Virei a Putinha safada do meu Cunhado

Bom dia! Me chamo Andreia, tenho 19 anos, sou morena, cabelo na altura dos ombros, olhos cor de mel, seios médios, bumbum bem grande e um corpo normal, pois não tenho tempo de ir para academia devido estar trabalhando muito.
Bom, a exato 3 anos eu namoro Joaquim. Um menino muito trabalhador sabe… E muito lindo também. Eu sempre fui completamente apaixonada por ele, afinal, ele tinha sido o primeiro e único homem da minha vida, mas essa história mudou totalmente, e foi exatamaente com o irmão dele, e isto tudo conto agora para vocês.
Como meu namorado tem o teu próprio quarto, eu sempre durmo nos finais de semana na casa dele, e foi justamente em uma sexta-feira que eu acabei saindo mais cedo do trabalho. Como eu tinha uma cópia da chave da casa dele, fui direto para lá, pois assim eu tomaria um banho e dormiria um pouco enquanto ele não chegava. Ao chegar lá notei um silêncio imenso, então gritei pelo meus sogros.

Sexo Por Telefone

Sogrinhos? Vocês estão ai?

Chamei, chamei, chamei e nada deles responderem, então eu deduzir que eles tinham saido, em seguida fui para o quarto do meu namorado tomar um banho. Tirei minha roupa, liguei o chuveiro e deixei aquela àgua cair em meu rosto, tirando todo aquele cansaço do meu corpo.
Terminei o meu banho e me sequei, colocando uma camisolinha bem curta e uma lingerie vermelha por de baixa, pois queria fazer uma supresinha para o meu namorado quando ele chegasse. Fui para o quarto e apaguei, só acordei quando sentir uma mão alisando meu bumbum e sussurando bem baixinho no meu ouvido.

Oi minha gostosa, cheguei tá? Vou tomar um banho rapidinho e já volto!

Ainda sonolenta respondi: Tá bom amor! Vai lá!. Depois de quase 20 minutos meu namorado retornou para o quarto enrolado na toalha, já me olhando com cara de safado, deixando a mostra a tua excitação por de baixo da toalha.
Comecei a olhar em teus olhos mordendo os lábios, balançando o meu bumbum bem devagar. Neste momento ele foi se aproximando do lado da cama, e ainda de pé, me segurou pelo cabelo, tirou a tua toalha e me fez engolir todo o teu membro, gemendo como louco de tanto prazer.

Comecei a lamber bem devagarinha pontinha, olhando para ele e perguntando?

Você gosta quando a tua safadinha faz isso? Gosta meu cachorro?

Ainda gemendo ele disse: Eu adoro quando você faz isso amor! Não para vai! Continua minha gostosa.

Eu já estava completamente louca de tanto tesão, então não perdi tempo e comecei a sugar o teu membro com força, já pronta para deixar ele bem duro para ele me penetrar sem dó.

Logo depois de deixá-lo completamente excitado, me levantei e fiquei de 4 para ele na beirada da cama, rebolando e dizendo: Vai! Acaba comigo, me pega com força.

Meu cunhado então perguntou o que o irmão dele tinha feito, pois ele não gostava de me ver triste.

Respondi que não era nada demais, e que logo passaria. Fiquei conversando com ele um pouco na sala, até que meu namorado resolveu descer para, onde pedimos uma pizza juntos com o irmão dele e comemos. Como Joaquim trabalha no sábado também, nos despedimos do meu cunhado e fomos para o quarto, onde rapidamente meu namorado acabou dormindo, me deixando falando sozinha.
O calor era demais, eu rolava para um lado, rolava para o outro, e nada de o sono vir. Olhei no relógio e os ponteiros marcavam 02: 00 da madrugada, então resolvi ir até a cozinha tomar um copo de água, pois estava morrendo de sede. Ao chegar lá acabei dando de cara com o meu cunhado totalmente nu, me deixando de coração acelerado.
Eu nã sabia se voltava ou se continuava, era uma situação totalmente desconfortável. Meu cunhado sem graça com toda a situação, imediatamente pediu desculpas, retornando em seguida para o teu quarto correndo. Ainda sem graça tomei minha água e fui para o quarto, lembrando da cena que tinha acabado de ver. Tentei tomar o ar e me deitei novamente para dormir, pois já estava ficando muito tarde. No outro dia pela manhã levantei cedo e me vi sozinha na cama, então aproveitei para tomar um banho para despertar. Durante o banho só me vinha na mente o meu cunhado nu, com aquele corpo todo definido e depilado, com aquele membro enorme e grosso, nossa… Até suspirei alto.
Meu namorado ouvindo o meu pedido não perdeu tempo e me penetrou de uma vez, arrancando de mim um enorme gemido.

Nossa! Que tesão me deu sentir todo aquele membro dentro de mim.

Meu namorado percebendo o meu imenso tesão, me segurou com força pela cintura e começou a estocar cada vez mais forte, enquanto eu gemia e dizia: Isso! Vai! Não para! Que delícia.

Eu estava pirada de tanto prazer que eu sentia naquele momento, e quando eu já me preparava para trocar de posição meu namorado não segurou o tesão e liberou todo o teu jato dentro de mim, não conseguindo ficar me penetrando por mais de 10 minutos.
Totalmente frustada olhei para o meu namorado e disse: Relaxa amor, deita ai que te animo de novo.
Ele então me olhou e respondeu: Deixa para depois! Tô com fome e cansado!
Completamente brava me arrumei e fui para a sala, deixando ele sozinho no quarto.
Ao chegar na sala encontrei meu cunhado com a ficante dele, uma loira muito bonita e muito mais velha que ele. Meu cunhado tem 30 anos, um moreno muito lindo, olhos castanhos, boca carnuda e muito forte, pois treina na academia todo dia. Não é a toa que ele só namora mulheres mais velhas, afinal, eu sempre achei ele um tesão. Bom! Meu cunhado me apresentou a ficante dele que já estava de saída e depois retornou para a sala, pergutando se eu estava bem, pois estava com cara de brava.

Rapidamente respondi que sim, e que o irmão dele era o culpado.

Meu cunhado então perguntou o que o irmão dele tinha feito, pois ele não gostava de me ver triste.

Respondi que não era nada demais, e que logo passaria. Fiquei conversando com ele um pouco na sala, até que meu namorado resolveu descer para, onde pedimos uma pizza juntos com o irmão dele e comemos. Como Joaquim trabalha no sábado também, nos despedimos do meu cunhado e fomos para o quarto, onde rapidamente meu namorado acabou dormindo, me deixando falando sozinha.

O calor era demais, eu rolava para um lado, rolava para o outro, e nada de o sono vir. Olhei no relógio e os ponteiros marcavam 02: 00 da madrugada, então resolvi ir até a cozinha tomar um copo de água, pois estava morrendo de sede. Ao chegar lá acabei dando de cara com o meu cunhado totalmente nu, me deixando de coração acelerado.

Eu nã sabia se voltava ou se continuava, era uma situação totalmente desconfortável. Meu cunhado sem graça com toda a situação, imediatamente pediu desculpas, retornando em seguida para o teu quarto correndo. Ainda sem graça tomei minha água e fui para o quarto, lembrando da cena que tinha acabado de ver. Tentei tomar o ar e me deitei novamente para dormir, pois já estava ficando muito tarde. No outro dia pela manhã levantei cedo e me vi sozinha na cama, então aproveitei para tomar um banho para despertar. Durante o banho só me vinha na mente o meu cunhado nu, com aquele corpo todo definido e depilado, com aquele membro enorme e grosso, nossa… Até suspirei alto.

Meus pensamentos viajavam durante o banho, pensando como seria ser penetrada pelo meu cunhado.
Eu sabia que esses pensamentoa eram errados, mas o fato do meu namorado não me satisfazer por completa estava me matando, me deixando sempre na vontade de algo a mais, algo diferete… Enfim.
Terminei o meu banho, me enrolei na toalha e fui para o quarto me secar. Bom, estava eu me secando quando ouço alguém batendo na porta, me chamando pelo nome.
Andreia? Você está ai?
Rapidamente reconheci que era a voz do meu cunhado, e ainda enrolada na toalha, abrir um pouco a porta e totalmente sem graça perguntei.
O que foi? Aconteceu alguma coisa Fernando.
Meu cunhado rapidamente respondeu: Não não, é que eu gostaria de pedir desculpas para você por ontem, foi erro meu andar pelado pela casa, desculpas mesmo.
Com muita vergonha respondi: Sem problemas, não precisa se desculpar.
Meu cunhado então sorriu e perguntou se poderia me dar um abraço, para selar o pedido de desculpas.
Sorrindo respondi que teria que ser um abraço rápido, pois tinha acabado de sair do banho e ainda estava de toalha, e alguém poderia ver também. Ele então me olhou e com uma cara de cafajeste respondeu: Não precisa se preocupar, meus pais não estão em casa, e o meu maninho foi trabalhar né! Então te dar abraço não tem problema nenhum. Fernando então empurrou a porta e entrou no quarto, me dando um abraço bem forte e demorando, me deixando totalmente sem graça.

Eu estava fora de mim, pois onde já se vou abrir a porta do quarto para o meu cunhado entrar, e ainda mais estando de toalha. O abraço dele era tão bom, ainda mais sentindo aquele perfume gostoso que ele usava, nossa, que homem cheiroso. Enquanto ele me abraçava eu só lembrava na imagem dele nu, onde me veio logo o tesão, fazendo com que os bicos dos meus seios ficassem acessos na mesma hora. Após o término do teu abraço cruzei os braços rapidamente para que ele não me visse daquele jeito, pois não queria que ele soubesse do meu tesão por ele. Fernando então me olhou de cima em baixo e disse: Melhor eu ir embora, se não vou acabar cometendo uma loucura aqui. Completamente surpresa olhei para ele sem graça e perguntei: Como assim Fernando? Que loucura?
Meu cunhado então sorrindo, encostou a porta do quarto, se aproximou de mim, colocou uma mão na minha cintura e a outra na minha nuca, “roubando” de mim um beijo. Eu mal conseguia me mexer, apenas fui conduzida pelo meu cunhado, que foi me beijando loucamente e intensamente, me fazendo esquecer que eu era comprometida com o irmão dele. Fernando sabia como deixar uma mulher atiçada, onde após me beijar, encostou tua boca perto do meu ouvido e foi dizendo: Você é um tesão de mulher, e tem uma boca muito gostosa.
Ainda desorientada olhei para ele e disse: Melhor você sair! Eu nem devia ter deixado você entrar.
Fernando então me segurou pelas mãos e me beijou novamente, soltando em seguida a minha toalha, deixando-me completamente nua.
Neste momento eu já tinha perdido completamente o controle da situação, entrelaçando meus braços entre teu pescoço. Enquanto fernando me beijava, tua mão deslizava pelo meu bumbum, fazendo eu ir às nuvens. Estar ali sendo dominada por ele era loucura demais, mas ao mesmo tempo era excitante, e eu adorava o perigo. Meu cunhado percebendo a minha falta de juízo, parou de me beijar, se agachou no chão e pegou a toalha, vendando meu olhos com ela, me deitando na cama em seguida.

Eu estava em transe deitada ali na cama, toda vulnerável ao meu cunhado, louca para saber o que ele iria fazer.
Como eu estava com a toalha vendando meus olhos, ouvir meu cunhado dizendo: Nossa! Que delícia! Em seguida ele subiu na cama, segurando minha perna com tua enorme mão, beijando meus pezinhos lentamente. Meu corpo se arrepiou todinho, minha respiração ofegante não negava o meu tesão. Fernando beijava e passava a lingua no meu pé, arrancando gemidos altos de mim. Eu já estava toda mole de tanto prazer que eu estava sentido, foi então que fernando abaixou minha perna na cama novamente e abriu minhas pernas, revelando a minha menininha pequena e depadinha para ele.
Fernando então enfiou tua cabeça entre as minhas pernas e começou a beijar a minha coxa, me fazendo gemer e dizer:
Ai fernando! Isso é loucura, aiiii, para por favor, não faz isso comigo…. Aiiiiinnn.
Fernando não atendendo o meu pedido continou beijando a minha coxa, deslizando tua lingua até a minha virilha, me fazendo nesta hora gemer como uma boa safada. Sentir a tua lingua me lambendo era a melhor sensação do mundo, afinal, meu namorado não fazia isso mim. Fernando foi subindo cada vez mais, até que finalmente sentir a tua lingua tocando a minha menininha bem devagar, deixando meu corpo ardendo em chamas. Meu tesão era demais, então como que automaticamente coloquei minhas mãos em teus cabelos, enquanto tua lingua molhada deslizava em mim.
Naquele momento minha mente já raciocinava mais, e eu já não tinha mais o controle do meu corpo, totalmente exposta ao meu cunhado, onde fui completamente deliciara pela a tua boca.
Fernando passava a língua na minha menininha de um jeito tão louco, que eu gemia alto para ele, sequer lembrando que eu era casada com o irmão dele.
Entre uma lambida e outra, Fernando me sugava loucamente, intercalando com o teu dedo, penetrando ele devagarinho em mim, deixando-me totalmente úmida.
Sentir teus dedos em mim foi mágico, fazia tempo que eu não tinha uma preliminares tão gostosa.
A cada estocada que ele me dava com o teu dedo, mas eu gemia, me contorcendo todinha na cama, feito uma gata no cio.
Em um certo momento meu cunhado parou os movimentos com os dedos, se levantou da cama e ficou de pé na beirada, puxando-me para perto de ti. Eu estava morrendo de medo de alguém chegar e pegar a gente no flagra, então olhei para ele e disse: Melhor a gente parar, daqui a pouco teus pais e teu irmão chega.
Fernando completamente em êxtase me olhou e disse: Xiu, ninguém vai saber, relaxa!
Em seguida sem proteção nenhuma, pegou teu mastro duro e enorme e começou a alisar a minha menininha, me levando ao delírio.
Enquanto ele esfregava teu mastro em mim, ele ia dizendo muitas safadezas para mim:
Que delícia! Vou penetrar essa menininha sem dó, vou acabar com ela sua safada.
Eu amava ouvir besteirinhas, e como também não sou santa respondi: Isso, acaba com ela vai, acaba com a safadinha do teu irmão, mostra pra esse corno como se faz.
Eu gemia como louca, enquanto Fernando alisava a minha menininha com bem devagar, quase me fazendo implorar para ele me estocar sem dó.
Enquanto ele me provocava com teu mastro, teus dedos adentravam minha boca, chupando eles bem rápido, imagino teu mastro dentro da minha boquinha. Eu estava pronta e preparada para ele me penetrar, então segurei o teu mastro com a minha mão e disse: Vai, penetra ele logo! Me bomba com força.
Fernando então direcionou o teu membro que grande na minha entradinha e quando finalmente ele iniciou a penetração, ouvimos o barulho da porta se abrindo, onde ele apenas pegou tuas roupas jogadas no chão e correu para o teu quarto, pois poderíamos se pegos no flagra.
Eu rapidamente me enrolei na toalha e fiquei na minha, tentando ouvir por de trás da porta quem é que tinha chegado. Depois de uns 5 minutos escutei a voz dos meus sogros, onde fiquei um pouco aliviada e também muito brava, pois eu estava morrendo de tesão.
Como meu namorado ainda iria chegar, resolvi ir para o banho de novo, onde me toquei gostoso, imaginando o gostoso do meu cunhado me penetrando bem forte, me deixando ainda com mais vontade dele.
Depois do banho me arrumei e fui para a sala ver TV, onde acabei encontrando a “namoradinha” do meu cunhado agarrada com ele vendo no sofá. Ao ver aquela cena fiquei muito brava por dentro, morrendo de ciúmes daquela velha chata.
Só de bronca eu me sentei no outro sofá e fiquei de vela, doida para ela ir embora, pois eu não queria que ela subisse para o quarto dele. Mas como querer não é poder, toda a minha vontade foi em vão, onde rapidamente se levantaram e foram para o quarto, fazendo meu sangue ferver de raiva.
Eu estava muito brava, pois era para eu estar no lugar dela, sendo beijada por ele intensamente, mas ao contrário eu tinha um namorado mole, que não me satisfazia de verdade.
Bom! Depois de uns 20 minutos ali na sala, resolvi ir me deitar um pouco, mas ao passar pela porta do quarto do meu cunhado escutei um gemido. Me aproximei e resolvi espiar pela fechadura para saber o que eles estavam fazendo.
Ao espiar pela fechadura tive uma enorme surpresa, pois os dois estavam fazendo um amor intenso na cama, com a namoradinha dele já de 4 na cama, com todo o membro do Fernando dentro dela, a segurando pelo cabelo firmemente, enquanto ele gemia gostoso para ele, como se os dois estivessem sozinhos em casa.
Presenciar aquela cena me deixou abismada, mas também ao mesmo tempo puta de raiva, pois era eu quem devia tá no lugar dela.
A namoradinha dele estava em êxtase, rebolando o teu bumbum grande e duro no membro dele, me deixando morrendo de ciúmes. A minha vontade era de entrar lá e bater nela, pois ele tinha me deixado morrendo de tesão, mas era ela quem estava sendo penetrada bem gostoso por ele. Eu já estava ali à quase 10 minutos, foi então que Fernando tirou teu mastro de dentro dela, a puxou pelo cabelo até o teu mastro e melou todos o rosto dela com teu mel, colocando teu membro na boca dela em seguida, fazendo ela limpar ele todinho. Depois disso eu corri para o meu quarto, não acreditando no que tinha presenciado. Me sentei na cama e tentei recuperar o fôlego, pois presenciar eles dois a cama foi muito para mim.
Depois disto eu me deitei na cama e cai no sono, acordando só de tardezinha com o meu namorado me chamando pelo nome, avisando que já tinha chegado e que iria tomar um banho.
Depois de uns 15 minutos meu namorado saiu do banho enrolado na toalha e veio até mim, nesta hora imaginei que ele iria me deitar e um beijo e me pegar gostoso ali mesmo, mas como sempre ele resolveu estragar tudo, reclamando que estava cansado e que iria se deitar um pouco, e que quando fosse mas tarde acordaria para me dar atenção. Olhei para ele brava, me levantei e sair do quarto, deixando aquele mole dormindo sozinho. Como ainda era cedo, e minha casa não era tão longe, resolvi ir até lá para esfriar a cabeça, pois estava precisando relaxar a mente. Quando eu estava saindo no portão, meu cunhado estava chegando de carro e me viu, me chamando rapidamente pelo nome e perguntando onde eu iria. Respondi que precisava esfriar a cabeça e que estava indo até a minha casa.
Meu cunhado me olhou cheio de maldade e me ofereceu uma carona, eu obviamente aceitei, entrando em teu carro.
Teu olhar não negava, ele estava com segundas intenções, e como eu também estava louca por ele, paguei pra ver até onde iríamos com aquele jogo. Durante o caminho até a minha casa Fernando foi até que respeitador, apenas conversando comigo na boa, dizendo para eu não ficar triste, pois eu não merecia chorar pelo irmão dele, sabe…. Aquele papinho de homem conquistador.
Tudo ocorria normalmente, até que percebi Fernando desviando o caminho, me pegando de surpresa. Questionei ele perguntando para onde ele estava me levando, ele me olhou e apenas disse para eu confiar nele, pois estávamos indo para um lugar muito bom. Neste momento meu coração acelerou, já me fazendo imaginar besteirinhas.
Continuamos o nosso papo normalmente, até que ele embicou o carro na entrada de um motel, deixando-me com muito medo, mas também com muito tesão. Após estacionar o carro na garagem, Fernando alisou minha nuca com tua mão e me disse: Agora podemos terminar em paz o que começamos lá em casa, me dando um longo beijo ali mesmo, me deixando sem ar.
Mal tínhamos descido do carro, e o nosso tesão explodia como dois adolescentes na puberdade. Nos beijávamos como dois loucos, mal tínhamos chegado no quarto, e Fernando já batia com tua mão no meu bumbum, me fazendo ficar cheio de tesão.
Aquilo tudo era doido demais, mas eu estava muito carente, e meu cunhado me instigou de um jeito que eu não resisti.
Ao entrarmos no quarto meu cunhado já foi me beijando, em segurando bem forte pela cintura, encostando aquele mastro duro em mim. Eu estava louca para cair de boca naquele mastro duro, pois ainda não tinha provado o sabor dele. Meu tesão era tanto que eu não hesitei em lhe pedir bem baixinho no ouvido dele;

Ei safado, deixa eu cair de boca nesse membro gostoso? Deixa?

Meu cunhado então arrancou minha roupa todinha, me deixando peladinha para ela. Em seguida ele mandou eu lhe esperar na hidro, enquanto ele pedia algo para a gente beber. Não demorou muito para o meu cunhado ir até mim totalmente nu, segurando duas taças de vinho na mão, com teu mastro já de pé, me fazendo lamber os lábios de tanto tesão.
Eu estava louca para enfiar ele na minha boca, e meu cunhado safado como é, me deu a taça de vinho para eu tomar, me deixando mais soltinha do que já tava. Minha meninininha estava toda melada e piscando doida pra cavalgar naquele mastro duro. Para não perder tempo virei de uma vez a taça de vinho, sorrindo para o meu cunhado e dizendo: Agora você vai ser todo meu!
Em seguida ele se sentou na hidro e eu me ajoelhei de frente ele, caindo gulosamente em teu mastro grosso. Nossa! Que tesão de mastro era aquele, mal cabia na minha boca, tive que ir empurrando ele devagarinho, pois era muito grosso e grande. Aos poucos o vinho foi fazendo efeito, e junto com ele veio a minha safadeza oculta, onde eu ia provando teu mastro e dizendo olhando para ele: Nossa! Que mastro gostoso! Quero que você enfie ele em mim com força tá? Hoje quero ser judiada sem dó seu gostoso.
Tuas mãos percorriam por todo o meu seio, teu mastro me estocava com força, e meu bumbum batia com força em tua perna, numa frenética cavalgada.
Eu estava toda suada de tanto que eu pulava em cima do teu mastro, e minha menininha estava toda vermelha, pois Fernando me estocava com força.
Já exausta, meu cunhado me deitou na cama, colocou meus pés em teus ombros e me bombom sem dó, ao ponto de me fazer sentir tuas bolas batendo em mim, me deixando com mais tesão ainda. Eu gemia sem parar, enquanto meu cunhado me bombava forte e ia dizendo: Toma safada? Geme pra mim gostoso vai!
Comecei a gemer ainda mais, dizendo a ele assim: aiiii, que deliiicia, bomba forte em mim vai, acaba comigo! Isso! Não para!
Teu mastro deslizava fácil para dentro de mim, pois eu estava toda melada, a ponto de explodir de tanto tesão. Em um certo momento Fernando foi diminuindo a estocada, tirando e colocando teu mastro de mim, fazendo cara de cachorro, olhando fixamente nos meus olhos. De repente ele parou de me penetrar e desceu a tua boca até a minha menininha, lambendo ele bem devagar. Comecei a gemer de novo e bem alto, até que não aguentei mais de tanto prazer, e pela primeira vez um homem me fez chegar ao ápice do prazer, fazendo-me liberar todo o meu mel em tua boca. Depois disto fiquei totalmente sem força, mas conseguindo ficar de pé, tendo que ser pega no colo por Fernando, onde me levou até a banheira, onde ele liberou todo o teu mel no meu rosto, me fazendo feliz por competa. Bom meninas, essa foi a minha história. Outro dia conto como acabei convencendo meu namorado a participar de uma festinha com o irmão dele, claro sem ele saber que eu já tinha provado tudo antes.

Disk Sexo

3 thoughts on “Virei a Putinha safada do meu Cunhado

  1. Essas mamães puta vadia pervertida incestuosa devi ser uma delicia dano carinho pr os seus filhotes… hum que tesão deliciaosa maravilhosa na bct.. cada conto erótico que olho vai me deixando bem confusa.. dano cheirinho no rostinho dele fazendo cafuné na cabeca dele um carinho maravilhoso no cast dele bem eritico abuceta toda encharcada agruta pegando fogo cheia de tesão despojando os mamilos pra ele brincar o cst roscando na bct tomando banho com ele mandano ele passar o sabonete nas colxas ficando com as duas mãos na parede e com a bunda bem arrebitadinha as mãos dele subino e descendo indo bem pertinho da bct os olhos dele olhando para o redondinho faminto e guloso olhando para o chei da.bct .. a noite na cama mandano ele passar o creme as mãos curiosa quase passando por cima da bct golosa fingindo que dormindo ele tomando aquela punhetinha olhando para uma buceta bem cheia faminta e gulosa vem aquela vontade de mijar .. vai mija na volta pr cama faz um belo carinho no cassetim dele deita novamente exibindo a bct pra ele os olhos famintos dele se mexe na cama colocando uma perna por cima da outra exibindo a bunda pr os olhos dele ele se lascando na punheta olhando para a mamãe gostosa hum que tesão que delicia que vontade dá….. EU tô ficando mas vadia mas confusa com cada conto erótico que olho vai me deixando mas confusa devi ser uma delicia fazer um carinho erótico no cast dele só em pensar ja tô gozando eu viuva carente sem fuder ele carinhoso e dengozo e pauzudinho cabecudinha maravilhosa safadinho e carinhoso [email protected].. EU amo eu adoro essa mamaes pervertida puta vadia cachorra tão me deixando bem confusa puta e pervertida e vadia diante dos olhos dele EU amo essa mães cachorras putas pervertida incestuosa e vadia os conto erótico dessa mamaes tá me deixando mas excitada e bem putinha e bem vadia e bem pervertida incestuosa… EU ja camecei fazer um jogo de sedução erótico bem safadinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *