Dando para o amigo do meu namorado

Primeiramente irei usar nomes fictícios, vou me nomear como Natália. Tenho 19 anos, 1.60, pele morena clara, cabelos escuros e longos até a bunda, modéstia à parte mas com um corpo de violão. Namoro com um cara de 23 anos, irei chamá-lo de Bruno. Quando comecei a namorar com o Bruno, ele logo me apresentou alguns amigos dele, dentre eles esse amigo chamado Fábio, porém nenhum deles havia me chamado atenção. Mas certo dia estávamos conversando e o Bruno soltou que quando a gente ainda ficava o tal amigo Fábio tinha me achado muito bonita e que se o Bruno e eu parássemos de ficar, ele queria muito ter a chance de me pegar. Mas como eu e o Bruno assumimos um namoro, essas chances sumiram (imaginava eu). E então começa a história, quando em um dia o Bruno havia alugado uma chácara junto

Sexo Por Telefone

com seus amigos, dentre eles o Fábio mas que seus amigos também iriam acompanhados e ficaríamos lá de sexta a domingo. Então chegou o dia, sexta feira à noite e chegando neste sitio, os homens já foram lá fora arrumar churrasqueira e cuidar das bebidas e as mulheres ficaram dando um tapa na casa. Lá para as 00h estávamos todos lá fora, e percebi algumas olhadas de Fábio, mas nem liguei pois já estava acostumada, todas as vezes que saiamos juntos ele sempre olhava. Tanto que fomos dormir. No meio da noite eu saí do quarto para ir ao banheiro, e vi alguém na sala com a Tv ligada, dei uma olhada e era Fábio:

-Nossa ainda tá acordado? Perguntei
-E você também né? Coincidência?! Ele respondeu.
Apenas virei, fui ao banheiro e voltei para a cama, mas já não consegui pegar no sono, não sei por qual motivo mas vinha Fábio a minha mente, mesmo eu não querendo. Passando uns minutos consegui pegar no sono.
No outro dia acordamos e passamos o dia muito bem, chegando a boquinha da noite fui tomar um banho. Coloquei uma blusinha caída nos braços e folgadinha que mostrava os biquinhos dos meus peitos e uma saia jeans bem curta, mas que não chegava a mostrar a popa da minha bunda, terminei de me arrumar e logo fui pra fora, junto com as meninas. Chegando lá foi impossível não notar o olhar do Fábio para mim, fiquei até com medo de Bruno ter notado, mas segui e sentei do lado do meu namorado. Já estavam bem alterados, principalmente o Bruno. Fábio ainda estava são e não conseguia para de olhar para as minhas coxas, com uma cara de desejo que estava fazendo eu me sentir desconfortável. Estava em pé escorada no balcão da área de churrasco e Fábio passou atrás de mim, era apertado então automaticamente encostou em mim, fingi que nada aconteceu e ele passou de novo, mas dessa vez passou com mais vontade e eu senti algo, não posso negar que eu tinha gostado daquelas sarradas que ele tinha me dado, mas só dei uma olhadinha por cima dos ombros.

A noite ia passando e o pessoal estava ficando cada vez mais bebados, uns já tinham pegado no sono, aliás já era quase 1h da manhã. Confesso que eu também já estava louca para ir deitar, mas tinha que esperar por Bruno. Felizmente depois de uns minutos Bruno foi deitar e eu fui logo atrás. Deitamos e eu estava louca pra transar, mas Bruno simplesmente deitou e praticamente desmaiou no sono. Então tive que começar o trabalho sozinha, comecei a massagear minha bucetinha, e só vinha Fábio na minha cabeça, daria de tudo pra ser ele ali do meu lado. Demorei uns minutos e tentei ir pegar no sono, fui buscar um copo de água e quando cheguei na cozinha vi a luz de fora acesa e apaguei. De repente ele entrou e falou
-Estou aqui fora kkkk

– Aí desculpa, kkkk pensei que não tinha ninguém. Respondi.
– E você ainda não dormiu?! Ele perguntou
– Pois é ainda não.
– Então vamos sentar no sofá pra ver se o sono bate, porque eu também to sem.
Fomos e ele colocou um programa na tv, começamos a assistir e eu via que Fábio ficava olhando pra mim, as vezes eu dava umas olhadas também, mas bem disfarçadamente. Quando de repente ele fala:
– Você tá linda nessa roupa, Bruno é muito sortudo!
– Obrigada! Ele é? Por que? Perguntei a ele.
– Ah Nat, com uma mulher assim, ele não precisa de mais nada na vida. Sempre te achei muito atraente, mas nunca tive coragem de falar.
– Ah obrigada Fábio, te acho um cara bem legal.
Continuamos assistindo e então senti uma mão na minha coxa. Confesso que me arrepiou inteira e permaneci ali. Então a mão dele foi subindo e eu olhei bem para a cara dele com a expressão de interrogação e ele me diz:
– Eu sei que você tá afim, ninguém precisa saber de nada. Vai ficar só entre a gente. Não se faz de difícil que o seu corpo já tá todo arrepiado.

Ele foi chegando perto, com muita calma e me deu um beijo calmo e bem molhado no pescoço, fazendo eu sentir q respiração dele quente no meu cangote e passando a mão na minha bunda, com pegada firme, mas bem devagar. Confesso que nessa hora minha calcinha já estava toda molhadinha. Ele olhou bem no fundo dos meus olhos e me chamou para o quarto vazio que tinha, e eu simplesmente fui. Chegando lá ele foi me beijando, um beijo gostoso, lento e bem molhado. Passava a mão no meu corpo e beijava o meu cangote. Me deitou na cama e continuou me beijando, tirou a minha saia e olhou para o meu corpo, era impossível não notar q cara dele de tesão, de desejo. Levantou a minha blusa e passou a língua bem de leve nos meus peitos fazendo um movimento de vai e vem, aquela hora eu já não mandava mais em mim, ele podia fazer o que quisesse comigo, havia esquecido até que Bruno estava naquela mesma casa. Depois lambeu por cima da minha calcinha, aquilo estava me excitando de um jeito, foi tirando ela aos poucos e falou:
– Molhadinha do jeito que eu gosto -cheirou a calcinha e disse: abre as pernas pra mim.

Eu obedeci, ele foi abrindo minha bucetinha molhadinha com a língua e passando a língua de leve como se estivesse beijando. Ele chupava gostoso, chupava com vontade. O meu namorado nem ligava em me chupar, mas ele não, ele chupava como se fosse a última vez na vida. Ele chupou durante uns 15 minutos, eu tive orgasmo e ele não tirava a boca.
Depois levantou e foi tirando a roupa e colocando o pau pra fora, eu só queria cair de boca naquele pau gostoso, minha vontade era chupar até sair leitinho quente na minha boca. Mandou eu chupar ele e eu fui. Fui passando a língua na extensão, e nas bolas e por último passei a língua de leve na cabecinha, que tava toda molhada e bem rosada. Chupei ele com gosto, como não tinha chupado ninguém há anos e ele gozou. Pedi pra gozar na minha boca e eu engoli aquele leitinho quente. Levantei e ele pediu para eu sentar na cabeça dele, sentei com vontade, rebolava na cara dele e ele me chamando de gostosa, não demorou muito e eu gozei, gozei muito, gozei gostoso.

Ele com um jeito autoritário que me deixava louca, mandou eu ficar de quatro pra ele e empinar bem, fiquei e ele colocou o pau bem devagarzinho. Eu estava tão molhadinha que a pica foi deslizando sozinha, bem gostoso. E ele metia de leve no começo, eu gemendo gostoso e pedindo pra ele meter mais forte. Ele foi aumento a velocidade e metendo com mais força e cada vez eu só queria mais, queria que me fodesse mais. Ele me batia gostoso, puxava o meu cabelo com jeitinho e falava no meu ouvido, que eu ia gozar pra ele e eu falava tudo que ele mandava.
– Me fode com força, mete gostoso com esse pau na minha bucetinha. Vamos fazer seu amigo de corno. Aí me fode mais
– Você quer mais cachorra? Então toma, vou te foder todinha, te deixar com vontade pra você vir atrás de mim querendo pica. É pica que você quer?

E falando isso ele metia com vontade, e gozou. Mandei gozar dentro de mim, gosto de sentir o leitinho quente em mim. E ele mandou eu ir por cima. Sentei naquele pau e que pau gostoso viu. E fui cavalgando, ele olhava pra mim e eu com cara de puta, cara de safada, ele batia na minha cara, chupava os meus peitos e eu cavalgando e rebolava na pica bem gostosinho. E então nós dois gozamos assim. Quando
Olhamos no relógio, já era 4:47h da manhã. Sai correndo pro quarto e fui pra cama, não demorou muito e dormi. No outro dia de manhã transei com o meu namorado, mas queria que fosse o Fábio ali, fingia que fosse ele. O dia passou normalmente e quando foi a tarde, fui no banheiro e olhei pra Fábio, ele entendeu o sinal. Quando ele chegou no banheiro eu estava só de biquíni, a parte de baixo afastada e batendo uma siririca, ele olhou com cara de safado, me colocou em cima da pia e caiu de boca na minha bucetinha, abriu minhas pernas e já enfiou sua rola gostosa, foi metendo devagarzinho e tampando minha boca, eu revirava os olho e ele metia, lambia meus peitos, foi uma rapidinha. Gozamos. Ele vestiu a roupa e saiu, e eu saí logo atrás, com a cara de safada, ainda sentei no colo do meu namorado e o Fábio me olhando. E assim acabou o meu final de semana, foi demais, já estou louca pra sentir a pica dele de novo. E botar uns chifres no corno do meu namorado.
Meu primeiro conto. Espero que gostem e até a próxima!

Disk Sexo

3 thoughts on “Dando para o amigo do meu namorado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *