O dia em que dei pra 4

O conto erótico que escrevo é real. Tenho 34 anos, sou bi. Sou alto, sou um pouco gordinho, mas sou bem bonito, além de ter uma bunda gostosa.

Sexo Por Telefone

A história começou na madrugada. Eu havia chegado em casa de uma festa, bebado e cheio de tesão. Tinha cheirado um pouco de cocaína, o que aumentava ainda mais meu tesão.
Eu tinha o contato de um garoto de programa que havia saido uma vez. Não costumo fazer isso, mas acabei experimentando uma vez, e o cara era bem gato e gostoso. Como estava louco de tesão, mandei mensagem pra ele, perguntando se ele estava afim. Ele logo respondeu e falou que em meia hora chegava na minha casa.


Tomei banho, me preparei e logo ele chegou. Rapidamente levei ele pro quarto, tiramos a roupa e comecei a mamar ele. Seu pau devia ter uns 18cm, não tão grosso, mas bem gostoso. Mamei por uns 20 minutos. Senti que ele iria gozar. Ele pegou a camisinha e colocou. Eu fui por cima dele e sentei devagar naquela rola. Aos poucos foi entrando, até que já estava sentindo as bolas dele na minha bunda. Fiquei fudendo aquele pau com a minha bunda um tempo. Ele me tirou de cima dele e me colocou de frango assado. Nossa, eu dei um grito quando ele enterrou o pau lá no fundo. Me comia gostoso, chupava meus mamilos. Eu apertava a bunda dele contra o meu corpo pra ele meter lá no fundo. Ficamos assim um tempo e ele me virou e mandou ficar deitado. Logo senti aquela rola de novo no meu rabo. Ele metia muito gostoso. Ficou assim um tempo e disse que ia gozar. Eu me virei, deitei na cama de frente pra ele, tirei a camisinha e ele ficou punhetando na minha boca até que enfiou o pau na minha boca e encheu ela de porra. Logo ele se vestiu e foi embora.

Eu fui dormir ainda louco de tesão. Acordei no domingo, perto das 10h e fui pro bate papo da UOL, precisava de outro macho. Eu acordei querendo dar pra todo mundo que quisesse me comer.

Logo achei um casado, uns 37 anos, que trabalhava próximo. Ele perguntou se eu não queria dar pra ele ao meio dia. Marcamos e ele veio. Era de estatura mediana, um pouco gordinho, mas bonito. Fomos pro quarto, ele foi tirando a roupa, eu também. me sentei na cama com ele em pé e comecei a mamar ele. Seu pau era grosso, mas não muito grande. Ele disse que tinha pressa e queria fuder meu rabo. Peguei a camisinha, coloquei nele, fiquei de quatro e disse pra ele meter. O pau dele era grosso, meu cuzinho tinha dado da madrugada, mas ainda doeu um pouco pra entrar. Mesmo assim eu só virei o pescoço e disse pra ele : Vai, pode fuder esse rabo. Ele metia forte, dava pra sentir as bolas batendo no meu rabo. Ele dizia que era louco por cu, e que fazia tempo que não comia o da mulher dele. Depois de uns minutos bombando no meu rabo ele disse que ia gozar. Falei: “quer me dar leite na boca?”. Ele disse: não, quero gozar nesse rabo. Ele disse isso e deu pra sentir o volume aumentando no meu cú. Eu adoro uma rola grossa. Foi uma foda muito gostosa, apesar de rápida.

Tomei banho, almocei e voltei pro bate papo. Estava decidido que queria fuder o dia todo. Encontrei um cara de uns 24 anos, negro, que tinha namorada. Perto do fim da tarde ele apareceu. Devia ter 1,70, magro, e um cacete normal. Mesma coisa, fomos pro quarto, tiramos a roupa e ele já meteu o pau que estava bem duro na minha boca. Me fazia engolir tudo. Fudeu mesmo minha boca. Depois de um tempo levando aquela rola na boca, deitei ele na cama, coloquei a camisinha e sentei no pau dele. Ele apertava minha bunda e eu sentava forte no pau dele. Depois ele me colocou de quatro e me fudeu bastante. Que coisa boa ter a sensação de estar dando pra mais um macho no mesmo dia. Eu queria mais e ele me fudeu bastante. Tirou a camisinha e disse: abre a boca que eu vou te encher de leite. Eu abri bem a boca e logo senti aquele leite por toda minha cara. Ele se vestiu e foi embora.

O melhor estava reservado pra noite. No fim da tarde voltei pro bate papo. Queria dar mais. Era muito tesão e estava gostando de ser patinha de vários machos no mesmo dia. Depois de um tempo aparece um cara com o nick “22cm”. Eu sempre desconfio quando os caras dizem que são muito dotados. Puxei conversa e ele logo perguntou se eu aguentava levar um cacete de 22cm e grosso sem reclamar. Ele disse que tinha um namorado, mas que ele estava viajando e por isso ele queria um cú pra poder gozar. Eu disse que aguentava sem problema, que ele podia me usar pra gozar e que eu não ia reclamar do tamanho. Já era quase fim de noite quando ele apareceu. Ele entrou, apertou minha mão e elogiou minha bunda: nossa, essa bunda vai aguentar meu pau sem reclamar, e deu um tapa na minha bunda. Fomos pro quarto. Ele era um tesão. Quase 1,90, meio forte, me pegou, tirou minha camisa e chupou meus mamilos. Eu logo botei a mão no pau dele por cima da calça e deu pra ver que o volume era grande. Eu tirei o resto da minha roupa e ele também. Quando ele tirou a cueca, me espantei. Uma rola bonita, balançando, enorme, e nem dura estava. Ele deito na cama e disse: Vai, mete esse pau da boca e deixa ele duro que eu vou arrombar o teu cuzinho. Eu cai de boca naquela rola. Mal conseguia engolir direito e logo ela foi ficando dura e mais grossa ainda. Eu chupava aquela cabeça só imaginando aquilo entrando no meu cu. Ele levantou, mandou eu ficar deitado na cama, de bruço, encapou aquela rola enorme e começou a roçar aquela cabeçona enorme na porta do meu cuzinho, que já estava todo laciado de tanto dar naquele dia. Ele forçou um pouco e logo a cabeça escorregou pra dentro do meu cú. Ele perguntou se podia enterrar no meu rabo e eu disse : sim, pode fuder esse rabo sem medo. Ele ouviu aquilo e enterrou a rola toda. Eu fiz um gemido de dor, mas mandei ele continuar. Nossa, meu cú logo se adaptou aquela rola enorme dentro. Eu estava todo arrombado, meu cú parecia uma buceta, aguentava qualquer pau. Ele metia e dia: “assim que eu gosto, bundão com cuzinho guloso, que aguenta minha rola e ainda gosta. Não tinha como não sentir prazer com aquilo enterrado no rabo. Ele realmente me fudeu de quatro. Com vontade. Ele me virou e eu fiquei de frango assado. Ele veio por cima e enterrou de novo aquela rola. Nossa, eu sentia aquele cara todo dentro de mim. Eu comecei a me masturbar e falei pra ele : eu vou gozar com esse teu pau enorme no meu rabo. Ele disse, goza que eu logo vou gozar nesse cú grande. Foi muito bom, gozar com uma rola gigante me fudendo. Eu gozei muito. Ele começou a bombar mais forte e logo em seguida gozou. Nossa, eu não aguentava mais fuder. Aquela rola de 22cm tinha conseguido apagar meu fogo. Ele se vestiu e disse que se algum dia precisasse esvaziar a mamadeira, ia me ligar, pq gostava de caras assim, sem frescuras com pau grande. Mal sabia ele que eu já tinha trepado o dia todo e estava todo arregaçado.

Ao fim do dia eu estava cansado mais muito satisfeito. Um dia desses repito uma maratona assim,

Disk Sexo

5 thoughts on “O dia em que dei pra 4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *