A puta casada

Meu nome é Leonardo e quero falar sobte uma garota que conheci. Nina era uma delícia. Eu a conheci no ensino médio, a escola toda reparou na aluna nova, uma morena linda que tinha uma bunda que até os professores babavam. Ela se mudou com a mãe que trabalhava a noite e deixava a filha soltinha. Nina era bem safada e adorava provocar. Apesar do tesão que sentia por ela, fiquei na minha pq tinha namorada. Como puta safada que era ela veio atrás de mim e não resisti: comia putinha de noite e ficava de beijinhos com a namorada oficial de dia. Até que Nina em uma briga jogou na cara da esnobe da minha namorada a verdade. Perdi a namorada mas não briguei com a Nina: ia perder a chance de foder aquela buceta gostosa? Como um “prêmio” ela me deixou comer o cu dela…Foi maravilhoso. Ganhei uma transa constante durante anos.

LibidGel

LibidGel

O tempo passou, outras namoradas vieram, mas meu pau sempre visitava aquela buceta e bunda gostosas que não tinham dono: Nina era puta da cidade dava com gosto, ficou famosa em um bar da região por fazer boquete no banheiro masculino. Quase todos os meus amigos pegaram ela mas a coisa ficou feia quando um cara colocou na rede um vídeo de Nina dando o cu. Foi um escândalo e ela fugiu da cidade. Passei anos sem vê la. Coisa do destino, a encontrei em um resort na Bahia. Estava lá por cortesia da empresa, eu e mais 4 colegas da minha equipe, foi um prêmio que ganhamos,e foi um deles que chamou a minha atenção para a gostosa de biquíni azul. Era Nina. Linda, gostosa, bronzeada. Meu pau reagiu de imediato. Aproveitei um momento em que saiu da piscina e cheguei nela, apesar do meu amigo me alertar sobre

a aliança. Não pareceu feliz ao me ver. Dizia que o passado estava morto e que era uma mulher casada e fiel, inclusive estava ali comemorando 5 anos de casamento. “Está me dizendo que a buceta mais gulosa que conheci está a 5 anos se contentando com o mesmo pau?” Era difícil de acreditar, Nina tinha nascido para dar. “Ela deve estar faminta…e o meu pau está disponível”. Fui direto pq a Nina que conhecia não era de enrolação e na boa? Ela era deliciosa demais para que eu perdesse tempo. Nina ficou vermelha e saiu de perto, mas eu vi o desejo nos seus olhos. Os caras chegaram em mim perguntando se eu tinha levado um fora e eu respondi que ia comer ela. Não acreditaram em mim. Apostei. Não foi difícil descobrir o número do quarto dela e ao telefone pus as opções: ou eu fodia ela ou fodia o casamento dela mandando um bilhete para o marido com o endereço onde estava o vídeo, que ainda circulava em alguns sites. Combinamos no meu

quarto logo de manhã pq o marido ia sair numa excursão de pesca. Chegou brava, nervosa e falando um monte, cortei logo: “Nina pode parar de fingir, de se fazer de recatada e seja você…Eu sempre gostei da puta que vc é, pq vc não aproveita ?” Tirei o short e coloquei o pau pra fora – os olhos da vadia brilharam. Aí a verdadeira Nina apareceu, ajoelhou e começou a mamar a minha pica com vontade. “Isso cadela”. Segurei a cabeça dela e a fiz sugar meu pau até perder o fôlego. Então a coloquei na cama e acariciei a bucetinha toda molhada. “Me come” ela pedia. Obedeci. Nina pedia para socar mais forte e deduzi que o marido devia ser do tipo romântico. “Seu marido não te come assim?”. Ela negou com a cabeça. Socava a buceta faminta e dava uns tapas na cara dela. Gozou fácil, como se estivesse há muito tempo na seca. “Me diz o que ele

não faz que eu vou te dar putinha”. Pra minha surpresa Nina pediu pra foder o cu dela. Não acreditei que o marido não comesse aquela bunda maravilhosa! Coloquei ela de 4 na cama e disse a ela: “Um homem que tem uma bunda dessa em casa e não fode merece levar chifre”. Fodi sem dó fazendo a cadela gritar de prazer. “Abre essa bunda que vou enfiar até aa bolas”. Nina apoiou o rosto na cama e com as mãos segurou as bandas me dando mais acesso pra meter. Detonei o seu cuzinho. Arregacei todos os seus buracos, o marido ia encontrar a esposa fiel arrombadinha. Bem feito para o trouxa. “Vou gozar no seu cu” ela disse que não mas eu insisti : “Vou sim cadela, esse cu tá com sede de porra”. “Então goza nesse rabo de puta”. Gozei e ela também. Só quando o meu pau cansou eu deixei ela ir tomar banho pra voltar pro quarto dela. Nina fez um biquinho com a carinha suja de porra. Estava diferente. Gostosa como sempre mas parecia uma

devassa… Mandei uma mensagem para os caras enquanto ela tomava banho, queria exibir o meu troféu, pedi para esperarem do lado de fora do quarto. Sai atrás dela, com a mão na bunda dela. Ela estacou surpresa ao ver os caras. Apresentei Nina sem tirar a mão daquela bunda como se dizesse aos caras “sim, eu fodi aqui”. Disse que ela precisava ir, dando um beijo molhado de despedida. A vadia nem ficou vermelha, sabia o que eles estavam pensando. Mesmo limpa ainda parecia uma devassa, uma puta pronta pra dar. Ela saiu pelo corredor rebolando gloriosamente. Ganhei a aposta e me perguntei se o marido ao voltar da pesca perceberia que tinha uma casado com uma piranha. Voltei pra SP e uns 5 meses depois recebi uma mensagem dela dizendo que ia passar uns dias em SP e queria me ver no hotel. A Nina que encontrei no hotel me recebeu de lingerie preta. Claro que comi a vadia de novo, descobri que continuava casada mas que fazia viagens constantes para longe da cidade pra fazer compras e enquanto gastava o dinheiro do marido ela colocava muitos chifres nele. Ela dizia que a culpa era minha, que tinha despertado a puta nela, mas a verdade é que Nina era muito mais feliz assim e todos os homens do mundo, exceto o marido corno, também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *