Transando com o motorista

Eu tinha 18 aninhos, estagiária da Prefeitura da minha cidade e era uma garota um tanto inexperiente. Afinal, havia saído de um noivado e me sentia insegura com novos relacionamentos (quem quiser saber mais, eu escrevi sobre no conto “Primeiro emprego e dei para meu chefe”).

Sexo Por Telefone

Estava solteira, a notícia se espalhava pelo setor, os colegas já começavam a dar em cima de mim, mas eu fingia nem perceber.

Trabalhava com a parte de eventos, era a recepcionista do prefeito, era a sua queridinha rsrs.

Logo notei que o motorista do prefeito era um verdadeiro Deus Grego, homem bonito, boa pinta, corpo escultural, olhos claros e tendo por volta de uns 40 anos.

Sempre me encantava com os homens mais velhos, eles me despertam algo que não sei explicar.

Pois bem, seu nome é Carlos e eu o cumprimentava com educação, vivíamos nos esbarrando pelo estacionamento, sempre era cordial e não passava disso.

Quando terminei meu namoro, ele me viu chorando muito e perguntou o que se passava e eu contei tudo, que fui traída e não queria mais saber do meu ex.

Ele me abraçou e disse que tudo ficaria bem, que eu era muito nova e tinha muito o que aprender ainda. Nesse momento eu senti o seu calor, seu perfume e o quanto ele era delicado, amoroso e paciente.

Me aconselhou e sempre perguntava como eu estava, trocamos número de telefone e quando não o via pela Prefeitura nos falávamos por SMS.

Ficamos assim um bom tempo e eu comecei a me apaixonar por ele, mas eu era boba e ingênua, demorei para me arriscar nessa relação.

Quando os eventos acabavam, ele levava o prefeito para casa e depois voltava me buscar, não gostava que eu andasse sozinha à noite. Eu me sentia protegida, aquele homem cuidava de mim.

Por meses foi assim, até que um dia quando ele me deixou na esquina de casa, rolou um beijo. Foi delicioso, senti um friozinho na barriga e já imaginei inúmeros planos para nós.

Começamos a nos ver com frequência, porém tendo todo o cuidado para ninguém notar. Apenas o prefeito que já desconfiava de algo.

Numa tarde ao término de mais um evento, ele me convida para ir até o seu apartamento. Eu fui e sabia que ia rolar algo.

Chegando lá ele me ofereceu cerveja, ficamos conversando por horas até ele começar a me despir. Ele era muito respeitoso, fazia tudo com o maior cuidado e carinho.

Assim que fiquei nua, comecei a tirar a sua roupa, nisso notei uma tatuagem em seu peito e vi que ele era todo depilado. Aquilo me excitou muito, ele realmente era muito sexy.

Nos beijamos e ele me proporcionou um oral delicioso, começou beijando meus peitos, desceu até a barriga e me acariciava muito, empurrava sua cabeça em direção a minha bucetinha foi quando ele caiu de boca e eu vi estrelas.

Aquilo tudo foi diferente do meu ex, pois ele além de ser mais velho, estava me chupando de forma mais demorada e fazendo umas coisas que nunca tinham feito em mim.

Depois de ter inúmeros orgasmos, eu comecei a chupa-lo, nossa como seu pau era gostoso, perfumado, todo depilado, não muito grande, de tamanho médio e grosso.

Chupava seu membro com vontade e o tempo todo olhava para ele, tentando ver se estava gostando ou não.

Teve muitas trocas de carícias, eu era um tanto afobada. Já queria partir para a penetração, mas ele pedia para eu ter calma e voltava a me chupar.

Mamava e apertava meus peitos, dizia que eram lindos e eu seria a sua ninfetinha para sempre.

Eu poderia ser inexperiente, mas era muito safada, fazia caras e bocas e logo fiquei de 4, o meu prazer acima de tudo era deixar ele doido, afinal um homem daqueles merecia todo o prazer.

Ele metia em mim devagar, depois aumentava o ritmo, batia em minha bunda e puxava meus cabelos. Eu gritava e gemia de prazer, a cama saia do lugar, o barulho era tanto que ele pedia para eu me controlar, pois os vizinhos poderiam ouvir.

Naquele momento eu mordia os lençóis, me sentia uma vadia, estava dando para um homem mais velho e louca para receber porra na minha bucetinha que já estava toda larguinha.

Ele veio por cima, metia com força, me beijava e falava o quanto eu era gostosa, que me desejava fazia tempo, mas me respeitava por eu ser comprometida e ter uma carinha de muito séria.

Aquilo me deixava louca, logo subi por cima, cavalgando sem parar até receber leitinho quente dentro de mim. Ah que delícia, cai cansada e suada ao seu lado.

Ele levantou, pegou uma cerveja, me serviu e conversamos por mais algum tempo. Depois disso fomos ao banho juntos, ele passava o sabonete pelo meu corpo e eu fazia o mesmo com ele.

Novamente transamos, a água caia pelo meu corpo, me apoiava na parede e empinava o bumbum pedindo por mais pau. Ele prontamente entendeu o recado e metia gostoso, no ápice do prazer ele goza na minha bunda.

Retomamos o banho e após ele me levou para casa, como sempre eu descia na esquina para meus pais não verem, já que eram muito controladores.

Saímos outras duas vezes, amava foder com ele, estava apaixonada por aquele homem amoroso e gentil.

Nas vezes que transávamos ele dizia que queria realizar minhas fantasias, que iria me ensinar a como ser uma mulher sedutora e boa de cama. Até me propôs sexo com ele e outro homem, eu era boba e pedi para pensar, nunca tinha feito e achava que não daria conta.

Tudo parecia perfeito, seguíamos nos vendo e no anonimato. Mas um dia eu vi ele saindo do estacionamento de mãos dadas com uma mulher.

Fiquei sem entender e com muita raiva, eu ligava e ele não me atendia.
No outro dia ele me chamou para conversar, falei para irmos em seu apartamento e ele falou que não poderia, eu disse que queria ficar com ele aquela tarde.

Ele falava que não podia e que precisava me contar algo, aí veio a bomba: ele tinha noiva. Aquilo foi o cúmulo para mim, eu fui a amante dele, não aceitava isso.

Fui enganada, me apaixonei por ele e mais uma vez fui decepcionada. Na época eu não consegui lidar com isso, não queria ser a “outra” e decidi me afastar.

Ele era muito maduro e reconheceu o erro, não insistiu para continuarmos a nos ver e eu o evitava ao máximo, quando o via pelo estacionamento logo desviava o caminho.

Depois de uns tempos transei com meu chefe (tem conto sobre isso), fui promovida e mudei de setor. Isso foi bom porque fui trabalhar em outro prédio, bem longe dele.

Passaram-se os anos e o reencontrei num consultório onde eu estava trabalhando. Trocamos olhares e me bateu uma saudade dele.

Ele foi o homem que despertou em mim sentimentos de prazer, com ele tive vários orgasmos que eu nem sabia como reagir ou explicar, foi alguém experiente que me mostrou o sexo de outra forma, não apenas o foder, mas COMO foder.

Nunca mais o vi, até que no ano passado
Em um evento político em minha faculdade, encontrei ele.

Estava com meu marido e de início não o percebi, mas quando olhei para o fundo do auditório, ele estava me encarando fixamente. Ele continuava lindo e sedutor.

Eu retribui o olhar, o tempo pareceu parar. Na saída eu o cumprimentei e confesso que deu saudades dos velhos tempos.

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *