Duas rolas na amiga safada do trabalho

Olá amigos, em contos anteriores relatei algumas aventuras nessa vida doida e relativamente sexualmente ativa que venho levando desde a juventude..rs
Hoje retorno para compartilhar com vcs a história que vivi há algum tempo atrás
Meu nome é M…. e Sempre tive uma grande amizade com um parceiraço que conheci no decorrer da profissão, Fábio e eu éramos seguranças de um hospital de grande porte e muito conceituado de sp, trabalhamos durante muito tempo juntos, cerca de dez anos e nesse tempo convivemos com muitas situações diversificadas, conhecemos muitas pessoas e passamos por muita coisas juntos, dentre essas pessoas que conhecemos graças ao convívio diário no hospital se encontrava Juliana
Juliana era nova na empresa, muito educada e gentil, sempre nos tratava com cordialidade e se mostrava receptiva á uma amizade, o que não demorou para acontecer, com o decorrer do tempo nos tornamos amigos de confidências, éramos todos solteiros e saíamos sempre com a turma de amigos do hospital e em quase todas as vezes nós três estávamos presente nos lugares sempre juntos.
Era final do ano de 2013 quando anciavamos para a festa anual de fim de ano da empresa, nesse ano a festa seria no salão nobre do Corinthians e estávamos empolgados com a situação.
Ju como á chamavamos era muito linda, principalmente sem o uniforme de escriturária que era obrigada a usar no hospital e que particularmente odiava..rs
Loira, cabelos compridos com luzes claras, de estatura mediana e com um corpo de falsa magra que era perfeitamente bem distribuído, seios fartos, uma bundinha empinadinha e uma cinturinha que deixava qualquer um de queixo caído, ainda mais quando em momentos descontraídos usava mini blusa e calças de cintura baixa, que deixava amostra sua tatuagem de coruja no lado esquerdo do corpo.
enfim… apesar de vê-la sempre como amiga, nunca deixei de reparar no quanto era atraente. entre nós não tínhamos muitos segredos, vivíamos falando besteiras e brincavamos um com os outros sem nenhum tipo de constrangimento.
No dia da grande festa, Ju estava deslumbrante, vestia um vestidinho preto, não tão curto, com um corte na lateral, o que a deixava muito sensual. Tanto eu quanto Fábio estávamos vestidos da forma convencional, terno preto básico..rs
A festa como sempre estava super animada, muita gente bonita, muita buceta gostosa, sempre fui mulherengo( tenho histórias á compartilhar com vcs) e raramente saia de uma festa sem uma buceta para me aquecer a noite, nessa época ainda solteiro, morava sozinho em um apartamento em guarulhos para ser mais específico no jardim bela vista.
No decorrer da festa nós três bebemos muito, sendo que Ju havia abusado um pouco mais das sensacionais caipirinhas de morango..rs
Juliana não era muito de dançar, mas nesse dia de forma surpreendente e com umas a mais na cabeça me arrastou para a pista de dança, lembro que nesse momento tocava uma música eletrônica, a pista estava pouco iluminada e as luzes de discoteca se faziam presente, entramos naquele clima sensual, Juliana dançava de maneira provocante, rebolando aquela bundinha empinada na minha frente, não aguentei e cheguei mais pertinho, encostando meu pau por trás enquanto ela rebolava ainda mais.
nesse momento a rola já se encontrava como uma Rocha de tão dura, ela percebendo a situação entrou de vez no clima entrelaçando minhas mãos por sua cintura e roçando ainda mais provocativamente na rola dura, confesso que minha vontade era levantar seu vestido e enfiar meu pau na sua buceta ali mesmo..rs mas tive que me conter, com o final da música ela se dirigiu ao banheiro e com um sorriso de menina levada disse que quando voltasse eu poderia levá-la para minha casa para terminar o que havíamos começado na pista de dança, mas com uma condição, que Fábio tbm entrasse na brincadeira.
Fabio e eu, modestamente falando éramos dois caras bem atraentes, eu 1.85 de altura, branco, não tão forte porém com um corpo bem destribuido graças aos 5 anos de boxe, olhos castanhos claro e cabelos escuros.
Fábio já era do tipo mais fortão, devia ter 1.83 de altura pq era um pouco mais baixo do que eu, natural da bahia era moreno, alto, praticante de musculação e capoeira. Contei os planos do fim da festa para Fábio que apesar de meio tímido e sem saber direito se teria coragem de participar, topou de imediato nos acompanhar.
Saímos os três da festa, nessa altura da noite nenhum de nós estava bêbado o suficiente para dizer que não sabíamos o que estava prestes a acontecer ali.
Eu dirigia o carro um astra preto todo filmado que era meu xodó, Juliana preferiu ir no banco de trás com Fábio e antes que eu pudesse perceber, ao olhar no espelho central do carro pude ver Juliana e Fábio dando uns amassos, sinal que a brincadeira tinha tudo para rolar..rs
Chegando no prédio, estacionei o carro no segundo subsolo, meu apartamento era em um dos últimos andares, ficando no 13º, entramos no elevador de serviço que ficava na parte de trás do prédio, e nos dirigimos até meu apartamento, antes, porém já havíamos começado a pegação no elevador, Fábio e Juliana se beijavam intensamente enquanto eu apalpava e roçava minha rola dura na bundinha maravilhosa daquela safadinha.
Foi automático, ao entrarmos no apartamento nos deparamos com o enorme sofá que havia na sala, tiramos nossas roupas e demos sequência em nossa festinha de fim de ano, Ju tinha um corpo maravilhoso, e não precisava de esforço algum para nós deixar excitados, ela era simplesmente linda, como não havia reparado antes no quanto ela era deslumbrante, ao tirar sua roupa Juliana nos deu permissão para adentrarmos no paraíso.
Eu sentei no sofá de pau duro observando ao meu lado Juliana sendo chupada por Fábio que caia de boca naquela safada com vontade, aquela visão me deixou com muito tesão, Juliana gemendo muito me punhetava ao mesmo tempo em que se retorcia com a chupada que levava. durante um bom tempo Fábio se saciou com aquele bucetinha até que ela não aguentou mais de tanto tesão e lambusou sua boca com uma gozada intensa, se retorcia de prazer e não largava a mão do meu pau por nada, as vezes até o apertava forte, porém eu não me incomodava com isso, eu estava em êxtase com aquela situação.
Já Acomodado no braço do sofá com o pau latejando de tanto tesão recebia de juliana um boquete fantástico enquanto ela de quatro aguentava o tranco na buceta pelas estocadas que Fábio com sua rola enorme a presenteava, as estocadas eram tão fortes que as vezes ela tirava meu pau da boca e gemia muito alto, a rola do negão a maltratava, ela sentia o peso da benga em sua buceta, mas encarava com coragem a cada estocada que levava com força. nos momentos que ela tirava a boca da minha rola eu imediatamente tratava de colocar novamente, queria estar dentro dela a todo momento, minha rola quando não estava em sua boca estava dando golpes fortes em seu rosto, Ju conhecia ali na pratica a famosa surra de pau duro..rs
Nossa trepada havia chegado ao ponto de não termos mais um pingo de dó daquela delícinha, Fábio fodia sua buceta com muita força e esfolava sua bundinha com tapas intensos desferidos por sua mão pesada enquanto eu socava minha rola enorme de tesão em sua boca, ficamos nesse vai e vem por pouco tempo o tesão era enorme e difícil de conter, Fábio inundou sua buceta gozando muito, juliana insaciável pedia mais..
fode negão…
Fode fabinho..
Quero gozar porraaaa
Fábio mesmo já havendo gozado não parou até que ela chegasse lá também, Juliana gemendo muito gozou na rola de Fábio enquanto eu tbm já não aguentando lambuzei seu rosto todinho, juliana tinha tanta porra no corpo que precisou tomar um banho, eu e Fábio fizemos questão de acompanhá-la e no banho revezamos para foder aquela buceta.
Continuamos nossa foda, dessa vez em meu quarto, Fábio encontrava-se deitado e após receber uma chupada gostosa já se encontrava a ponto de ver aquela potranquinha cavalgar em sua benga, ela o fez com perfeição se inclinava para frente e para trás fazendo um movimento de gangorra e pulava forte na pica do negão, eu punhetava meu cacete vendo aquela cena e também já me encontrava em ponto de bala novamente, foi quando Ju mesmo tendo trabalho com a benga enorme que entrava na sua buceta naquele momento me pediu.
Vem cá M…
Me pega de jeito…
Poem no meu rabo põem…
Eu me aproximei e de maneira delicada Juliana se inclinou para frente deixando seu rabo empinado, ela naquele momento já sentia a rola de Fábio em sua buceta, uma rola enorme por sinal e agora estava prestes a sentir a minha rola não tão enorme mas, muito grossa de 18 cm rasgar seu cuzinho
Me encaixei da melhor maneira possível para que ela se sentisse confortável, encostei a cabeça da minha rola em seu cuzinho e a pressionei contra mim, para que ela tentasse controlar a situação, nesse momento ela já não cavalgava na pica de Fábio mantinha se parada tentando encontrar a melhor maneira de saciar sua fantasia sexual e com muito cuidado foi encaixando seu cuzinho na minha rola, ela gemia de tesão, sentia dor, mas não parava , enfiava meu pau cada vez mais pra dentro de seu rabo apertadinho até conseguir colocar tudinho pra dentro, nesse momento ela gemia demais, tinha dois mastros em seu corpo mas aos poucos se acostumando com aquela sensação passou novamente a ter prazer, insaciável de tesão, ela se realizava naquele instante eu a fodia por trás enquanto ela cavalgava na rola de fabio, e assim ficamos por um bom tempo ela gemia hora de dor hora de prazer, eu colocava fundo, já fazia movimentos mais bruscos e ela pedia mais força.
Puta que pariu…
Fode…
Fode minha buceta…
Fode meu rabo…
Porraaaa eu vou gozar disse Fábio..
eu também já não aguentava mais, estávamos ali fazia algum tempo, ela pedia mais.
Não goza agora caralho…
Segura um pouco…
Eu tô quase lá tbm…
Fode…fode minha buceta
Fode…
fode vai…
não para
Fode…
Foi quando nós três gozamos eu gozei primeiro, enchendo seu cuzinho de porra, uma sensação indescritível, meu pau latejando de tesão, a cabeça
enorme de tão inchada, Juliana havia se realizado, sentia o jato de porra na buceta e ao mesmo tempo que sentia prazer em gozar naquela rola enorme sentia outro cacete enorme inundar seu cuzinho de porra.
Não preciso dizer que essa foi umas das metelanças mais fodas da minha vida, acreditem amigos, esse conto é verídico, apenas troquei os nomes dos envolvidos, comecei minha vida sexual muito cedo e ainda tenho muitas histórias para compartilhar com vcs.
Ótima semana aproveitem as chances e gozem sem pudor.
PS: nós três continuamos amigos, mas nunca mais repetimos a dose, acho que valeu muito a pena, e quem tem um pau amigo ou uma buceta amiga nunca ficará na mão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.