Virei a puta lésbica da minha mãe

Oi meu nome e Angelina Nunes atualmente moro com minha mãe não como filha mais sim como esposa, tenho 18 anos e 1,61m de altura, meus peitos são mediu mais em compensação minha bunda e grande puxando da minha mãe, tenho um cabelo pequeno e escuros meus lábios são um pouco grande tenho olhos azuis puxando do meu pai que abandonou a minha mãe aos 16 quando estava gravida de min, minha mãe e uma mulher com um corpo definido de 27, ela tem um peito um pouco acima da media por ter dado a luz, sua bunda e grande e seus cabelo longos são pintados de loiros com suas raízes aparecendo, seus lábios da mesma grossura que o meu e seus olhos castanhas sedutores, e tudo isso e o que me da mais tesão nela, bom bora para o conto.

Era um sábado tinha acabado de acorda, eu faço o que eu costuma fazer em todo domingo, eu desço e vou tomar café e lá eu encontro minha mãe de um shortinho folgado e uma blusa regada dando pra ver um pouco de seu peito, ela estava com um avental, ver aquela sena era tão excitante que me deixou molhada em um estante, dei logo uma desculpa falando:

-ei mãe eu vou tomar um banho pra desperta

-esta bem amor

Fui logo correndo para o banheiro, liguei o chuveiro pra agua quente e comecei a me masturba debaixo daquela agua quente pensando naquela bunda e como seria colocar minhas mãos nela, tive um dos melhores orgasmo pensando na minha própria mãe, naquela idade eu me identificava como lésbica, já tive algumas namoradas sem minha mãe saber, ela trabalha muito pra me dar tudo que eu queria, e por isso ela passava pouco tempo em casa então aproveitava pra chama minha namoradas pra casa e passa um tempo de qualidade com elas, por nunca fiz nenhuma reclamação, mais ao meus 17 anos eu comecei a ter uma paixonite em mulheres mais velhas e foi logo ai que eu comecei a ter outros olhos pra minha mãe, vamos voltar ao domingo, depois de “tomar meu banho” eu desci pra aproveitar esse dia com minha mãe, como era folga dela e era domingo queria tenta me aproxima mais dela, nos aproveitamos e fomos para o shopping, eu tinha comentado que queria ir com ela por que tinha visto uma roupa que ficaria ótima nela, fomo bem cedo já que tinha um cronograma para nosso “encontro”, primeiro ir compra algumas roupas, segundo ir na praça de alimentação e por ultimo ir no cinema, tudo ocorreu como tudo planejava, voltamos pra casa por volta das 18:00 tínhamos assistido um filme de romance, nos estávamos voltamos dento de seu carro, começamos a conversa sobre o dia:

-filha hoje foi ótimo

-obrigado mãe, eu queria ter um dia de folga pra senhora, sabe a senhora trabalha muito, quase nunca vejo você para e descansa

-oooh obrigado minha filha, você sabe que a mamãe só trabalha muito pra te dar um vida boa

-eu sei mãe e só que, eu queria que a senhora aproveitasse mais o seu tempo livre, tipo sair ou ate mesmo fazer coisas novas

-mais esse tempo que passei com minha filha querida e muito melhor que qualquer coisa que eu queira

Nos tinha conversado muito sobre o trabalho e sobre a escola e como eu estou trabalhando de meio período e ainda mais difícil ter essas conversas, conversa vai conversa vem ate que ela tocou no assunto dos namoros, minha mãe já sabia que eu era lésbica e também já sabia do meu primeiro namoro depois dai ela não ficou sabendo de nada que eu tinha separado dela e ficado com mais 3 garotas, então eu falei que tinha separado dela um “pouco” tempo atrás, ela ficou super apreensiva pensando que eu estaria triste e taus, mais eu estava muito molhada, já que ela tocou a mão em minha perna, eu estava com um short e com meia causa junto com uma blusa branca, e ela com uma saia ate o joelho e uma blusa que a manga ia ate o cotovelo junto com um cinto com a fivela dourada, então o toque dela era como esta encostando na minha perna nua a meia calça era muito apertada, naquele momento já tinha me decidido que quando chegar em casa eu partiria pra cima dela, chegando em casa eu fui tomar um banho e ela prepara o janta, no meu banho comecei a me masturbar pesando no toque dela por todo o meu corpo, eu tinha gozado de manha e agora a tarde saiu quase duas vezes mais, eu ouvir um barulho do corredor, como eu tinha ligado o chuveiro pra abafar o barulho dos meu gemidos, mais não adiantava nada se estiver no corredor, eu logo pensei que estaria ferrada se minha mãe descobri, eu me arrumei e desci com a maior vergonha por olha minha mãe, mais pra minha surpresa ela estava com a cara que não sabia de nada e ainda falou que iria tomar banho, logo eu fiquei aliviada mais não conseguia sequer olha nos seus olhos, depois do janta fomos ver um pouco de Tv depois fui pro meu quarto descansa, mais no meio da noite eu acordei com uns barulhos estranho vido de seu quarto, fui com passos leves pra ela não me escutar, quando coloquei meus olho na brecha do meu quarto quando vi minha mãe se masturbando com um vibrador falando o meu nome em meios dos gemidos aquilo me deixou com um puta tesão, eu comecei a me masturbar com a mão direita e com a esquerda chupando meu dedos pra impedir que meus gemidos saem, com um tempo eu vi minha propina mãe gozando e junto com ela eu também como já tinha gozado muito o que saiu só foi o suficiente pra molhar minha calcinha, fui correndo para o meu quarto, no dia seguinte fui logo abraçar minha mãe, que tinha se assustado um pouco der repente, ela olhou pra min e me deu um beijo na testa, aquilo me deu tensão mais não me masturbei, como tinha confirmado que minha mãe se masturbava pensando em min eu tinha um plano pra confirma isso, o plano era convida minha amiga Erica e apresenta ela pra minha mãe como minha namorada, claro que pedi pra ela segui o fluxo, o plano foi posto em ação fui pra minha casa e como esperado minha mãe tinha chegado cedo e foi ai que apresentei a Erica pra minha mãe e foi incrível ver a cara dela de ciúmes, ela começou a pergunta algumas coisas pra Erica e como pedir pra ela seguir o fluxo ele simplesmente pegou minha mão e disse que desejava me fazer feliz, aquilo foi a cereja do bolo, se passou uns minutos com o clima de tensão envolto da sala ate a Erica se levantar me da um beijo na bochecha e falou que estava na hora de ir pra sua casa, eu acompanhei ate a porta e cochichei pra ela agradecendo e o beijo foi bem convincente, quando voltei pra sala minha mãe simplesmente falou:

-garota bonita né

-sim bastante

-quando foi que você conheceu essa moça

-aah ela é da mesma sala que eu, então uma coisa leva a outra e sabe

-uhm, vou tomar banho

Ela simplesmente se levantou e foi tomar seu banho um pouco tempo depois fui ate o banheiro fazer a primeira invertida, entrei no banheiro sem roupa e logo ouvir ela falando que o ela ainda estava no banheiro, eu fui me aproximando falando que já sabia, eu peguei suas duas bochechas e roubei um beijo dela, logo ela se alarmou falando o que era aquilo, que era minha mãe, que era um erro, eu fui me aproximando beijando ela na boca novamente e descendo para seus peitos, fui chupando seu pescoço e beliscando os mamilos rosados, depois de tanto resistir ela começou a se entregar, soltado pequenos gemidos ate que ela perguntou:

-e-e a Erica ?

-ah, ela e só uma amiga que pedir um favor

-como assim ?

-eu ouvir e vi a senhora se masturbando falando o meu nome, e resolvi causa um pouco de ciúmes, e parece que funcionou

-aah~

Eu comecei a mexe em volta de seu clitóris e beijando seu pescoço fazendo ela gemer ainda mais, ela começou a estremecer as suas pernas por causa da excitação, ate que eu parei e dei um beijo em sua bochecha deixando ela lá no chão, fui para o meu quarto morta de felicidade por ter feito aquilo com minha mãe, mais eu tinha que me segura, fui dormi deixando aquilo na mente da minha mãe, ao acorda fui ate a cozinha de costume, cheguei perto dela lê dei um abraço e um beijo em sua bochecha assustando ela reclamou mais eu falei que não fiz nada do que faço normalmente, agindo naturalmente, fui pro colégio e depois pro trabalho de meio período e ela pro seu trabalho, quando chegamos em case eu coloquei um short curto e folgado em uma blusa um pouco transparente, eu percebi que ela ficava olhando pra minhas pernas, quando percebi fui ate meu quarto, logo depois ela me chamou pra janta ate eu ver ela com um vestido florido, parece que no pouco tempo ela se trocou, cheguei ate ela lhe dando um abraço e um beijo na boca, claro que ela se assustou já que ela pensava que tinha voltou ao normal, fui e me sentei na mesa como se fosse algo normal que nos fiasse-se todo dia, claro que isso por fora, mais por dentro estava explodindo de felicidade, logo depois ela me se sentou com o rosto vermelho e começou a comer quieta, logo depois fui ate o meu quarto mexer no meu computador e minha mãe ficou assistindo Tv ate ir pro seu quarto, logo em seguida eu fui ate lá, ela estava deitada em sua cama fui me aproximando e deitei de coxinha com ela, ela se alarmou mais não parecia que estava odiando, comecei a mexer em seus peitos, fui descendo ate sua buceta e esfregando rápido ela colocou a mão em sua boca e começou a segura seus gemidos, eu cheguei perto de seu ouvido e falei que sabia que ela estava olhando pra minhas pernas, fui levantando seu vestido e coloquei minha mão em sua calcinha, eu peguei em suas bochechas e virei seus rotos ao encontro do meu fazendo assim nos ter nosso primeiro beijo de língua, não demorou muito ate que ela se entregou por completo o beijo de língua dela era delicioso sua língua invadindo cada canto era invadido por ela, quando dei por min ela estava encima de min com sua mão dentro da minha boceta, estávamos perdidas em luxuria e desejo ela me beijava e não excitava mais em me beija, quando acordei estava na cama dela e já era 8 horas, eu tinha me atrasada pro colégio mais minha mãe tinha ligado pra falar que eu estava doente, ao descer as escadas vejo ela só de calcinha e uma blusa grande, cheguei logo dando um tapa na bunda dela, que ela exclamou que mesmo que nos tinha transados ela era inda minha mãe e era pra ter respeito, depois que ela disse isso eu me aproximei e dei um beijo em sua boca pra minha surpresa e revidou o tapa que tinha dado mais foi tão forte que eu gemi, nos comemos e fumos tomar banho, e no banho nos ficamos de pegação, nos beijava, pegava uma na parte da outra, ate que ela me pediu para chupa ela, logo a bunda que me masturbava tanto sonhando em ter toda pra min, ela se apoio no box do banheiro e eu ajoelhei, comecei a “comer” aquela bunda, dava mordida, chupava o cu, lambia a buceta, enfiava o dedo, e pressionei o clitóris, fazendo goza pra caralho, depois do nosso banho fomos pra sala passa o nosso tempo, parecíamos um casal de namoradas, estávamos vendo uns filmes pornos, nos deu tanto tesão que fomos pro quarto dela, lá ela tirou uma sinta e um consolo e me tratou como uma puta, ela tirou uma gravata de sua gaveta e comparado quando descobri que ela se masturbava pesando em min ate ali foi um involução impressionante, ela começou a em foder com aquilo e tirando a minha virgindade, eu estava morta de feliz por minha virgindade ter sido tirada por minha mãe, aquilo significava que eu tinha me tornado mulher da minha mãe, o consolo era muito grande que eu sentia no meu útero, mais ela fazia com carinho depois que me acostumei com a dor, ela pegou a grava e colocou em meu pescoço e me fodendo igual uma cadela, eu estava tão delirada de prazer que minha mente ficava em branco, nos mudamos de posições e comecei a chupar a sua buceta e enfiando o consolo nela, quando nos duas gozamos, ela me puxou pela gravata que ainda estava no meu pescoço e me chamou de putinha dela, me fazendo a mulher mais feliz do mundo, no dia seguinte minha bunda estava doendo, estava vestida com um blusa que minha mãe estava vestindo e uma calcinha lingerie logo quando eu desci estava a ne de sempre minha mulher/dona esta fazendo o café da manha como sempre eu me aproximei e dei um abraço nela e um beijo de língua, ela me deu um tapa muito forte e ainda me elogiou a minha bunda falando que ela estava incríveis, eu disse que tinha vestido especialmente pra ela mais ela não tinha notado, naquela hora se passou pela minha cabeça que nos não era mãe e filha mais sim um casal, eu ate cheguei a comenta, e ela falou “claro meu amor”, depois disso nossas vidas continuou a mesma só com uma coisinhas a mais como; Beija, tomar banho juntas, encontros e muito mais muito sexo selvagem, hoje tenho 21 anos e minha mãe 30 anos, nos estamos pesando em adotar um criança mais e difícil tomar uma decisão com um consolo enfiando na sua buceta e uma coleira em seu pescoço com uma mulher tesuda te fodendo igual puta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *