
Pegou minhas pernas levantou começou passando a pontinha da língua em meu cuzinho lambendo devagar, depois foi enfiando a pontinha da língua no cuzinho chupando meu cuzinho e ouvindo gemer gostoso, voltou a lamber e beijar a barriguinha, subiu até os mamilos, chupou cada um deles bem devagarzinho, subiu até o pescoço deu um beijo gostoso, fiquei de joelhos perto da cabeça dele e coloquei pra mamar minha vara gostoso,ele não fez frescura e acredite aquele carinha chupa que era uma delicia.
Pegou de frango assado colocou a cabeça na portinha e foi enfiando devagarzinho, quando entrou tudo caiu em cima e foi me beijando a boca, foi metendo devagarzinho enquanto beijava a minha boca, assim que viu que meu cuzinho tinha acostumado com seu pau, foi aumentando os movimentos e as socadas foram ficando mais intensas e aquele puto gemendo gostoso no meu ouvindo aumentava ainda mais o meu tesão, colocou de quatro na beirada da cama de modo que ele ficasse em pé no chão segurou pela cintura e socou forte e rápido, sem pena de meu cu, que recebia seu pau, eu gemia alto e gostoso. Ele apertou meus peitos e foi começando o vai e vem, ia rebolando um pouco e mordendo meu pescoço, eu gemia igual uma fêmea no cio, apertava sua mão segurando meus peitos e rebolei pedindo mais rola! Ele entendeu e começou a meter forte e rápido, seu pau ia no fundo do meu cu, me arrepiava todo naquele tesão, não acreditava que estava com um pau daqueles dentro de mim, com um homem daqueles me comendo…
Virou eu de lado e continuou socando e chupando os meus mamilos, eu anunciei que iria gozar, aumentei os movimento e gozei gostoso na parede, não resistiu e gozou gostoso dentro do meu cuzinho, ficou um pouco dentro do rabo, tirou seu pau, tirou a camisinha e colocou seu pau na boca para que pudesse limpar sua rola.
Suados mais satisfeitos nos beijamos por mais algum tempo, tomamos banho e saímos daquele prédio, ele pegou meu contato e voltei para a rodoviária.para retornar a minha cidade. Espero que tenham curtido,, vote e comentem.

Sexo Por Telefone
Disk Sexo

2 thoughts on “Putaria no Metro de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *