Legging Branca

Primeiramente, descreverei minha esposa, 40 anos, Negra, 1,80m, pernas longas e torneadas, seios médios, bunda redondinha, apesar do tamanho dela ela tem uma bucetinha apertadinha, cabelo ondulado na altura dos ombros no momento.

Sexo Por Telefone

O fato que narrarei aconteceu recentemente, marcamos de sair para curtir um pouquinho, sei lá talvez um restaurante ou lanchonete, enfim, eu marquei de pegá-la em casa, pois estava voltando de trabalho estava de carro, próximo de casa, mandei uma mensagem que estava chegando, para ela me esperar. Chegando em casa ela desceu linda e maravilhosa,

usava uma blusinha preta (estampa de flores) de alça fina, um salto alto Anabella preta, e uma calça Legging Branca, P… que Pariu, estava muito gostosa, mais do que de costume.
Entrou no carro, me beijou a boca e saímos, chegando na lanchonete foi o centro das atenções, chamava a atenção até mesmo de mulheres que estavam no local, também né,
Sentamos, comemos, conversamos, rimos bastante, mais o tesão que estávamos sentindo era maior, que por baixo da mesa, minha mão alisava suas pernas e bucetinha por cima da calça, seus seios já davam a entender o quanto estava excitada, os bicos deles estavam muito aparentes e ela muito arrepiada.

Saímos em direção ao estacionamento, a vontade foi tanta que nem nos importamos com quem de repente passasse, apoiei ela no capô do carro baixei sua calça, ela usava uma calcinha de renda bem pequena e delicada, nem aparecia sob a calça Legging, abaixei atrás dela e comecei a chupar sua bucetinha que nessa altura estava encharcada, chupei, lambi, enfiei minha língua fundo, arrancando dela gemidos, suspiros e a fazia tremer de tanto tesão, quando levantei dei uma leve olhada no entorno e vi o manobrista de longe mas o mesmo não perdia um lance, do que estava rolando ali naquele capô, fale pra ela que estávamos sendo observados ao mesmo tempo em que meti na sua bucetinha, o que a fez gritar e tampar a boca pra não chamar muita a atenção, mesmo assim continuei bombando em sua bucetinha, que aceitava facilmente

meu pau de tão molhada que estava, ela olhou para o manobrista, e ele já estava mais próximo com o pau na mão batendo uma punheta se deliciando com a cena, ela perguntou se eu a deixaria ajudar o pobre rapaz, permiti com uma condição que pudéssemos gozar em cima dela…, ela riu e chamou o rapaz com o dedinho, ele não acreditou mesmo assim foi até nós e sem dizer uma palavra teve seu pau chupado pela minha esposa, o rapaz estava desacreditando no que estava acontecendo meio encabulado mas em riste, quase gozou na boca dela, falei pra ele vem comer essa bucetinha enquanto

ela me chupa, ele foi atrás dela segurou pela cintura e ela com maestria o guiou para o fundo da sua bucetinha, neste momento ela soltou um gemido e caiu de boca no meu pau, o rapaz bombava em sua bucetinha com sofreguidão, parecia que nunca tinha comido uma mulher de verdade, ele bombava e a chamava de gostosa, elogiava seu corpo, sua bucetinha apertada, e falei pra ele que deveria gozar nos seios dela, bombamos tanto que ela estava se tremendo de tanto gozar, deve ter tido uns 8 orgasmos, quando estávamos para gozar ela se abaixou para receber o banho de porra mais intenso que ela já tinha recebido, rosto, seios, barriga, o rapaz gozou tanto que bateu até uma fraqueza (kkkkkkkkkk), teve de se apoiar por um instante para se recuperar.

Assim que recobrou suas faculdades, se vestiu e agradeceu por tudo que aconteceu e adorou a bucetinha quente e apertada da minha esposinha, que estava desfalecida dentro do carro. Fomos embora e no caminho de volta dedilhava sua bucetinha que estava pulsando e escorria um pouco do seu néctar inebriante…, mas em outro conto eu digo o que aconteceu depois…

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *