Dei pro Gamer Baiano do Pau torto

Me chamo Mei (só mei mesmo). Sou descendente de Japoneses e moro em Salvador, na Bahia.

Sexo Por Telefone

Por todos esses anos, nunca achei garotos legais para ficar, nunca fui uma vagabunda igual as minhas colegas de sala. Mas ano passado eu conheci um rapaz muito bonito que eu vou chamar de “Italianinho”.
Ele era muito simpático, muito respeitoso, bem humorado e até bonitinho apesar de não ter o físico tão escultural… mas pra mim não fazia diferença.

Ele era bem inteligente, gostava de assuntos como Geopolítica e de forma humorada recitava poemas japoneses muito bonitos. Sempre me chamava de linda, minha flor e etc… por isso, até então, eu achava que ele era um daqueles rapazes retardados que passavam o dia inteiro no League of Legends.

Depois de um tempo conversando e saindo eu percebi que ele era muito mais safado do que eu pensava. Ele passava a mão na minhas pernas quando íamos no cinema, botava a mão nos meus peitos (que por questão de genéticas não são muito grandes) mas eu sentia muito tesão e sensibilidade. Ele passava a mão de forma delicada, me olhava de forma safada e carinhosa.

Um belo dia ele me mandou a seguinte mensagem:
“Saiu um jogo muito legal e já que você disse que queria conhecer melhor o mundo dos vídeo games, você deveria vir aqui em casa essa semana.”

Você pode julgar isso como um ato de RETARDADO, mas pra mim, aquilo significou que ele realmente prestava atenção em tudo que eu dizia… e eu realmente tinha dito que queria aprender a jogar. Obviamente eu iria aceitar ir “jogar” com ele.

Fui para a casa dele num dia de terça feira e nós havíamos acabado de nós formar no Ensino médio. Não havia mais nada a fazer, além de estudar muito para passar em boas faculdades e Foder sempre que possível.

Chegando lá ele estava me esperando na portaria… ele sempre era doce e gentil, falava com todos e todos do prédio conheciam ele.
Chegando no apartamento dele, eu percebi que era um rapaz deveras provido de capital… Vários quadros e lustres, mesas e ele tinha até dois animaizinhos (um gato e um cachorro). O carro dele era uma Mitsubishi Lancer, e ele até havia me dito que me buscaria em casa mas até então não pensava que iria ser algo sério.

Apesar de sempre ser doce e gentil, quando tinha oportunidade ele era muito safado comigo. Ele ligou a televisão da sala (que tinha umas 59 polegadas), ligou a caixa de som e colocou o joguinho novo dele mas sinceramente eu não estava nem um pouco interessada.

Começamos a jogar e eu percebi que ele não tirava os olhos de mim. Ele era moreno, bonito, tinha um sorriso bonito e um papo de deixar qualquer mulher impressionada com sua inteligência.

Eu havia questionado o porque dele estar me comendo com os olhos. Nesse momento ele me falou:
“Você é uma delícia, é Inteligente… não me importaria de você ser a mãe dos meus filhos”

Naquele momento eu fiquei toda vermelha, meu coração começou a bater forte, eu comecei a gelar. Não consigo descrever exatamente, mas era uma sensação de desejo misturada com medo.

Ele disse em seguida:
“É sua vez de jogar, mas só se for no meu Colinho”

Ele me colocou no colo e no mesmo momento eu senti o pau dele TODO no lado esquerdo da minha bunda. Ele começou a apalpar meus seios e fazer carinho no meu pescoço… era uma sensação de desejo, queimação e eu comecei a ficar molhada.

Eu não sei como de desenrolou o resto, porque foi tão natural e tão rápido que quando me dei por conta eu já estava na cama dele… e PUTA QUE PARIU.

Ele não tinha o melhor físico do mundo, mas ele fazia muito gostoso. Eu por ser japonesa, tenho uma vagina um pouco mais apertada que o normal e por isso a sensação da penetração era muito boa. O pênis dele era torto, veiudo mas não muito grande… era GROSSO, mas tinha no máximo 16 Centímetros.

Ele metia muito bem, ele dava tapas na minha bunda e constantemente me ia até os meus ouvidos e me falava coisas que me deixavam totalmente arrepiada. Ele me perguntava se estava gostoso e se importava muito com meu bem estar na hora da transa.

O quarto dele era cheiroso, bem organizado e geladinho… tudo contribuía para o meu orgasmo, que depois de algum tempo realmente aconteceu. Quando tudo acabou, ele me cobriu com seu lençol, me encheu de beijos e falava bem no pé do ouvido coisas muito reconfortantes…

Depois de algumas horas, ele me levou pra casa no carro dele e atualmente, nós casualmente fazemos sexo.

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *