A dentista

Hoje, irei contar algo um pouco inusitado que me aconteceu nesta semana. Inusitado porquê não me passava pela cabeça em fazer algo do tipo!
Bom, primeiramente irei descrever minha dentista, ela é alta, loira, branca, meio cheinha mas não é “gorda”, bumbuns grandes e seios fartos, deve ter uns 28 anos!
Todos os meses eu vou a dentista fazer a manutenção do meu aparelho e já estou quase me livrando dele, logo agora… Só que de uns meses pra cá eu comecei a reparar que ela havia começado a encostar bastante os seios na minha cabeça, eu como sou cheia das paranóias acabei pensando que era coisa da minha cabeça. Pois bem, nessa consulta que tive essa semana ela começou a encostar, só que com força e eu estava ficando um pouco sem graça já, não sei o que deu na minha cabeça que eu virei e disse:
– Maitê me desculpa mas você poderia não escontar tanto os seios em mim? É que eu estou ficando um pouco desconfortável (porra nenhuma, eu estava era ficando excitada com os pensamentos e toda situação).
Ela ficou surpresa com o que eu disse e logo falou:

LibidGel

– Desculpa! Mas você tem a mesma coisa que eu tenho, por que ficou tão desconfortável assim?
Eu respondi:
– Ah temos a mesma coisa, só que eu gosto do que você tem e você está me deixando excitada! Se quiser continuar pode, mas se você está afim de um “carinho” é só falar que eu não vou me importar nem um pouco de fazer esse tipo de carinho em você!

LibidGel

Gente a mulher de branca, ficou vermelha, roxa, azul tudo quanto é cor, kkkk. Ela não respondeu nada e eu meio que entendi como um não, percebi que ela fez o procedimento mais rápido do que o normal, quando eu me levantei pra ir embora (por dentro estava com aquele sentimento de derrota, e de rejeição), ela me puxou e disse:
– Está indo aonde ?
Eu disse:
– Como assim? (Risos) Eu estou indo pra casa ué, o procedimento já não acabou?
Ela respondeu:
– Claro que não, nem começamos! Agora você vai ter que me pagar com essa boquinha, pode começar a chupar meus seios e depois minha buceta, e chupe direitinho sua vadia.
Eu sou muito abusada, olhei bem nos fundos dos olhos dela com uma cara de safada e disse:
– Claro minha Dra preferida (queria inflar o ego dela), seu pedido é uma ordem! Vou te chupar bem gostoso.
A FILHA DA PUTA me deu um tapa na cara, mandou eu calar a boca, falar menos e fazer mais!
Na hora me subiu um calor, no geral eu que sou a “dominadora”, naquele momento eu estava sendo dominada! Ela desabotoou o jaleco dela e a camisa, tirou seus seios pra fora do sutiã e pegou no meu rosto com uma mão e puxou meus cabelos com a outra guiando em direção aos seus seios.
Logo me colocou pra mamar gostoso nela, eu muito obediente mamei cada cm daqueles seios fartos e lindos! Ora eu sugava um, ora eu sugava o outro. Eu chupava, acariciava com as mãos, mordiscava (com bastante carinho é claro).
Enquanto eu mamava com bastante vontade aqueles seios deliciosos desci minha mão em direção a calça dela, desabotoei e ao mesmo tempo em que eu chupava seus seios, invadi dentro de sua calcinha e comecei a masturba-la com a mão. Ela não me deu nem tempo direito pra fazer nada com a mão, me puxou pelos cabelos até a linha do seu rosto, tirou minha mão de dentro da sua calcinha e disse:
– Olha só piranha, vai me obedecer direitinho. Você só pode usar a boca, se usar a mão lá em baixo eu vou dá na sua cara!
Ela me soltou, terminou de tirar sua roupa e me puxou novamente pelos cabelos, sentou na cadeira me pôs de joelhos e disse:
– Lambe tudo cadela, não é disso que você gosta?
Eu prontamente obedeci, não tava afim de levar mais porrada na cara né kkkk, fora que a buceta dela era bem convidativa! Parecia até que ela adivinhou que iriamos transar, ela estava depiladinha só com uma linha de pelos no monte de Vênus.
Comecei a chupa-la, e ela não parava de falar . (sorte nossa que o consultório estava de mudança e esse seria o último atendimento ali, portanto só tinha eu e ela na sala de consulta e a recepcionista na recepção).
E ela dizia:
– Vai cadelinha, chupa essa buceta toda, isso vai! Se não chupar direito vai levar mais tapa na cara, me faz gozar na sua boca. Você vai ter que mamar até a última gota.
E eu chupei, chupei como se fosse a última buceta que chuparia na minha vida, eu chupava e olhava pra ela com uma cara de cachorra pidona.
Ela fala muitas coisas, na verdade aquela mulher não ficou um segundo calada. Eu nem imaginava esse lado dela. Eu chupei cada cm daquela buceta, sugava, lambia, fazia movimentos circulares, movimentos de vai e vem, tentava penetrar a vagina dela com a língua, mas ela sempre me puxava pelos cabelos quando eu fazia isso! Até que então ela anunciou que iria gozar.
– Isso vai safada, lambe tudinho. Chupa assim, não para que eu vou gozar.
Ela começou a gozar e não conseguiu segurar os gemidos, eu com medo que a recepcionista escutasse ou a próxima paciente tentei abafar os gemidos dela com minha mão, mas ela tirou e disse:
– Tá com medo de alguém descobrir é vadia? Deixa todo mundo saber que você agora é minha putinha.
(Agora irei confessar algo a vocês leitores, eu moro em cidade pequena e sou da igreja rs, então é claro que fiquei com medo de alguém escutar ou descobrir, e ela é claro que sabia de tudo isso já.)
Eu fiquei meia envergonhada e não respondi, ela me puxou me deu um beijo delicioso, levantou se vestiu, e eu me arrumei. Já havíamos demorado tempo demais ali.
Ela então disse:
Até que você é uma ótima paciente, temos que marcar mais consultas dessas!
Eu olhei e respondi “claro Maitê, vai ser um prazer me consultar com você sempre que possível.”
Rimos e demos um beijo de despedida. Quando eu abri a porta que dava pra recepção percebi que já havia chegado 4 pacientes e que todas elas, inclusive a recepcionista olhava pra mim de cima a baixo com aquele olhar de julgamento.
Pelo que vi elas já desconfiavam de algo, olhei dei um sorriso e disse alto para Maitê:
– Muito obrigada Dra, não estou mais sentindo dor nenhuma na boca por causa do aparelho, você sabe mesmo como tratar uma paciente.
Elas me olharam de uma forma, parecia que não acreditavam no que haviam escutado saindo daquela sala e da minha boca.
A Maitê saiu pra chamar a próxima paciente e disse “nada querida, sempre que precisar é só marcar um horário comigo!”.
Eu dei uma risadinha, disse que tudo bem e sai de lá como se nada demais tivesse acontecido.
Espero que gostem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *