Um menage com a esposa safada

Somos um casal, ambos com 68 anos e já praticamos o swing e ménage feminino algumas vezes. Transamos normalmente os dois, mas nunca tínhamos realizado um ménage masculino. Sempre tínhamos conversado sobre a possibilidade, mas ela sempre reagia e falava que não estava a fim. Ela não achava razoável esta transando na minha frente com outro onde eu ficava olhando e talvez só usando a mãos ou ela dando uma chupadinha no meu delicioso pau. Eu argumentava que gostaria de ter a experiência, pois nas nossas experiências swing enquanto ela dava para o parceiro masculino eu estava ocupado com a outra parceira feminina e nunca tinha visto um membro preenchendo a sua gostosa buceta. De fato eu estava muito curioso em apreciar como sua fenda receberia um pau, principalmente se este fosse bem maior do que o meu. Até em uma viagem de férias a São Paulo, ela aceitou a ideia e combinamos que iriamos convidar um amigo de Sérgio que havíamos conversado pela internet para sairmos e nos conhecermos pessoalmente. Já havíamos trocados fotos e sabíamos que a ferramenta do Sérgio era bem maior que a minha, imaginamos que ela mediria aproximadamente 19cm, enquanto que a minha é de 15cm. Ela estava ansiosa para poder apreciar aquele pau que havíamos vistos através de fotos. Eu estava também ansioso para ver aquele instrumento entrando e saindo da buceta da minha esposa. Continue lendo Um menage com a esposa safada…

A amiga crente da minha enteada

Me casei com uma colega de serviço que era evangélica, sempre deixando claro que ela podia ter a religião que desejasse, mas que eu não seguia religião nenhuma. Ela brigou com a família e muitos amigos por namorar e se casar com alguem de fora da igreja, mas nosso casamento deu certo. Ela foi morar comigo, levando a filha de seu primeiro casamento que logo passou a me tratar de pai e me fazia sentir o mesmo.

Minha enteada logo fez uma amiga no bairro que morávamos que era evangélica também e as duas viviam sempre coladas. Sara sempre estava em nossa casa, entrava e saia como se ali morasse e logo eu e minha esposa fizemos amizades com os pais dela. Por eu ser o único adulto “não religioso” que as duas garotas conheciam, me tornei a referência para perguntas embaraçosas que elas não tinham coragem de perguntar a suas mães ou aos outros. Coisas de adolescentes como namorar, ficar, beijar… as quais eu procurava aconselhar sabiamente com um ponto de vista não religioso. Continue lendo A amiga crente da minha enteada…

Uma fantasia do marido do casal bi tímido

Olá, amigos, estou aqui para contar mais uma fantasia, mas desta vez é minha, apesar de saber que é algo que a excita muito. Novamente, somos um casal maduro, 45 anos, pessoas normais, não somos super em nada. Para saber um pouco mais sobre nós e nossas fantasias, sugiro ler nossos contos anteriores.

Quem escreve novamente é o Filipe, desta vez com a fantasia de ver minha loirinha transando com 2 negros dotados.

Desde que comecei a imaginar outras pessoas em nossa cama, sempre imaginei ela sendo muito bem comida por 2 negros bem dotados, ver o contraste da pele branquinha dela com as rolas negra penetrando sua bucetinha e seu cuzinho juntos.

Imagino que a idéia também a excite muito, mas sua timidez e vergonha novamente a impedem de assumir. Continuo achando que ela pensa que estou testando ela, ou que pensaria que ela estaria me traindo. Mas como sempre dissemos, realizaremos nossas fantasias sempre juntos, nunca sozinhos. Continue lendo Uma fantasia do marido do casal bi tímido…

Finalmente tenho dono

Conheci Lucas num shopping, eu tenho 32 anos, branquinho, corpo lisinho, ele 53 anos, grisalho um homem muito tentador. Conversamos e ele logo percebeu que eu era um gay enrustido, me disse seu gosto por comer um viado mas que era dominador e exigente, então me deu seu endereço e disse:

– Se quiseres servir um homem de verdade, esteja nesse endereço às 21:00 horas.

Disse isso e foi embora, me deixando em dilema, estava louco de vontade, mas com um certo receio, desejo de realizar um antigo fetiche e medo do desconhecido. Nesse dilema fui me decidir em cima da hora, e cheguei ao endereço indicado por Lucas às 21:15, ele abriu a porta me mandou entrar e então, levei um forte tapa na cara e ouvi sua voz forte: Continue lendo Finalmente tenho dono…

Humilhada pela empregada

Olá, meu nome é Amanda, e vou contar algo que me aconteceu e que continua até hoje e é meu desespero.

Tudo começou tem uns 6 meses e vivo esse drama na minha vida e não sei onde isso irá parar, nunca pensei que viveria coisa parecida eu que sempre fui certinha e sempre preservei minha imagem. Bom tenho 19 anos e não sou mais virgem mas também sá transei com meu ex namorado e nunca fui assim de sair com qualquer pessoa e como falei sempre me preservei.

Sou loira, cabelo liso natural pois sou neta de holandeses e tenho 1,69 com 54 kg seios tipo tacinha e olhos azuis, sei que chamo a atenção pelo meu tipo e sei que desperto olhares ainda mais que sou super clarinha.

Eu sou filha única e meus pais quase sempre viajam e fico em casa pois moramos em um belo condomínio em São Paulo, uma casa de dois andares super boa e temos até piscina onde uso pouco. Temos uma empregada negra e foi com ela que começou todos meus dramas até hoje que estou vivendo, pois estou na mão dela e ela passou a me dominar e chantagear. Continue lendo Humilhada pela empregada…

Perdendo a virgindade de forma humilhante

Eu sou lucas, tenho 18 anos anos e vou contar como perdi a minha virgindade no final do ano passado. Havia terminado o terceiro ano do ensino médio, particularmente eu era um aluno excluído que sofria muito bullying e era perseguido, o fim da escola para mim significava a saída do inferno. Tinha terminado a escola e estava no período de férias, mas tinha uma festa de despedida na casa de campo de um dos alunos, eu não pretendia ir mas a garota mais linda da sala me chamou e eu gostava dela, então aceitei. Afinal eu era um loser, fracassado e indefeso, mas era um cara bonito, magro, de olhos verdes e cabelo curto, talvez eu teria alguma chance com ela. A festa começaria a tarde e iria até o dia amanhecer, notei apenas duas mulheres que não eram da turma e não lembrava delas na escola, aparentavam ter uns 20 e poucos anos. Quando era umas 16h horas, um cara que sempre me sacaneou e infernizou na escola, chamado Douglas, chegou com o grupinho de amigos e me levou para o meio de todo mundo, eles pediram para eu dobrar meus braços e colocar dentro da manga da camisa. Eu não quis mas eles começaram a prender meu braço na manga da camisa a força, e quando conseguiram me colocaram em pé no meio de uma mesa de centro. Foi tudo muito rápido, Douglas chamou todo mundo e disse que eu tinha algo para mostrar, então ele desceu a minha calça junto com a cueca na frente de todo mundo. Continue lendo Perdendo a virgindade de forma humilhante…

Minha primeira vez como submissa

O combinado era, se ficar insuportável, diga ‘azul’. Eu estava entrando em um ambiente inédito. Eu confiava nele, acredito que se percebesse que estava me machucando, ele pararia. A preocupação seria o excesso de empolgação, e se ele não me ouvisse?

Eu mesma me despi enquanto ele ajustava as cordas. Amarrou em cada lado da cabeceira da cama, me deitei com a barriga pra cima e ele tomou um dos meus braços e me amarrou, não tinha mta folga e o movimento do meu braço ficava bem limitado, ele fez a mesma coisa no outro, só que deixou um pco mais folgado permitindo que eu me virasse de bruços tb. Essa posição já me causava excitação, não conseguia me desvencilhar, não tinha como escapar.. Meus seios ficavam totalmente disponíveis, ele aproveitou e mexeu neles. Sem perder o foco, partiu pras minhas pernas. Do jeito que ele amarrou eu conseguia dobra-las e mexer minha cintura pra um lado e outro. Então ele soou a frase ‘vc tá fudida, vc nao sabe o q eu vou fazer com vc, vc vai chorar, vc vai sentir dor, vc vai apanhar sua safada!’, eu nao vi mta graça nessas palavras, acho q eu já estava com medo e já quase desistindo da ideia. Estar totalmente presa não me deixava exatamente com tesão. Continue lendo Minha primeira vez como submissa…