Uma putinha chamada Nanda

Em 2017, eu trabalhei em um interior do meu Estado. Na época com 29 anos conheci nessa cidadezinha uma ninfetinha chamada Fernanda, ela com 14 aninhos, baixinha, branquinha, de coxa bem grandinha e bundinha arrebitada. No primeiro dia que a vi, ela estava com uma saia que dava pra mostrar bem seu contorno, também estava com uma camisa de alcinha branca e com um sutiã vermelho. Uma verdadeira ninfeta. Ela trabalhava com a tia na feira, e eu tinha ido fazer umas fotos de um político. Pois era assessor de imprensa dele. Aproveitei a ocasião e pedi pra o tal candidato tirar uma foto com essa jovem, coisa que ela já estava fazendo com outras pessoas durante a caminhada…, a minha intenção obvio era me aproximar da menina. Depois da foto, minutos após eu no meio de tanta gente fiquei procurando a garota atpe que um cara me abordou e disse:

— Aquela menina quer teu número.
Era justamente ela! Então dei o meu número pra o cara que passou para a garota. A noite ela manda mensagem pra mim, pedindo à foto que eu havia tirado. Aproveite e puxei assunto. Falei que ela era muito gatinha, se tinha namorado, essas coisas. Pra minha surpresa, ela era bem safadinha.
Passamos meses conversando. O cara que eu estava trabalhando ganhou a eleição, e posteriormente quando ele assumiu eu comecei a trabalhar com ele ocupando um cargo de assessor. Passou outubro, novembro, e as conversas nas noites com a nanda começaram a se tornar mais picantes. Ela já mandava nudes, eu batia punheta pra ela via vídeo pelo whatApp, ela fazia vídeo chamada e deixava eu olhar ela tomando banho…

Certo dia eu comentei que queria tirar a virgindade dela. Mas pra minha surpresa, ela me enganou, me contou algo que me deixou muito puto, mas muito excitado. Ela confessou pra mim que quem tirou a virgindade dela foi justamente o candidato a prefeito que eu estava trabalhando. Eu claro queria saber de cada detalhe. (falo sobre isso em outra postagem)…

…continuando!

Então eu perguntei como tinha sido e ela me contou todos os detalhes. Como aconteceu deles se encontrarem. Daí eu logo disse que o cuzinho dela, seria só meu, pois ela não tinha dado nem tentado nele. A essa altura ela já me contava todas as suas putarias. Pra vocês terem uma ideia, com oito anos o amigo do avô dela tocava o dedo na buceta dela quando iam pegar água no rio…

Chegou o dia de marcamos a vez de fuder ela.
Ela viajou para a casa da irmã, nas férias do fim do ano, ela mora na mesma cidade onde eu moro. A putinha me passou o endereço, então busquei, levei para minha casa e durante toda a tarde ela recebeu minha rola, e o melhor, ainda perdeu a virgindade do cuzinho apertadinho dela.

(PARTINDO PARA OS FINALMENTES – EM CASA)
Primeiro ela me chupou, eu deitado na cama, ela ajoelhada (ela ainda com roupa toda acanhada), depois tirei o shortinho dela, a camisa de alça, o sutiã amarelo e uma calcinha de renda também amarela. Quando tirei, vi aquela bucetinha ao vivo pela primeira vez, muito melhor do que nos vídeos que ela fazia me mostrando, então chupei a bucetinha, muito, mais muito mesmo. Ela soltava uns gemidinhos bem discretos, mas nessa altura já estava toda molhada. Em seguida fizemos um 69. Depois ela pediu para que eu ficasse deitado e ela subiu em cima, ela soltava uns gritinhos mais altos e fazia cara de dor enquanto minha rola ia entrando na bucetinha dela. Ela nem sentava em cima toda. Eu percebi que nanda estava muito nervosa, e não deixava eu comer ela do jeito que eu queria, então forcei a barra, deitei ela na cama, abria bem as pernas dela e fui forçando a entrada enfiando, pois estava com muito tesão e queria comer ela com força, pois sabia que ela era bem putinha.

Ela foi cedendo, mas me deu se contorcendo, relutando, depois relaxou, pois dizia que estava ardendo. Tomamos um banho, depois do banho ela ficou ajoelhada e eu fiz ela me chupar até eu gozar dentro da boca dela. Não me contentei. Ela olhou pra minha cara, e eu disse:

— Engole logo sua putinha safada!

Então eu a percebi engolindo minha porra.
A deitei na cama com a bunda virada pra cima, coloquei duas almofadas na barriga dela e disse que ia colocar no cuzinho dela. Peguei um creme de cabelo, passei na minha rola, na entrada do cuzinho rosadinho dela e sem camisinha meti, entrou a cabeça e um pouquinho do pau, mas como eu não fiquei segurando ela com força, ela saiu de baixo de mim, eu a puxei de volta e disse que ela ia ter que deixar. Então ela ajeitou a poupa da bunda, afastando uma da outra e eu comecei a entrar. Nossa foi muito gostoso, ela dizia na hora que meu pau estava abrindo o cuzinho dela todinho, isso me dava mais tesão.
Fiquei com ela até o fim da tarde, depois a levei pra casa da irmã dela. Dois dias depois ela me ligou dizendo que ainda não estava conseguindo sentar direito. Mas que adorou sentir meu pau no cuzinho, e que dar atrás era muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *