Eu, Você e Ela

Vou narrar aqui, uma de nossas noites, onde conduzo mãe e filha, as mais intensas e inimagináveis descobertas de dominação e prazer…

“Até ali, a noite tinha sido perfeita, mas, ainda não havia acabado!
Ao chegar no casarão, subimos, Lúcia me agradeceu pelo passeio e foi para o seu quarto.
Stella disse que ia se trocar.
Fiquei na sala, tomei um café e fumei um cigarro, depois fui para o meu quarto.
Era mês de agosto, estava frio, mas isso não tirava a beleza da noite, a qual pude observar pela janela!
Após mais um cigarro, fui para a cama.
Não demorou para que Stella entrasse e se deitasse em meu peito.
Acho que a intenção era dormimos, contudo, nossos corpos já ardiam com vontade um do outro!
Começamos a nos beijar, Stella pediu para que eu a vendasse e sussurrou em meu ouvido:
– Isso me deixa muito excitada! – disse Stella, com tesão.
Stella agora vendada e transbordando um calor que contagiava, arrancamos nossas roupas com a pressa dos amantes, quando me dei conta da presença de Lúcia. Stella começou a descer a boca pelo meu corpo, beijando e passando língua quente e molhada por cada centímetro percorrido, me causando calafrios por toda parte. Lúcia na porta nua, linda, com um olhar convidativo! O Tesão, já tomava conta do meu corpo e das minhas ações, não pensei em outra coisa e com um gesto a convidei para entrar.

Lúcia lentamente se aproximou da cama, ficando ao alcance de minhas mãos. Stella, já engolia meu pau com a gula e volúpia de sempre!
Meu pau estava enorme e latejando, conforme Stella chupava, eu segurava em sua cabeça e forçava meu pau em sua boca, até a garganta, fazendo-a engasgar. Confesso, que isso me excitava muito!
Meu pau entrando e saindo da boca de Stella, cada vez mais babado. Esfregava meu pau na cara de Stella batia com ele em sua cara, boca e língua. Lúcia estava ao meu lado com a boca salivando!
Stella vendada, mamando meu pau, como se quisesse que jorrasse todo meu leite em sua boca. Ela mamava com uma vontade voraz!

Lúcia deliciosamente e muito excitada ao meu lado, vendo sua mãe engolindo todo meu membro.
Segurei os cabelos de Lúcia tapei sua boca, fazendo um sinal de silêncio.
Enquanto Stella continuava a mamar cada centímetro do meu pau.
Passei meu dedo nos lábios de Lúcia contornando-os. Ela, passou a língua quente e molhada no meu dedo e começou a chupa-lo. Ela chupava gostoso igual sua mãe!
Desci minha mão pelo seu queixo, pescoço, dando-lhe um leve apertão. Fui até seu delicioso peito, que já estava com bicos explodindo de tão duros!

Acariciei seus peitos, circulei seus bicos e quando me aproximei para chupa-los, Stella me disse:
– Me fode com força! – Me faça gritar e gozar como das outras vezes!
Não pensei duas vezes, coloquei Stella de quatro e mandei que ela abrisse sua fenda com as mãos para o meu pau. Lúcia se masturbava e estava alucinadamente ensopada!
Stella de quatro, com as duas mãos, deixava bem a mostra sua deliciosa fenda e seu orifício do prazer. Mordisquei sua bunda e passei minha boca e língua, em seu orifício de prazer, fazendo-a, gemer alto e se contorcer de tesão!
Desci com minha boca, até seus lábios, beijando-os, chupando-os suavemente, ato continuo, até seu clitóris, inchado e muito duro!

Stella gemia alto, sem parar, e Lúcia abafava seus gemidos, mordendo o punho.
Levantei e passei meu pau que latejava na fenda ensopada de Stella batendo com ele e esfregando suavemente em seu clitóris, que parecia querer explodir de tão duro!
Meu pau babava sem parar, quando coloquei ele todo, de uma vez, na fenda quente e pulsante de Stella!
Stella gritou e se contorceu toda!
Comecei a socar com vontade meu membro de veias saltadas, quanto mais eu socava, mais Stella gritava, urrava, e Lúcia se masturbava, e apertava seus seios!
Lúcia passava a língua em seus lábios, todo molhado, mordendo-os!
Continuava a socar a fenda quente e ensopada de Stella, Lúcia parecia que gozaria a qualquer momento. Socava forte e fundo meu pau todo em Stella, Lúcia olhava alucinada de prazer!
Foi quando Stella anunciou em alto e bom-tom, que iria gozar, Lúcia apertou meu braço com força, cravando suas unhas nele. Elas, gozaram juntas!
Assim que Stella gozou, tirei meu pau todo gozado de sua fenda e passei em seu orifício do prazer, fazendo Stella urrar!
Lúcia não se conteve, e se aproximou ainda mais, para ver bem de perto o que estava para acontecer.
Na posição que Lúcia estava, se não tomasse cuidado, Stella sentiria sua respiração ofegante!
Peguei forte nos cabelos de Lúcia, e a aproximei ainda mais, enquanto colocava meu pau no orifício de prazer de Stella. Enquanto eu colocava meu membro latejante, Stella gritava de dor e prazer!
Meu pau entrava com dificuldade, no orifício apertado e piscante de Stella. Lúcia se contorcia toda e não parava de tremer! Stella gritava e rebolava gostoso!
Já com metade do meu pau em seu orifício aumentei as estocadas, com movimentos curtos e mais fortes, forçando a entrada dele todo!
Lúcia quase me arrancava sangue do braço, com suas unhas, cravadas nele!
Meu pau já estava todo dentro, estava quase explodindo! Socava forte e fundo o orifício de prazer de Stella.
Nessa hora, Lúcia se levantou passou a mão no meu peito e veio sedenta para me beijar!
Afastei-me devagar, desviando a boca até seu ouvido, passei a língua nele, e disse:
– Ainda não! – Aqui, quem manda sou eu! – Só está começando!
Lúcia quase desfaleceu, suas pernas ficaram bambas, ela tremia o corpo todo. Não aguentava mais de tesão!
Ela se colocou em minhas costas, com os bicos tão duros que quase me furavam!
Virei Stella, e com força à posicionei alguns centímetros do meu pau.
Stella com a boca aberta, língua para fora, louca para receber meus jatos!
Lúcia as minhas costas, mordeu minha orelha e disse sussurrante:
– Goza para nós! – Quer ver seus jatos, fortes e volumosos!
Não aguentei ouvir isso e explodi, espirrando jatos na cara, boca e peitos de Stella!
Lúcia me abraçava por trás, com seus peitos e bicos duros e me apertava com tesão!
Stella continuou chupando, mamando, sugando, cada gota do meu líquido!
Lúcia me beijou a nuca, mordeu suavemente e se afastou saindo do quarto.
Deitei Stella na cama e abri suas pernas, agora é a minha vez de fazê-la explodir em minha boca!
Stella com um tesão incontrolável, gemia alto, parecia pressentir o que acabara de ocorrer…
Chupar Stella me fazia delirar, saber que a faria explodir em minha boca, me deixava louco!
Não demorou para Stella explodir, gritos alucinados e uma explosão muito intensa, forte, chegando a espirrar seu líquido!
Deitamos do jeito que estavamos, estafados, exauridos, com aquela deleitosa noite!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.