Pagando a Faculdade

Olá, meu nome é Isabel, e o que vou narrar, aconteceu comigo quando eu tinha 18 anos. Mas antes descreverei o meu tipo físico, sou morena clara, tenho longos cabelos negros, olhos verdes, não sou muito alta, tenho 1,65 de altura, seios médios com mamilos rosados e bundinha empinadinha e redonda, o que deixa os homens babando de tesão. Eu fazia faculdade de Administração em Campo Verde – GO. Naquela época, eu trabalhava de garçonete num restaurante da cidade durante o dia, e a noite estudava. O dinheiro que eu ganhava com o trabalho dava para pagar os estudos, aluguel de uma pequena kitnet em que morava e a alimentação.

Sexo Por Telefone


Contudo, acabei sendo dispensada do emprego, o que me deixou desesperada, afinal como eu iria pagar as minhas contas, e o mais importante, os estudos?
Fiquei desesperada, as dividas começaram a se acumular, já faltava alimento em casa, a imobiliária já ameaçava me despejar e eu teria que trancar a faculdade, pois já não tinha dinheiro para arcar com os estudos.
Entretanto, não me lembro se foi numa segunda ou terça de manhã, despertei com alguém batendo em minha porta, achei que fosse a tal ordem de despejo, já que faziam três meses que eu não pagava o aluguel.

Para a minha surpresa, era Pâmela, uma antiga amiga de infância, nós não nos víamos a uns 10 anos. Nos abraçamos e colocamos as conversas em dia, entre um assunto e outro, acabei contando a ela sobre a minha atual situação.
Ela olhou demoradamente para mim com cara de deboche e sorriu maliciosamente, dizendo que uma garota gostosa como eu só não teria dinheiro se não quisesse.

Fiquei curiosa e quis saber mais sobre o que ela estava querendo dizer. Então, ela tirou da bolsa um cartão e me entregou. Nele tinha a foto de uma garota nua com o endereço e o telefone de uma casa de massagem.
Pâmela me disse que trabalhava lá, e o que ganhava dava para levar uma vida de rainha. Eu disse a ela que ainda não havia me aventurado sexualmente, pois queria transar com o cara que seria o amor da minha vida, em outras palavras era virgem ainda. O máximo que eu cheguei com relação ao sexo foi a masturbação, naqueles momentos solitários em que bate o tesão.

Ela disse para eu pensar sobre o assunto, mas advertiu que eu estava perdendo uma oportunidade de ouro. Passei a noite pensando sobre a proposta, estava entre a cruz e a espada, e não tinha para onde fugir. No dia seguinte, criei coragem e fui até o endereço que estava no cartão. Era um sobrado muito bonito e discreto, pois não havia placa com o nome do lugar, se parecia mais a uma casa de família. Bati na porta, um tanto envergonhada. Após alguns segundos, uma senhora com o rosto cheio de creme me atendeu, devia ter uns 60 anos ou mais. Ela me olhou de cima em baixo e sorriu, dizendo se eu era a tal garota virgem que a Pâmela lhe havia falado.

Respondi afirmativamente com a cabeça, um tanto envergonhada. A mulher pediu que eu entrasse, em seguida me conduziu até um quarto de casal. O local era espaçoso, no banheiro havia uma banheira de hidromassagem, o ambiente era todo climatizado, as cortinas eram cor de rosa e a cama de casal era muito confortável, sobre ela, estava um baby doll de cor vermelha, que a mulher pediu que eu vestisse, pois segundo ela já havia um cliente especial esperando por mim.
Naquele momento, bateu a ansiedade e o medo, eu já estava dentro do covil dos lobos, minhas pernas tremiam e estava confusa. Afinal, o que eu estava fazendo ali?
Mas então, comecei a pensar na falta de dinheiro, e do quanto eu precisava dele.
Então, vesti o baby doll vermelho que estava muito apertado em meu corpo, os biquinhos do meio seio quase que ficavam totalmente visíveis.
Sentei-me na cama e aguardei o destino que se aproximava, o nervosismo não ia embora, e mesmo com o quarto climatizado transpirava abundantemente.
Após alguns minutos, a porta se abriu, e por ele entrou um rapaz de terno, parecia ser funcionário de banco, devia ter uns 30 anos, usava óculos redondos com lentes grossas tipo fundo de garrafa, era magro e alto e tinha cara de ingênuo. Ele me comeu dos pés a cabeça. Então, se aproximou e me beijou no rosto cumprimentando-me. Notei que o seu pênis endureceu rapidamente, parecia ser maior do que o da maioria dos homens. Fiquei com o olhar apreensivo olhando para aquela imenso volume, então ele me acalmou, dizendo-me que eu não precisaria fazer nada que não quisesse. Ele perguntou se eu queria tomar um banho junto com ele, pois fazia parte do pacote. Concordei, balançando a cabeça afirmativamente, mesmo estando constrangida e envergonhada. Ele tirou a sua roupa ficando totalmente nu. O pênis do cara era muito grande e grosso, minha bucetinha não iria comportar aquele monstro dentro dela. Ele caminhou até mim, e em seguida tirou carinhosamente o meu baby doll, deixando todo o meu delicioso corpo exposto.

Senti o pênis dele encostar nas minhas coxas, estava quente e latejando sem parar, ele então pegou nas minhas mãos e me conduziu para a hidromassagem. Começou então a ensaboar o meu corpo lentamente, como se estivesse apreciando cada centímetro. Ele tentou beijar a minha boca mas eu não deixei, então ele beijou o meu pescoço e foi descendo até abocanhar meus indefesos seios rosados avidamente. Ele revezava, ora chupando um seio, ora outro, aquilo foi fazendo meu tesão subir cada vez mais, meu corpo tremia a cada nova chupada. Ele parecia estar adorando aquilo, então após alguns minutos, nos levantamos e nos enxugamos um ao outro carinhosamente, não conseguia desviar os olhos do seu pênis, estava com tesão mas assustada. Já na cama, ele continuou a chupar os meus seios e a chupar o meu pescoço, descendo pouco a pouco até encontrar a minha vagina que a essa altura já estava molhadinha de tesão. Ele a chupava e mordia suas beiradinhas carinhosamente. Comecei a tremer toda, com o tesão que estava sentindo, meu rosto parecia estar pegando fogo de tanto prazer, comecei a ofegar e a gemer como louca, e acabei gozando em sua boca. Ele por sua

vez, já não aguentava esperar para socar aquele mastro enorme na minha bucetinha, então levantou-se na posição de macho dominante, apontou aquela vara enorme na direção da minha buceta e começou a empurrar lentamente. Embora minha bucetinha estivesse molhada, comecei a sentir dor, pois era a primeira vez que estava sendo penetrada por um homem. Tentei conter o seu ímpeto empurrando o seu quadril para trás, mas ele não deixava. A cada estocada sua em minha vagina, sentia que o meu cabacinho iria romper a qualquer momento. Ele então começou a massagear a minha vagina bolinando-a suavemente com o seu dedo polegar. Aos poucos comecei a sentir prazer novamente, e a dor foi desaparecendo, olhei para aquele volume enorme de carne e nervos, e ele já estava todo enterrado dentro de mim. Num movimento rápido, e sem tirar o mastro da minha bucetinha, ele me deixou de quatro, e continuou o vai e vem incessante. Nesse momento, nossos gemidos já se misturavam, comecei a gozar sem parar no pau dele, ele por sua vez, sabia como segurar o gozo, após mais umas bombadas na minha bundinha ele finalmente gozou abundantemente, enchendo a minha bundinha de porra.
Ficamos deitados por alguns momentos contemplando o rosto um do outro, ele me acariciava os cabelos carinhosamente e passava as mãos suavemente por todo o meu corpo, mas alisava mais demoradamente a minha bundinha. Senti que o seu pau já estava duro de novo entre as minhas pernas. Ele então, mandou que eu ficasse de quatro para ele, imaginei que dessa vez ele iria quere explorar o meu cuzinho. Contudo, eu disse que não iria dar o meu buraquinho, pois não queria estragar as minhas pregas. Ele sorriu maliciosamente, e disse que o anal fazia parte do pacote, e se eu não fizesse, não iria pagar o valor combinado pelo programa. Fiquei louca de raiva, mas com já tinha chegado até ali não iria estragar tudo.
Relaxei a minha bundinha e esperei ele enterrar aquele pau enorme no meu rabinho.
Contudo, ele parecia ser bem experiente no assunto, e antes de penetra-lo, começou a chupar o meu cuzinho demoradamente, as vezes enfiando o dedo médio, fazendo o movimento de ir e voltar. Comecei a sentir tesão novamente, ele então apontou o mastro na direção do meu cuzinho e começou a forçar a entrada no movimento de vai e vem. Ao mesmo tempo masturbava a minha bucetinha com uma das mãos.
Não demorou muito para que eu começasse a gozar novamente, e a dor de ter aquela massa de carne enterrada no meu rabinho se transformou em prazer.
Ele começou a bombar o meu cuzinho cada vez com mais violência, não acreditava que meu cuzinho seria capaz de abrigar um cassete daquele tamanho. Comecei a gemer de prazer e de dor ao mesmo tempo, ele por sua vez, agarrou os meus longos cabelos negros como se agarra a crina de uma égua enquanto enfiava o seu pau no meu rabo impiedosamente, dessa vez chegamos ao orgasmo juntos e deixei que ele me beijasse de língua demoradamente.
Essa foi a minha primeira experiência com um homem, todavia foi inesquecível.
E aquele cara que a primeira vista parecia ser tão ingênuo, demonstrou ser um verdadeiro garanhão na cama.
Nunca mais o vi depois daquele dia, mas a ideia de unir prazer e trabalho no mesmo lugar me pareceu tentador.
Voltei a fazer outros programas depois daquele, tudo em nome da minha formação na faculdade, mas depois que encontrei o homem da minha vida e me casei, deixei esse prazer proibido de lado.
Beijos de língua para todos.

Escritor: Fantasma

Disk Sexo

One thought on “Pagando a Faculdade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *