Ajudando a melhor amiga a ter um orgasmo

Esses dias estava a lembrar de algumas aventuras sexuais que tive nos tempos de colégio. Infelizmente, comecei no mundo do sexo muito cedo, diversos arrependimentos, algumas consequências e muita história pra contar.
Uma das boas lembranças que tenho, é de ter ajudado minha melhor amiga a ter seu primeiro orgasmo. No banheiro do colégio, cabulando aula.

Sexo Por Telefone

Não me considero bissexual, mas tem algo nela que me atrai muito. Seu corpo é perfeito, cabelos curtos, seios extremamente fartos e um pouco mais baixa do que eu. Lembro que havíamos passado o intervalo inteiro no banheiro falando sobre sexo, sobre coisas engraçadas, situações inusitadas, até ter a informação de que ela nunca tinha tido um orgasmo. Questionei-a o porque e tive a resposta de que nenhuma pessoa havia feito ela sentir muito prazer. Ali eu senti que era minha chance.

Já como estávamos no canto, ninguém na porta poderia nos ver. Quando o sinal bateu e o pátio ficou vazio, ali senti que era minha chance. Tentei beijá-la algumas vezes, mas minha amiga desviou de mim, abaixava a cabeça e ria. Acabei perdendo o controle. Peguei-a pela nuca, prensei-a na parede e beijei-a, empurrando o meu corpo contra o dela. Ela resistiu por alguns segundos, mas acabou cedendo.
Puxei-a para dentro da cabine e sentei-a na privada, sentando no seu colo, tirando sua camiseta do uniforme, beijando e logo acariciando seus seios com vontade. Ao tirar seu sutien, aqueles seios enormes à mostra me deixaram louca. Enquanto tentava chupar um, o outro ficava em minhas mãos, queria ter tudo comigo, lambendo, chupando, mordendo e acariciando. Ela sem reação, apenas unhava minhas costas e ofegava. Me ajoelhei na sua frente, a sorte é de que uniformes não possuem cintos, botões ou zíperes, então é mais fácil de tirar e por. Ordenei que tirasse a calça. Abri suas pernas, e vi uma grande mancha úmida em sua calcinha. Cheguei mais perto e a lambi. Estava molhadinha, pra mim.
Ordenei que elevasse o quadril para tirar sua calcinha e que continuasse de pernas abertas. Olhei em seus olhos enquanto introduzia um dedo. Fui aumentando a velocidade, então coloquei mais um dedo. Minha amiga apertava a perna, mordia os lábios de tesão. Tirei os dedos de dentro dela e os lambi. Depois passei meus dedos em seus lábios e disse:
– Sinta seu gosto. Sinta como você é gostosa. – Ela lambeu os lábios e sorriu pra mim. Afastei mais suas pernas, e com uma mão em cada coxa, fui chegando perto e dei a primeira lambida. Ela suspirou. Fui chupando seu clitóris com cuidado, passando a língua nela toda, até que penetrei minha língua em sua vagina, fazendo movimentos rápidos. Senti meu cabelo sendo puxado muitas vezes. Quanto mais lambia e chupava, mais ela puxava meu cabelo e apertava os seios. Chupava, mordia, penetrava e lambia. Até que ela me pediu para que enfiasse a língua e a manter lá. Logo senti um delicioso suco tocando a ponta da minha língua. Ela havia gozado, em minha boca.
Fiz questão de limpá-la todinha com a língua. Levantei a cabeça com o rosto todo melado, lambi os beiços com o seu gosto enquanto olhava em seus olhos. Tentando se recompor e vestir o uniforme, ela me deu um ligeiro selinho e me disse:
– Obrigada. Eu quero mais. – sorri de lado, esperei-a se vestir e abrir a cabine. Lavei meu rosto, minha boca e minhas mãos. Senti um beijo em minha nuca. Ela me abraçou e disse que precisava voltar pra sala. Ainda tímida e sem reação pelo o que tinha ocorrido.
Depois desse dia, transamos algumas vezes na minha casa. Mas só irei contar nos meus próximos contos.

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *