Kamasutra

Foi nessa época que tentando encontrar ideias de como dar prazer para a esposa resolvemos fazer um curso de Kamasutra. A Anika é uma loira cavalona de 40 anos, cabelos abaixo dos ombros, peituda, com mamilos protuberantes ao ponto de parecerem duas chupetas. Barriguinha sarada tipo tanquinho, quadril largo, pernas grossas e longas, corpão violão. Tudo isso destacando um bundão perfeito, grande, redondo, tipo cavalona mesmo (foto da bunda dela).

O professor nos ensinou dizendo que o Kamasutra divide as mulheres e os homens em três categorias. Existem três tipos de fêmeas de acordo ao tamanho das suas vaginas: a Veadinha, a Égua e a Elefanta. E existem três tipos de homens de acordo ao tamanho do seu membro, ou “lingam” como chama o Kamasutra: o coelho, o touro e o cavalo. A ligação sexual mais prazerosa era entre um homem com um pênis de um tamanho acima do tamanho da vagina. A veadinha e´ penetrada pelo coelho, mas mais prazer seria para ela ser comida pelo touro. A égua é penetrada pelo seu parceiro em tamanho, o homem touro. Mas o orgasmo superior da égua acontece quando e´ montada pelo homem cavalo.

No curso tinha só cinco pessoas e o professor. Alem de nós tinha outro casal de meia idade e um garoto de 27 anos.

O casal perguntou quais seriam os tamanhos de cada um dos pênis y a profundidade de cada uma das vaginas. Era uma pergunta lógica mas que ficou meio chata pois o professor disse que isso era difícil de dizer pois dependia da combinação, mas quem quisesse poderia fazer o teste em privado. Ele daria a classificação de cada aluno. O casal disse que eles queriam sim. O garoto disse que por ele também estava ok e faltava só eu e a Annika. A Annika disse que ela gostaria se eu não fosse em contra. Nessa hora já não tinha como dizer que não pois eu seria o único a negar e isso seria chato, então disse que eu também não teria objeções.

O professor então falou que ele faria a avaliação e sendo uma classe de Kamasutra, e todos parecendo ser liberais, poderíamos fazer na frente de todos sem grilo. Estávamos sentados em circulo e o professor levantou e para dar o exemplo abriu o jeans, abaixou a cueca e mostrou dizendo: eu por exemplo, de acordo ao Kamasutra, sou cavalo. E era mesmo… mas logo subiu as cuecas e o jeans. Foi tão natural que ninguém pareceu sentirse inconfortável. Quando a minha esposa viu aquilo apertou discretamente a minha mão, mas fingiu quase nem ter olhado. O professor perguntou quem queria ser o primeiro e o casal desinibido levantou a mão. O professor então disse que para medir o tamanho da vagina usariam um pequeno dildo que contava com centímetros para medir a profundidade da vagina.

A mulher tinha uns 30 anos, moreninha e baixinha, estava de saia. Ele entregou o dildo e ela mesma fez a medição usando uma camisinha. Ela tinha 10 cm de profundidade, era uma mulher veadinha. O marido foi logo depois e abaixou o jeans mostrando o tamanho só ao professor. E´touro disse ele. Era veadinha com touro.

O jovem disse querer ser o seguinte. Sem inibição nenhuma levantou da cadeira e se colocou na frente de todos e abaixou a calça e mostrou. Claramente ele também era um cavalo! Tinha uma pica que estava meio bomba com uma cabeça pequena, mas o pênis era muito grosso e longo, parecia um torpedo. A Annika apertou a minha mao de novo e beliscou discretamente. O professor sorriu e disse: — você sabe que isso não é touro, não é? O rapaz sorriu e falou que ainda ficava maior.

Faltava só a Annika e eu. Eu fui primeiro e mostrei só para o professor como tinha feito o outro homem. Ele olhou e disse: — Eu diria que e´ touro, mas estou na dúvida… e deu uma piscada discreta para mim. Eu entendí que ele tinha deixado todos na dúvida e isso era bom.

Logo em seguida o professor olhou para a Annika e estendeu outro dildo para ela. A minha esposa colocou a camisinha no dildo e pediu para todos se virarem e mediu sem ninguém olhar. Ela tinha exatamente 17 cm. de profundidade.

–17 cm. É mulher “égua” declarou o professor. Nesse momento vi o aluno olhando para a Ani e ajeitando o pênis na calça.

A conclusão da prova foi que tinha um casal de veadinha sendo comida por touro. Outro casal de égua e tal vez um touro e sobravam dois cavalos sem fêmeas.

Fomos para casa e no carro ela perguntou se eu tinha visto o tamanho do professor e do rapaz. Eu disse que sim, mas nao seguí o assunto pois começava a perceber que não tinha jeito. Eu não conseguiria dar orgasmos a uma égua tendo um pênis de 12 centímetros e além disso sem conseguir bombar nela. Ela comentou que era só a segunda vez na vida que ela tinha visto ao vivo tamanhos assim.

Nos dias seguintes as fantasias voltavam e agora eu já batia punheta só imaginando ela dando para super dotados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *