Férias com Putaria em Búzios

Minha esposa Ana e eu temos passado férias com um grupo de amigos em casas de praia alugadas pelo Rio de Janeiro há vários anos. Eu geralmente ficava encarregado de encontrar a casa ideal tanto em estrutura como em aluguel, mas este ano deixamos com Richard.

No grupo do whatsapp conversamos e chegamos a conclusão que Búzios seria o local ideal para esse viagem e após umas semanas, Richard nos informou onde ficava a casa e o aluguel, tudo pronto para a viagem.

Quando chegamos no local, descobrimos que havia menos camas do que precisávamos e algumas pessoas iriam precisar improvisar locais de dormir, tanto no chão reforçando com cobertores como sofá e isso reforçou a imagem negativa que eu tinha sobre Richard. Nesta viagem, nós oitos nos reunimos na sala para discutir o assunto. Haviam três casais, minha esposas e eu, Jairo e Silvana, Bruno e Livia, e depois Richard que era solteiro e Clara que também era solteira.

“Bom, já que temos três camas de casal, por que não ficam os três casais com elas, Richard e Clara um dos dois podem dormir no sofá e outro improvisar no chão com cobertores para ficar macio…” Eu disse tentando ser razoável, e é claro que todos os casais concordaram.

“Calma…” Disse Clara “Eu tenho problema na coluna, se eu dormir no sofá ou no chão eu simplesmente não vou conseguir levantar no dia seguinte e aproveitar a praia…”

“É… Verdade…” Disse Richard suavemente. “A única maneira justa de lidar com isso é fazer um sorteio…”

Houveram algumas reclamações mas concordou-se que essa era a maneira mais justa de proceder. Richard colocou 8 pedaços de papel em um pote. Dois dos papéis tinham escrito “Sofá” e “Chão”.

“Puta merda!”, chorei quando li que meu papel estava escrito sofá.

Clara também reclamou quando puxou chão, mas ela teimosamente se recusou a trocar quando minha esposa que havia tirado no papel “Cama” se ofereceu a trocar com ela.

“Pera ai… Os dois casais vão dormir na cama e a minha esposa vai dormir na cama com Richard? Isso não faz o menor sentido” Eu gritei nervoso.

“Rapaz… Eu não vou reclamar” Disse Richard em tom de brincadeira olhando para o corpo de Ana em seu biquíni com um olhar lascivo. Todo mundo começou a rir de maneira que Ana se sentiu envergonhada cruzando os braços cobrindo seus seios.

“Relaxa, Caio…” Disse meu amigo Jairo, dando-me um tapinha amigável no ombro “A troca de esposas ta na moda ultimamente, tem até programa de televisão com esse tema”

Novamente todos começaram a rir e então partimos para a praia, enquanto descíamos andando para a praia, Richard colocou o braço em volta do ombro de Ana e a provocou.

“Espero que você não se incomode comigo pelado, só consigo dormir assim…” Ele sorriu fazendo todos os outros gargalharem.

Bruno percebeu meu desconfortou e me chamou de canto “Troca com a Clara e deixa ela dormir no sofá, assim você dorme no mesmo quarto que eles” ele murmurou sob sua respiração.

“Ah, para com isso Bruno” Eu disse tentando forçar uma risada “Eu confio na minha esposa 100% e ainda mais o Richard boca aberto que não para de falar merda…”

“Melhor prevenir do que remediar” Disse ele com rindo “Você sabe como as coisas ficam na madrugada depois de umas cervejas”.

É verdade que havia rolado boatos de traição em uma das nossas viagem, ano passado, a esposa de Bruno, Livia, havia sumido por algumas horas com um cara chamado Pedro, eles disseram que Pedro havia encontrado uma parte da praia que era possível ver os peixes, mas ninguém acreditou neles, com isso conversamos sem Bruno saber e decidimos não convidar mais Pedro para as viagens.

As piadas com Richard dormindo com a Ana continuaram ao longo do dia, ninguém além de mim parecia se cansar com as piadas, eventualmente, até mesmo Ana parou de se envergonhar com as piadas e entrou no jogo junto.

No jantar, tomamos vinho e jogamos muita conversa fora “Já faz uns bons anos desde que você dormiu com um que não fosse o Caio, vira essa taça de vinho logo pra poder relaxar” Disse Livia em tom de brincadeira.

“Bom, tudo que eu tenho que fazer é relaxar e tentar dormir com o Richard, né?” Disse Ana rindo e me chutando por baixo da mesa na brincadeira.

“Há há há” forcei a risada o máximo que podia enquanto todos bêbados gargalhavam verdadeiramente.

“Mas falando sério, que você posição é a sua preferida…” Perguntou Richard, olhando fixamente para Ana.

Todos menos eu estavam bêbados então o assunto sexo era muito normal e leve.

“Oh, eu gosto de quatro…” Disse ela séria, cruzando os braços “Mas debaixo das cobertas é muito ruim fazer e sem as cobertas seria uma falta de respeito com o Caio” Ela piscou para mim sinalizando a brincadeira e a mesa explodiu em gargalhada.

“De ladinho é melhor pra ser discreto hein!” Disse Jairo.

O grupo começou a notar meu humor azedo e a conversa mudou para outros tópicos.

Depois do jantar, caminhamos ao longo do calçadão, apreciando o ar suave da noite, segurei a mão da minha esposas e ficamos para trás do grupo enquanto eu olhava melancolicamente para o luar.

“Porque você estão tão quieto” Perguntou Ana humildemente enquanto caminhávamos.

“Ah, esses comentários sobre você dormindo na cama com Richard me deixam meio pra baixo” Eu admiti.

“Aii querido…” Suspirou Ana, colocando a cabeça em meu ombro “Não leva as brincadeiras a sério, você e Clara vão estar praticamente colados na cama…”

“É… é bobeira minha” Eu suspirei, beijando-a no topo da cabeça “Mas você também gosta de ficar brincando, ai é foda…”

“Claro!” Admitiu minha esposa, chutando minhas pernas infantilmente.

Apressamos o passo e nos juntamos ao grupo enquanto voltávamos para casa.

Abrimos mais algumas garrafas de vinho e ficamos acordados até tarde da noite, até que eu estava praticamente cambaleando por volta das 2h, quando cheguei ao quarto principal, ouvi Clara e Ana rindo histericamente no banheiro anexo, mas não vi Richard em lugar nenhum, percebi que Clara tinha acabado de estender os cobertores no chão, eu precisava mijar e escovar os dentes, então bati na porta do banheiro “Ei gente, eu preciso muito usar o banheiro” eu avisei

A risada então parou e então ouvi a voz de Richard enquanto ele e as duas mulheres trocavam sussurros apressados dentro do banheiro.

“Richard?” Eu gritei. Comecei a ficar desconfiado e meu coração começava a bater mais forte.

“Calma ai Caio, só um segundo” Disse ele.

“Bora, parem de brincadeira, eu quero mijar” Eu exigi.

“Querido você pode usar o banheiro no fim do corredor…” Disse minha esposa

Decidi não entrar na pilha, dei as costas e fui para o banheiro no final do corredor.

Quando voltei, Richard estava sentado na cama, sem camisa, e as mãos cruzadas atrás do pescoço, presunçosamente, observando Ana ajudar Clara a arrumar algumas almofadas do sofá no chão para ela dormir. Percebi que minha esposa de fato estava usando uma lingerie, era bem comportada mas esperava que ela fosse dormir com um roupa.

“Essas brincadeiras estão ficando sem graça” Disse irritado mas tentando me conter.

“Brincadeira sem graça teria sido se tivéssemos deixado você entrar naquele momento” Disse Clara com um sorriso de orelha a orelha.

“Oque? Do que você ta falando?” Eu perguntei defensivamente, sentindo meu estômago embrulhar de ciúme.

Ana se aproximou e me deu um beijo no rosto “Não se preocupe com isso, querido”, disse ela, dando um tapinha no meu ombro “Deixe-me colocar você para dormir.”

Bêbado sentei-me no sofá e aos poucos fui me arrumando e me deitando, Ana jogou o cobertor por cima de mim.

“Eu não to gostando disso…” Me queixei com a voz embrulhada.

“Boa noite, querido” Disse Ana beijando me na bochecha e depois se virando em direção a cama.

Ana se deitou e puxou as cobertas até o queixo olhando para mim, Richard se levantou e apagou a luz “No escurinho é mais gostoso” Disse Richard.

“Para com essas brincadeiras” Disse Ana arrancando uma grande e alta risada de Clara.

O quarto estava girando ligeiramente enquanto eu tentava ficar confortável, a cada vez que eu me mexia o sofá velho rangia.

Eu ouvi sussurros abafados na cama enquanto minha esposa ou Richard, ou os dois se mexiam na cama e eu não conseguia ver nada.

“Shhiiiii, eu quero dormir” Reclamou Clara.

“Desculpa…” Eu disse suavemente

Meus olhos lentamente foram se ajustando a escuridão, mas eu ainda não conseguia distinguir nada além de contornos vagos, tentava escutar com mais atenção mas apenas ouvia as cobertas e sussurros muitos suaves entre Richard e Ana.

Prendi a respiração e ouvi Richard sussurrar “Aqui, aqui…”

“Nossa…” suspirou minha esposa em resposta. “uau…”

Não pude entender a resposta de Richard, mas sua respiração ficou mais alta e irregular, por alguma razão meu próprio pênis começou a ficar rígido.

“Gente.. Sério…” eu sussurrei, meu coração batendo descontroladamente “Eu to ouvindo…”

Ana e Richard baixaram suas vozes a tal ponto que eu não conseguia ouvi-los mesmo se prendesse a respiração, e em nenhum momento fiquei aliviado imaginando que simples eles haviam parado sabe-se lá oque estava fazendo pois suas respirações continuavam pesadas.

Eu ouvi alguns sons molhados que soaram suspeitosamente com beijos, mas eu estava com medo de falar e ser atacado por Clara.

Em algum momento parecia que haviam puxado a coberta sobre suas cabeças pois suas respirações estavam ainda mais abafadas, mas eu ainda podia ouvir Richard quando ele deu um leve gemido e então Ana riu, confirmei que eles estavam de fato de baixo das cobertas.

Meu estômago estava gelado, eu sabia o que estava acontecendo, eles estavam tentando ser sutis, mas eu tinha quase certeza que minha esposa estava chupando o maldito pênis de Richard a apenas 2 metros de onde eu estava. Parte de mim estava dilacerada de ciúme e outra parte estava doentiamente excitada.

“Ah… para… para…” Ele sibilou baixinho

Não pude entender a resposta abafada de minha, mas então os ouvi se movimentando na cama, rindo e sussurrando, eu os imaginei lutando enquanto Richard puxava minha esposa de seu boquete e tentava prendê-la para que ele pudesse fodê-la corretamente.

Os barulhos diminuíram lentamente

“Você se acha o grande, hein…” Disse Ana com clareza em sua voz.

“Só acho, né?” Ele disse respirando

Ana engasgou profundamente “Deus… do céu…” e então sussurrou.

Eu tinha que admitir agora, Ana estava com paixão em sua voz, ela não conseguia se manter sussurrando, parecia que havia parado de se importar se eu ouvia ou não. Observando toda a situação eu percebi que Ana precisava daquilo e provavelmente precisava a muito tempo, era por isso que simplesmente ia ficar deitado aqui, permitindo que ela tivesse esse momento, para minha surpresa meu ciúme se dissipou.

Ouvindo o ranger das molas e as batidas abafadas de pele contra pele, os choramingos de Ana ficaram cada vez mais altos, até que tive medo que Clara falasse algo, mas ela permaneceu em silêncio e eu me perguntei se ela estava se masturbando ouvindo. No momento que a cabeceira da cama estava batendo ritmicamente contra a parede.

“Richard…Richard…Richard…” suspirou minha esposa

“Isso… Isso…” Concordou Richard, o som de seus quadris batendo juntos era inconfundível neste ponto, pois eles pareciam desistir de qualquer preocupação em esconder, muito excitados em se importar com o que Clara e eu estávamos ouvindo. Então ele gemeu altos e as batidas rítmicas cessaram de repente.

“Oh… Richard…” Ofegou minha esposa, a adoração evidente em sua voz “Isso foi incrível…” Em seguida, ela baixou sua voz, constrangida e retomou o sussurro “Não tira… não tira… fica mais um pouco”.

Prendi a respiração enquanto o quarto ficava silencioso novamente, com medo de quebrar o silencio e admitir que implicitamente tinha ouvido tudo. Com medo de reconhecer que eu havia ouvido minha esposa sendo fodida e não havia interferido.

“Podemos todos dormir um pouco agora?” Sussurrou Clara atrevidamente no chão, Ana e Richard riram.

Fui acordado pela manhã por uma forte explosão de luz do sol, enquanto Clara fechava as cortinas com força.

“Nossa, acordou comigo fechando a cortina e não acordou com a barulheira de ontem?” Disse Clara enquanto eu me levantava e ia para o banheiro de cabeça baixa.

“Ué, eu não ouvi nada…” Eu disse fugindo entrando no banheiro.

O que Clara queria de mim? Ela queria que eu risse com ela sobre o quão engraçado que a situação era? Eu com certeza não faria isso, escovei meus dentes e então sai do banheiro e Clara estava parada me olhando

“Você está bem?” Ela perguntou com simpatia.

“Ressaca…” Eu disse.

“Isso é tudo? Tem certeza?” ela perguntou.

“Com fome, acho que eu to com fome…” Respondi.

Todos estavam reunidos em torno da grande mesa, bebendo café e conversando ruidosamente enquanto minha esposa e Livia faziam ovos mexidos, as bochechas de Ana estavam rosadas e seus olhos brilhantes, parecia mais jovem nesta manhã.

Ana ao meu ver, correr em minha direção beijando minha bochecha “Dormiu bem?”

“Bem, eu acho que sim” Eu murmurei.

Depois que todos foram servidos, Livia e Ana sentaram-se para se juntar a nós e fiquei irritado ao ver que Ana se sentou ao lado de Richard e deixou Livia sentar do meu lado.

“Eai Richard, como foi sua primeira noite dormindo com a esposa do Caio?” Perguntou Jairo com uma risada obscena.

“Então, tivemos uma pequena disputa territorial onde o lado dela terminava e onde o meu começava” Disse ele virando-se para trocar um sorriso com Ana “Mas a paz reinou”

Todos riram da situação e eu sorri junto, mas senti aquela ponta de ciúme e percebi que Bruno me olhava com preocupação. Bruno e Livia estavam no quarto ao lado e devem ter ouvido a cabeceira da cama batendo na parede ontem a noite. Percebi que Livia estava prestes a mencionar, mas Bruno lançou lhe um olhar de advertência e ela segurou a língua.

Após comer, ajudei a lavar a louça e me vi sozinho com minha esposa na cozinha

“Então, eu estava planejando ir as compras e talvez conversar com você depois do almoço…” ela disse cuidadosamente

“Tá… Vai comprar oque?” Eu perguntei maravilhado com sua pele brilhante, ela realmente estava radiante de felicidade esta manhã depois de ser fodida com tanta força.

“Ah, não sei, quero dar uma volta no shopping e ver alguma coisa…” Ela disse corando de vergonha.

Alguns minutos depois ouvi Ana conversando com Clara dizendo que havia visto na internet uma loja de lingeries próximo a nossa casa e que iria comprar algo novo para essa noite, na mesma hora o sangue subiu mas me controlei.

Me juntei aos rapazes conversando na sala e após alguns minutos notei que todas esposas estavam no quintal mas não via Ana nem Richard, me levantei a procurando tentando disfarçar, peguei meu celular saindo lentamente para rua e procurei lojas de lingeries até que encontrei uma próxima a casa.

Quando cheguei na loja a vendedora me cumprimentou brilhantemente mas eu a ignorei olhando e procurando sinais de Ana.

“Posso te ajudar senhor?” Perguntou outra vendedora me olhando com desconfiança.

“Oque você achou dessa?” Escuto a voz de Ana vindo de um provador.

“Prefiro você sem nada, mas essa é boa” Disse Richard.

Eu me virei para olhar para a vendedora e vi que ela estava ouvindo junto comigo.

“Essa é a minha esposa…” eu sussurrei. Por algum motivo, queria compartilhar minha indignação.

Olhos da jovem se arregalaram de surpresa.

“Oh, como eu já to ficando…” Disse Richard seguido de um barulho de zíper.

Observei o rosto da vendedora ficar vermelho enquanto ouvíamos os sons da minha esposa chupando o pênis de outro homem no provador, ela viu o horror em meu rosto e caminhou deliberadamente até o provador e bateu com força na porta.

“Meu deus, quase me engasguei” Disse Ana rindo

“Por favor, sem bagunça aí” implorou a vendedora “Não devo permitir casais entrarem juntos, eu posso ser demitida.”

“Já sairemos meu anjo” Disse minha esposa maldosamente

A vendedora olhou para mim e disse “Sinto muito, senhor, mas é melhor você ir embora, não quero problemas aqui.”

“Não haverá problemas…” eu suspirei, colocando a mão no bolso e indo embora.

Distante, fiquei esperando eles saírem da loja até que minha esposa e Richard surgiram de mãos dadas, minha esposa segurando uma sacola.

“Oh… meu deus…” Ofegou minha esposa em estado de choque quando me aproximei deles.

“Oi meu amor, o que você comprou ai?” Eu perguntei ignorando completamente Richard.

Ana corou profundando “Ah… É… Eu vou te mostrar mais tarde… pode ser?” ela disse olhando ao redor nervosamente.

“Ué, mas você não se importou de mostrar para o Richard…” Eu perguntei com raiva.

“Bem… eu a ajudei a escolher algumas coisas boas, você sabe né…” Ele disse suavemente, sem se preocupar em soltar as mãos de Ana.

Olhei para minha esposa nos olhos e ela me lançou um olhar suplicante que quebrou minha raiva e fez meu coração derreter ao ponto de não falar, apenas balancei minha cabeça em confusão. Ela estava tão tonta quanto uma adolescente apaixonada e eu percebi que ela basicamente desenvolveu um tipo de sentimento diferente por Richard sem deixar de estar apaixonada por mim.

Durante o jantar, fiquei satisfeito de ninguém ter feito piadas com Ana e Richard dormindo juntos, não sei se era porque a piada estava ficando velha ou se as pessoas perceberam que eu era sensível a respeito. Depois do jantar, jogamos carte, novamente bebendo bastante.

Ana e Richard estavam sentados lado a lado no chão e se tocavam muito, pequenos toques casuais, como encostar mão na perna do outro, nos braços, ombros, fingi não notar e ninguém comentou sobre a intimidade deles até que no final da noite o assuntou surgiu.

“Então Richard…” Disse Jairo embriagado “Você vai monopolizar a Ana pra você está noite ou vai deixar outro dormir com ela?”

“Vou monopolizar por mais uma noite” Disse Richard deslizando o braço em volta da cintura dela e olhando para mim como ousadia.

Eu sorri em reconhecimento, mas apenas tomei um gole da minha cerveja e não disse nada enquanto as mulheres riam em resposta.

“Eu vi a sacola de lingerie que você trouxe hein” Disse Livia, reprimindo um sorriso. Notei Bruno chutando sua esposa por baixo da mesa enquanto Ane corava de vergonha.

A sala ficou em silêncio por um momento enquanto todos digeriam isso, então todos explodiram em gargalhadas nervosas.

Clara então surgiu na sala com a bolsa nas mãos “É essa bolsa aqui?” Perguntou Clara

“Isso é meio pessoal…” Disse Ana com uma expressão preocupada com a mão no rosto.

Clara colocou a mão dentro da sacola a remexendo e extraiu uma camisa transparente preto e a ergueu para que todos vissem, arrancando gritos e assobiais, ela colocou a mão por dentro mostrando como era transparente. “Não vai deixar nada para imaginação”

“Bem… É claro que eu usaria algo por baixo disso…” Disse Ana endireitando-se defensivamente.

“Podemos ver você com essa roupa, Ana?” implorou Jairo com entusiasmo e embriaguez.

Todos começaram a bater palmas gritando o nome de Ana

“Ah, vamos, não seja tímida, a gente só vive uma vez!” Persuadiu Livia, ignorando o olhar sujo do marido.

“Sim, por que o Richard deveria ter toda a diversão?” Jairo latiu bêbado.

“Talvez você deva dar as pessoas oque elas querem, oque acontece em búzios, fica em búzios, né?” riu Richard, alisando as costas de Ana.

Ana olhou para e perguntou mansamente “Oque você acha, querido?”

Todos os olhos estavam em mim enquanto eu tomava um longo e cuidadoso gole de cerveja. Por eu não? Eu refleti para mim mesmo, se vou tolerar Richard, por que não deixar os outros darem uma olhada? Quem se importa nesse momento? Suspirei e disse “Bem… somos todos adultos aqui… adultos bêbados mas adultos…”

O grupo gritou em respostas e Livia deu um pulo com a sacola na mão e ajudou Ana a se levantar “Venha, venha prostituta, venha… Vamos ver oque o lanche do Richard tem reservado para ele esta noite.” Linda empurrou Ana para a próxima para se trocar e Ana olhou para mim por cima do ombro com apreensão.

“Meu deus, que segurança hein” Disse Silvana, gesticulando para mim do outro lado da sala.

Todos nós rimos e então Livia apareceu, arrastando Ana junto com ela, o rosto de minha esposava estava completamente vermelho de vergonha, ela segurou um sobre os mamilos e manteve a outra mão sobre a virilha enquanto avançava dentro da sala vestindo a lingerie que Richard havia escolhido para ela.

“Vamos, abaixe os braços” Exigiu Jairo, praticamente espumando pela boca de luxuria.

“Oh deus”, disse minha esposa, revirando os olhos “Ta-da!” ela gritou, jogando os braços para cima deixando seus seios completamente visíveis através de sua lingerie transparente antes de se cobrir de novo modestamente.

A sala explodiu em gritos e aplausos, tive que admitir, foi uma sensação boa.

“Uh… parece que alguém esta ficando cansado” Disse Richard, levantando-se “É melhor eu tirar essa dorminhoca e levar para a cama, boa noite pessoal”

“Boa noite a todos” Disse minha esposa com um aceno tímido enquanto Richard a levava escada a cima.

“Bem, quero dizer… é… eu vou me levantar” eu disse levantando-me com dificuldade pegando no braço de Clara para que pudéssemos firmar um ao outro enquanto subíamos escada atrás de minha esposa e seu amante.

“Podemos dizer que hoje a noite vai ser agitada” riu Clara enquanto subíamos as escadas juntos, mas eu apenas balancei a cabeça negativamente.

Quando entramos no quarto, Richard estava sentado na cama, sem camisa, assim como na noite anterior e Ana estava no banheiro com a porta fechada.

“Eu só queria agradecer por manter seu senso de humor com tudo isso” Disse Richard com um tom maligno.

Clara deslizou sob as cobertas em seu ninho de almofadas no chão e eu no me joguei no sofá, alguns segundos depois, Ana saiu do banheiro e desligou a luz do quarto, ficando um escuro total.

“Ei, alguém se opõe se deixarmos a luz do banheiro acesa com a porta entreaberta?” perguntou Richard casualmente “Não quero tropeçar e me machucar se tiver que usar o banheiro no meio da noite.”

“Por mim tudo bem” Concordou Clara “Além disso, Caio vai poder ficar de olho em vocês, só vigiando”

“Não sei se é uma boa ideia” Disse Ana

“Vamos lá, oque acontece em búzios fica em búzios” Persuadiu Richard

“Ugh… Tá….” Disse minha esposa, ela acendeu a luz do banheiro e deixou a porta entreaberta, um raio de luz disparou e iluminou vagamente o quarto enquanto ela andava de volta para a cama.

“EI, você vai dormir assim?” Eu disse, apoiando me no cotovelo quando percebi que minha esposa estava de lingerie.

“Mas amor, eu comprei para dormir confortável” Ela disse com seu corpo iluminado pelo feixe de luz, seus mamilos duros, claramente visíveis através de sua lingerie;

“Deixa ela dormir confortável Caio” Disse Clara, sentando se em seu ninho, então ela notou movimentos de Richard no cobertor “Eita, olha, Ana, Richard já começou os trabalhos”

“Meu deus, você esta se masturbando olhando para o corpo da minha esposa?” Eu reclamei

“Você pode me culpar?” ele perguntou bem-humorado “Olha para ela, puta merda…”

Ana sorriu para ele “Desculpa, querido… Boa noite a todos” Disse Ana, subindo na cama e indo para baixo das cobertas com Richard.

Eu podia ver a foram dos corpos por baixo da coberta e os barulhos molhados de beijos

“Richard, meu deus…” Engasgou Ana.

“Cuidado com a menina Richard” Riu Clara, enquanto se sentava observando a ação com total interesse.

“Uh, oque vocês estão fazendo?” Eu perguntei nervoso.

“Massagem… Só massagem…” Disse Richard ironicamente.

“Crianças nascem com essas massagens” Disse Clara rindo.

“Você pode deitar e dormir, por favor?” Perguntou Ana nervosa

“Oh caio, eu vou deitar atrás da sua esposa, por que agora eu só quero dormir” Disse Richard enquanto se acomodava atrás de minha esposa, tirando o cobertor.

“Oh meu deus…” Ana gemeu inusitadamente.

“Você esta bem, Ana?” Richard perguntou enquanto balançavam para frente e para trás

“Oh sim, sim, sim, estou bem” Ela ofegou.

“Isso não ta legal…” Eu disse apertando meu pau “Quero dizer, parece que vocês estão transando”

Richard riu e suas estocadas aumentaram, fazendo minha esposa ofegar novamente.

“Ah… Não, não, não seja bobo, querido…” Disse Ana lutando para manter a compostura “Quero dizer, isso é um absurdo, você pensar nisso… Richard para com isso não quero meu marido nervoso

Embora tentasse ficar acordado eu estava muito bêbado e exausto.

Algum tempo depois, abri meus olhos. Ainda era noite e cama estava rangendo, mudei de posição para que pudesse ver a cama e vi que Richard estava deitado e minha esposa estava montada de frente para ele, pulando para cima e para baixo, o que estava fazendo a cama ranger. Quando me mexi o sofá rangeu levemente o suficiente para Ana parar oque estava fazendo e olhar para onde eu estava deitado, eu duvidava que ela pudesse me ver bem nesta luz fraca, mas fechei meus olhos para caso conseguisse.

“Ele ta só se arrumando no sofá” Sussurrou Richard “Vamos” ele sussurrou.

“Ok, ok” sussurrou Ana concordando, eu abri meus olhos novamente e vi quando ela começou a se mover para cima e para baixo dessa vez com mais cuidado, ela ainda estava parcialmente coberta, então não pude realmente vê-lo penetrando-a, mas era obvio o que estava acontecendo. Ele estava com as duas mãos apertando os seios dela, que ainda usava a lingerie transparente, Ana estava com a cabeça jogada para trás e a boca aberta de paixão.

Foi incrivelmente erótico para mim ver minha esposa em estado de êxtase com outro homem, na verdade, ela de repente tornou muito mais desejável para mim e eu não pude evitar de me masturbar enquanto assistia deslizar para e para baixo na vara de Richard, amando cada segundo disso.

“Seu pau é tão gostoso…” Disse Ana com a voz rouca, as mãos plantadas no peito de Richard enquanto ela balançava para frente e para trás.

“Eu quero que ela veja, eu quero que ele me veja trepando com sua esposa” Sussurrou Richard, ele estendeu a mão para jogar as cobertas para que eu pudesse ver seu pau deslizando para dentro da minha esposa “Eu quero que ele veja como eu possuo você”

“Não.. não… não…” choramingou minha esposa “Oh deus… meu deus… sim… sim…” ela estava balançando para frente e para trás loucamente e agora a cama começou a ranger de novo.

Minha esposa desabou em cima dele e apressadamente puxou o cobertor sobre ela.

“Isso foi intenso…” Disse Clara sentada em seu ninho de almofadas.

“Cala a boca Clara, vai dormir” Disse Ana irritada

Ninguém me culparia se eu desse um soco na cara de Richard, mas o constrangimento seria muito grande, essas férias terminariam em uma semana e Richard não seria convidado para a próxima viagem. Uma pequena aventura pode ser excitante mas eu não queria que Ana fizesse disso um hábito, com esses pensamentos adormeci novamente.

Na manhã seguinte, fui acordado pelo sol, mas pelos gritos de paixão de minha esposa. Sentei-me com os olhos turvos e olhei em direção ao banheiro. A porta estava entreaberta e pude ver que Richard estava com minha esposa curva sobre a pia e a empurrava por trás enquanto ela miava e gritava. Jesus, esses dois eram como coelhos. Eu vi que Clara já havia saído do seu ninho e podia sentir o cheiro do café sendo preparado no andar de baixo.

“Ana?” Perguntei “Você está bem?”

Richard praguejou e bateu a porta do banheiro. Eu me levantei e fui mancando até o banheiro

“Quem está ai?” Eu perguntei batendo “Eu preciso urinar…”

“Uh, estamos quase terminando, espera” rosnou Richard. Eu podia ouvir o som abafado de seu quadril batendo descontroladamente contra a bunda da minha esposa.

“oh… oh… oh…” gemeu minha esposa.

“É isso, isso, vai!” Disse Richard.

“o que? Richard?” Perguntei.

“Nada, caio, nada, apenas nos dê mais um minuto, estamos acabando” Respondeu Richard quando os ouvi remexendo no banheiro.

A porta se abriu e minha esposa saiu com uma toalha enrolada na cabeça, curvada de vergonha, e Richard a seguiu de cueca samba-canção, sorrindo como um vilão que acabava de ganhar uma batalha sobre o herói.

“Vocês… é… vocês dois estavam lá…” Perguntei gaguejando.

“Estávamos apenas, você sabe…” disse minha esposa gesticulando desamparadamente. “Escovando os dentes e lavando o rosto.”

“Escovando os dentes, hein?” Eu perguntei.

“Foi uma escovação muito, hum, vigorosa, revigorante…” Disse ela, aproximando-se e envolvendo os braços em volta do meu pescoço, ela sorriu e eu senti minha respiração presa na garganta.

“Eu vou dar uma caminha com Richard, espero que você não se fique com ciúmes, fique com os outros meninos, deve ser divertido” Disse Ana desistindo de colocar sutiã e colocando um vestido curto.

“Você não vai colocar um sutiã? Ou uma calcinha?” Eu perguntou surpreso.

“Ah, não, não vou precisar, só vou caminhar com Richard por alguma trilha… nada muito longe…” Disse Ana sorrindo para mim diabolicamente, meu pau começou a ficar duro e ela apontou para ele e riu “Parece que isso está funcionando para nós…” Com isso, ela me deu um beijo no canto da boca e saiu correndo para ir encontrar Richard que a esperava no portão.

Foram férias diferente porém muito interessantes e eu me pergunto se convido ou não Richard para a próximo viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *