Salvando o emprego do maridinho com a bunda

É quase uma hora da manhã. Telma adentra a confortável sala de sua casa num luxuoso condomínio privado e encontra seu marido Raul, dormitando no sofá em frente à televisão. Telma gentilmente lhe balança o ombro. Raul desperta piscando várias vezes e sorrindo lhe pergunta.
-Telma querida!! Como foi a reunião com Rafer? Espero que o bom deus tenha ajudado!!

Telma com um leve sorriso e descalçando os sapatos responde-lhe.
– A priori, você será remanejado pra outra gerencia… quanto ao desvio de dinheiro feito por Valter, Lucia e Luiz…eles terão que pedir demissão e assinarem uma promissória, que será paga com a devolução, em particular, para a empresa…e Rafer queria 30% de desconto de seu salário por três anos…mas consegui que fosse só 20%…
-Oh, minha Telminha!! Muito obrigado…deus seja louvado!!

Raul desliza do sofá ficando ajoelhado em frente a Telma segurando as mãos dela e a beija no rosto. Depois olhando com admiração lhe diz com o olhar em seu busto.
-Alguma coisa que você comeu manchou seu tailler…
-Oh! Deve ter sido no lanche que fizemos com as advogadas do RH…- responde Telma ruborizando.

Meia hora atrás, nas proximidades da guarita do condomínio, Rafer lhe dera um leve aperto num dos seios que foram recentemente colocados pierces nos mamilos, dando-lhe uma dor extasiante. Tudo o que era necessário pra transformar Telma em uma safadinha!!
Logo, ela está sugando a rolona de Rafer, que tem dois dedos acariciando o anus dela, enquanto ela própria acaricia seu grelinho!!
Provavelmente quando Rafer gozou, algumas gotas que escorriam do queixo dela caíram no tailleur!!
-Estou muito cansada…- diz Telma se levantando, enquanto Raul recolhe seus sapatos e a bolsa e se dirigem para a suíte do casal.

Telma teve bastante presença de espírito ao responder sobre as manchas no casaquinho. Ainda bem que no mundo de Raul, seu marido agora um corninho, malícia era o último item em sua personalidade.

Enquanto escova os dentes, Telma vai se lembrando o que aconteceu naquela noite em que pela primeira vez na vida foi maravilhosamente iniciada na prática anal, engoliu esperma de dois homens e foi duplamente penetrada!!
Tudo isto em apenas três horas!!

36 anos e num lapso de tempo todo uma nova visão de comportamento se apresenta no seu horizonte, antes limitado pela família à frente e pela igreja atrás. Ela até agora não tinha entendido como se transformara numa voluptuosa mulher sedenta de sexo.
Mesmo agora ao retirar o casaco e ver os mamilos intumescidos de seus adoráveis e firmes seios transpassados por duas pequenas barras de ouro que Rafer mandara colocar!!
– Foi tudo uma loucura!! relembra Telma.

“- Rafer ordenara Raul que me enviasse ao escritório dele, afim de tratar sobre a mancada que Raul dera e que agora estava às vias de ser demitido por justa causa. Esta era a desculpa apresentada a Raul. Às 19 horas eu já esperava no estacionamento quando Rafer apareceu e me mandou seguir a sua Pagero.”
Chegamos a um edifício e já no elevador, Rafer me beijou e apalpou minhas nádegas tão intensamente que não me deixou resistir e me me transformou de tal maneira fui sodomizada enquanto subia o elevador, sem nunca ter experimentado tal gozo antes! “

“Depois, estávamos numa ampla sala, decorada em estilo art-nouveau, onde um imenso homem com grande parte do corpo belamente tatuado vestindo apenas uma sunga de couro negro e botas militares. Seu rosto era coberto com uma espécie de máscara que só deixava ver os olhos, a boca carnuda e as orelhas adornadas por grossas argolas de ouro. Em ambos os mamilos, uma argola prateada. Pra completar o visual, seu cabelo era longamente espetado no topo e de cor branca-amarelada”.
-Quero presenteá-la, tché…primeiro com duas barrinhas de ouro, depois que ela se acostumar…com duas argolas!!

“Eu não conseguia atentar com o que Rafer queria dizer com acostumar.
-Este é o Gaucho me apresentou Rafer. E logo lhe disse meu nome como se ali estivéssemos numa simples apresentação social. Gaúcho tomando minhas mãos nas suas rapidamente aproximou seu rosto do meu e pareceu que deu uma longa cheirada em minha boca!!
– Ela não te chupou?? Perguntou ele a Rafer.

“ A pergunta me surpreendeu e ao mesmo tempo já começava a me excitar, quando senti os lábios de Gaúcho se colarem aos meus e em seguida sua língua procurar a minha!
Eu reagia automaticamente como se eu fosse uma veterana em práticas sexuais! Simplesmente meus ensinamentos religiosos se confundiam em êxtase, punição e após.. ser purificada !!

Enquanto essas recentes lembranças passam pela mente de Telma, ela vê sua bela imagem, como uma bela e curvilínea desnuda, refletida no imenso espelho no lavabo da suíte do casal. Uma das mãos avança para a xaninha e a outra, com os dedos um pouco trêmulos, toca de leve um dos mamilos tremendamente inchado.

Em seguida, com as pontas do polegar e indicador, ela segura as extremidades da pequena barrinha de ouro e dá uma leve torção! A dor para a grande maioria dos humanos seria excruciante, mas em Telma tem efeito libidinoso, sensual, extasiante!
Num sincronismo, que Telma acredita ser obra do diabo, seus dedos se comunicam em freqüências diferentes para levá-la pela enésima vez ao orgasmo!!
-Aaah! Meu deus todo-poderoso…rogai por mim, essa marafona!! Essa puta em que satã me tornou! Me liberta deste …fogo…deste fogo…que me …domina…aaahaah…

E então as imagens do acontecido horas antes lhe voltam a mente.
“…agora estou deitada, meus seios foram comprimidos por meio de correias formando duas colinas gêmeas. Meus braços, logo abaixo dos bíceps, estão atados por correias de couro vermelho à uma espécie de sofanete em que uma extremidade e mais alta que a outra.

Minha nuca se apóia no final da extremidade mais baixa, enquanto minha cabeça pende no ar. Na outra extremidade minha imensa e curvilínea bunda se acomoda total e confortavelmente. Pelos lados tem correias para atar os tornozelos.
-Acho que não será preciso…- rogo, um pouco apreensiva a Rafer.

“Eu e Rafer estamos totalmente despidos. Gaúcho continua com suas botas e sua máscara, mas retirou o shorte negro, exibindo uma rola de tamanho considerável, que saia por um orifício de uma minúscula sunga de verdadeira pele de onça pintada!!
Ele está sentado num tamborete e antes de por as luvas cirúrgicas, me acaricia os cabelos enquanto me beija docemente. Depois sussurra em meu ouvido que nada irá me machucar. Tudo seria apenas prazer e eu ficaria mais bela e desejável do que nunca!
Qual a mulher que não desejaria escutar isso de um belo estranho cujo odor afrodisíaco de seu pênis me subia as narinas! De repente eu percebi o que Gaúcho quis dizer se eu não havia chupado…
-Ooh, meu deus!! Me apresentas nova prova de aflição…para que eu a vença ..por minha crença em ti…oh meu adorado senhor…quanta bondade me dás…com teus castigos para…purificar-me!!”

“Eu rezava baixinho enquanto minha boquinha produzia um excesso de saliva como se a rolona de Gaúcho fosse minha comida favorita!
Gaúcho apronta os instrumentos para as inserções dos pierces em meus mamilos, enquanto eu vejo Rafer de pé entre minhas coxas. Súbito ele se abaixa e sinto minha bucetinha sendo beijada levemente pela boca dele!

Gaúcho calibra uma espécie de rodela em volta de um dos mamilos, que tem diversas barrinhas, um pouco mais grossas que agulhas que convergem para o centro do diâmetro interior desta rodela. Gaúcho começa fazer os ajustes empurrando essas barrinhas para dentro da rodela, as quais atingem meu mamilo! “

“Esta pressão, de início dolorida, acaba tornando meu mamilo semi-sensível. Em seguida sinto como algo o estivesse mordendo-o. A dorzinha aumenta e se estabiliza. Rafer parece que quer chupar meu útero para fora. Minha cabeça balança pra um lado e pra outro. Num desses relances vislumbro a rola de Gaúcho teza com um pequeno ante-braço soltando pequenas gotas cintilantes!”
“Ele agora ajusta a rodela no meu outro mamilo e todo processo se repete com a prazerosa dorzinha que se acumula em dobro… e tenho meu primeiro orgasmo ali com aqueles dois machos!!”

“Rafer bebe tudo que sai de minha xotinha com vigor. A escruciante dorzinha continua me fazendo gozar e gozar!! Sem saber como nem porque fico estirando meu pescoço querendo abocanhar a piroca de Gaúcho!
Mais uma vez ela leva minha boca em direção a sua e me beija apaixonadamente enquanto meu grito de gozo ecoa dentro de nossas bocas!”

“Em seguida ele retira as rodelas e cuidadosamente limpa meus mamilos tremendamente endurecidos e doloridos.
Depois se posiciona ao topo de minha cabeça e o vejo regulando a altura do banquinho. Logo tenho a visão de cabeça pra baixo daquele rosto mascarado que me beija estranhamente a boca e sinto ambas as mãos avançarem em direção meus mamilos e apertá-los!!”

Meu urro de prazer e dor foi abafado pela boca de Gaúcho!! Rafer empurrou mais profundamente a língua em meu canal vaginal! Filetes de sangue escorrem de meus mamilos. Gaúcho avança seu torço para chupá-los e então… a cabeçona de sua rola beija a ponta de meu nariz!!
Ela dá pulos, mas enfim consigo abocanhá-la e toda uma nova experiência de textura, gosto, gozo e luxuria se abrem pra mim!
É indescritível, a primeira vez que tenho um pênis preenchendo minha boca! No mesmo instante Gaúcho chupa o filetinho de sangue de meu outro mamilo e desta vez meu urro foi de gozo e abafado pela metade da rola dentro de minha boquinha!”

“O orgasmo dos orgasmos se aproxima!! Rafer se ergue me beijando a parte interna das coxas e depois penetra minha bucetinha! Ele me dá leves estocadas, porém profundas, fazendo me sentir como se sua enorme rolona entrasse em minha xaninha e saísse por minha boca, ou vice-versa!!
-Vamos trocar de lugar!! escuto Rafer dizer ofegante. Gaúcho pede que espere um momento enquanto faz nova assepsia em volta de meus mamilos.
-…ela é fantástica!! … nasceu pro sexo!! Valha-me deus…tché!!

“Em segundos minha boca ávida procura pela barra de músculos de Rafer e Gaucho se posiciona entre minhas coxas introduzindo seu pauzão e me dando algumas estocadas na minha infiel bocetinha! Em seguida segurando uma de minhas pernas por trás do joelho, elevando assim mais um pouco meu torso e dando acesso ao meu, até o momento, esquecido cuzinho!
Foi a glória!! A introdução da rola em meu cuzinho se fez devagar mas toda, inflando meu reto com todas as sensações que é ter algo deslizando pra dentro e pra fora de um cu!”

Telma se controla o máximo que pode para não urrar de gozo, mas urra!! Urra e urra longamente com visões daqueles dois machos, que em menos de duas horas lhe ensinaram e praticaram sexo de todas as formas em seu belíssimo corpo!
Seu êxtase culminou com a visão dela estar sendo penetrada no cuzinho por Rafer enquanto ela cavalgava aquele filho dos pampas!
-Telma, benzinho!! Você está bem?

Telma volta a realidade. Coloca o soutien e apressadamente veste um roupão, passa um toalha no rosto, respira fundo, se acalmando e abre a porta. Raul já está se dirigindo pra cama.
-O que é isso? Você se cortou?..- Telma se espanta com a pergunta e olha para seus dedos que fecham a parte de cima do roupão.-
-Ah…sim! foi por isso que gritei…estava tirando a cutícula!

Convido meus leitores a visitar meu bloghttp://eternahelgashagger.blogspot.com.br/ ou http://eternahelga.blogs.sapo.pt/ onde encontrarão esses contos devidamente ilustrados. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *