Primeira vez com meu primo

Olá, me chamo Leonardo, tenho 29 anos, 1,75m, sou moreno, casado e com 2 filhos. Nesse meu primeiro conto resolvi contar da primeira vez que tive relações sexuais com outro homem, é uma historia real que aconteceu com meu primo mais velho.

Eu sempre senti tesão em homens, mas nunca assumi esse meu lado para ninguém, namorei apenas mulheres desde sempre e tive poucas relações com outros homens, tanto que meu primeiro contato com um foi apenas aos 19 anos. Eu sempre tive um tesão enorme em meu primo, Pedro, ele é um moreno alto, 1,85m, 25 anos, corpo de academia pois ele vai desde moleque. Eramos muito proximos, sempre saimos juntos pra rolês e festinhas da época, foi ele que me apresentou a putaria praticamente kk. Mas nunca deixei parecer que tinha interesse nele, ele sempre se mostrou hétero, inclusive

namorando uma menina chamada Jéssica na época. Mas infelizmente essa nossa proximidade foi sumindo com o tempo, ele foi morar fora quando eu tinha 17 e voltou para a cidade quando completei meus 19 anos, quando soube que Pedro voltou para a cidade fiquei muito feliz, fazia tempo que não o via, passei a encontra-lo em encontros de familia e com o tempo fomos nos aproximando novamente. Pedro era extremamente carismático, tinha um sorriso lindo, conquistava qualquer um que conversasse com ele.

Apesar de termos nos aproximado bastante, ainda não eramos tão proximo quanto antigamente, mas isso mudou rapidamente em um final de semana. Era sábado, estava chovendo muito, algo incomum pra época do ano. Meus pais aproveitaram para sair e fazer as compras do mês, eles me chamaram mas inventei que tinha muita coisa da faculdade para fazer. Era um dos raros momentos que estaria em casa sozinho, queria aproveitar para bater uma punheta. Eu fiquei batendo por alguns minutos e quando estava prestes a gozar, ouço a campainha de minha casa tocar varias vezes. Coloquei minha roupa rapidamente e fui correndo atender pensando ser meus pais que esqueceram as chaves. Mas quando abri a porta era meu Pedro, ele estava segurando o capacete da moto, todo encharcado com a água da chuva, sua camisa branca deixava transparecer seu corpo definido.

– Mano, eu fui levar a Jéssica no salão e quando estava voltando começou a chover do nada, tem como eu esperar um tempo aqui até abaixar um pouco a chuva? Disse ele, todo com pressa pois tentava evitar a chuva o mais rapido possivel
– Claro cara, entra ai, chuva fortona dessa vai acabar pegando uma gripe
– Po valeu irmão, eu sai tava o maior sol, muito do nada essa chuva

Nisso eu o levei até a varanda de casa, quando me virei ele estava tirando a camisa e a torcendo para tirar a agua. Nesse momento entrei em choque, era a primeira vez que via o Pedro sem camisa, sabia que ele era musculoso pelo desenhos em suas camisas apertadas mas não fazia ideia do quanto, fiquei hipnotizado e só parei de olhar quando olhei pra cima e vi uma microexpressão de surpresa dele, acho que ele percebeu que eu o estava admirando, mas mesmo assim, tentando disfarçar, eu disse:
-Nossa cara você ta todo molhado, espera um pouco que eu vou ali no quarto pegar uma toalha
Corri para pegar uma toalha, tentando também disfarçar o volume que meu pau ganhava com aquela visão. Fui, peguei uma toalha branca e quando voltei Pedro estava sem as calças, as chacoalhando para tirar a agua. Nunca tinha chegado tão perto de outro cara sem roupa daquela forma, sempre tentei evitar essa situação para não ficar de pau duro sem querer, mas la estava ele, com sua cueca preta carregando aquela bagagem enorme, mesmo mole era uma delicia de se ver, eu assustado fiquei olhando para ele de cueca até que ele falou com um sorriso levemente de safado
– Não vai me entregar a toalha? rs
– Ah foi mal mano, aqui pode se enxugar
Disfarcei o nervosismo e entreguei a toalha para aquele homem que parecia um Deus Grego, lembro de cada momento daquilo como se fosse um filme, ele foi enxugando cada parte de seu corpo, parecendo querer me provocar, enxugava seu suvaco erguendo seus musculos, descia a toalha por todo seu abdomen até chegar em suas coxas, pulando a parte de sua cueca. Eu estava completamente hipnotizado por aquela situação, tentei ao maximo disfarçar o volume de meu pau com minha camiseta, mas era quase impossivel. Rapidamente inventei uma desculpa para sair dali e me acalmar, peguei a toalha molhada de suas mãos e falei que iria buscar outra em meu quarto para ele se secar melhor. Chegando no meu quarto comecei cheirar aquela toalha que estava repleta do cheiro de macho, cheirei por alguns segundos até que senti o Pedro chegar e me abraçar por trás

– Ta gostando ai? – disse ele com cara de safado
– N-não eu tava só vendo o quão molhada tava pra pegar outra toalha – Disse tentando disfarçar
– Tava é sentindo o cheiro de macho né, sempre soube que era uma putinha rs
– Q-que isso cara, não curto essas coisas não
– Não precisa disfarçar, tenho percebido seus olhares faz um tempinho, mas só agora tive certeza
– Não sei do que voce ta falando acho melhor irmos la pra sala…
Quando tentei passar por ele para ir pra sala ele me segurou por tras firme dessa vez, não deixando eu soltar
– Que isso cara, me solta não curto essas coisas ja falei
Ele se aproximou de meu ouvido e disse cochichando:

– É? Mas não é o que sua rola ta dizendo, aposto que ta toda babão ai embaixo né? Agora vou fazer você de minha putinha que você sempre quis
Nesse momento eu estava muito assustado, mas completamente consumido por tesão. Ele pegou em minha cabeça e foi abaixando me fazendo ficar de joelhos para aquele macho gostoso, a visão de olhar ele por baixo fez meu pau ficar mais duro do que ja estava.
– Pedro acho melhor a gente parar meus pais jaja estão…
Antes de deixar eu concluir ele colocou a mão em minha boca, dizendo:
– A partir de agora você é minha putinha, e vai fazer o que eu mandar, começando por mamar minha rola gostosa ok?
Fiquei preocupado de meus pais chegarem mas o tesão me fez balançar a cabeça concordando, sinto que naquele momento obedeceria aquele macho completamente. Ele perguntou se ja havia mamado outro macho, respondi que não, o que era verdade. Ele então me aponta seu dedão e disse para treinar com ele. Fui chupando seu dedão como se fosse um pirulito, nunca havia chupado algo antes mas vi muitos pornos e repeti os movimentos, ele foi trocando o dedão pelos seus dedos médios e indicadores, isso enquanto com a outra mão alisava seu pau que ainda estava por debaixo da cueca.
– Pronto, a putinha ja esta bem treinada, agora quero que faça a mesma coisa aqui

Ele então abaixa a cueca deixando seu pau totalmente a mostra, era enorme, tinha uns 19cm grossa, cabeça rosada e corpo branco, salivei só de olhar. Comecei chupando o corpo daquela rola deliciosa, até chegar na cabecinha, comecei a engolir ela mas não conseguia ir muito fundo pois era muito grande e grossa até que sinto sua mão em minha cabeça e rapidamente sou empurrado com força para ele, sinto aquele pau enorme em minha garganta, tentei ao maximo não vomitar, por mais que empurrasse ele para que me soltasse não tinha forças, ao mesmo tempo aquela situação estava muito boa para acabar. Ele então começou a movimentar seu quadril fudendo minha boca fazendo garganta profunda, ouvia seus gemidos baixos e ficava com mais tesão ainda, ficamos acho que uns 20 minutos naquela situação quando comecei a gozar sem tocar em meu pau melando tudo o chão de meu quarto, ele percebeu e disse:

– A putinha gozou ja é? vou terminar aqui também então, é pra engolir tudinho em?
Balancei a cabeça concordando, ele começou a fuder minha garganta mais forte do que antes e quando estava prestes a gozar afundou minha cabeça até o fim de sua rola, gozando em minha garganta. Nunca tinha ouvido ele gemer tanto, adorava ouvir aquele macho gemendo, fez valer a pena a dor na garganta que tive depois. Ele então tirou seu pau de minha boca quando estava amolecendo, me deu dois tapinhas na cara e disse

– Por hoje eu vou terminar aqui blz? Porque seus pais jaja estão ai, mas na proxima vou querer gozar nesse cuzinho ai seu!
Concordei balançando a cabeça novamente, estava acabado com tudo aquilo, não acreditei que aquilo estava acontecendo. Meu primo então pegou suas coisas e foi embora, ja havia parado de chover. Fui no banheiro tomar banho e bati mais umas duas vezes lembrando do que aconteceu.

Desculpem pelo conto longo mas votem para eu saber se gostaram, vou deixar algumas imagens para ilustrar o que aconteceu. No proximo conto a vez que ele fudeu meu cuzinho aqui nesse mesmo quarto!

Posted in Gay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *