Meu vizinho favorito!

Sou uma pessoa divertida, animada, e conheci no trabalho um homem que parecia ser meu oposto. Um dia, estava saindo para ir à praia, e descobri que aquele homem do trabalho, tão atraente, era meu vizinho. Como ambos estávamos sozinhos, começamos a conversar, e de repente, nos vimos na praia, ainda de papo.

LibidGel

Renato era um homem sério, ao contrário de mim, porém com um tremendo senso de humor. Já era perto do meio dia. Então descobrimos inúmeras afinidades e a conversa rendeu até o pôr do sol. Ao fim do dia, entre cervejas, mergulhos e risadas, notamos um silêncio e vazio em toda praia. Resolvemos dar um último mergulho, em meio a muitas conversas. Confesso que estava com muito tesão naquele homem, mas respeitei o começo de nossa amizade, e fiquei sossegada.

LibidGel

Quando mergulhamos, ele manifestou todo seu interesse de uma forma muito intrigante, pois quis me segurar no colo, mesmo sabendo que eu não estava me afogando. E, naquela praia vazia, colocou meus peitos para fora, e começou a chupá-los de tal maneira, que eu não conseguia resistir. Notei o quanto meu tesão por aquele homem era maior do que eu tinha imaginado.

Resolvi ceder a tentação, e o deixei tocar onde quisesse. E aquela situação tensa e inesperada, me causou um tesão que eu não podia imaginar que era só o começo. Então, por sugestão dele, fomos para minha casa, terminar o que começamos na praia. Chegando lá, tomamos banho juntos, e ele me pediu, sem gentileza, para chupar seu pau. Antes do gozo, ele me tirou do banho, me debruçou no sofá, já pegando seu lubrificante, e disse que meteria na minha bunda, antes de me fazer gozar. Eu nunca tinha tido um homem, tão bruto e tão excitante ao mesmo tempo, e resolvi ceder. Ele comeu meu cuzinho, com o dedo na minha buceta, e me fez gozar de tal maneira, que nem sei explicar. Foi o maior prazer da minha vida… até então! Depois, nós bebemos, rimos, e ele me comeu de novo, como todo tesão que lhe cabia.

Às vezes, ele bate em minha porta, com algumas cervejas na mão, e com um tesão, que parece, que não acaba. Me come de todas as formas que desejar, e, todas elas, eu dou para ele, como se fosse o único prazer do mundo. Ele me chupa e me faz gozar, como nenhum homem nunca fez. Ele vai ler, e vamos transar, como se fosse a primeira vez… como sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *