Transando com a Professora de Matemática da Época do Colegial

Bom, o que irei relatar aconteceu a alguns meses, mais precisamente em setembro e outubro desse Ano.
Já escrevi algumas experiência que tive com mulheres aqui nesse site, e o que irei contar também é algo real, aconteceu e continua acontecendo. Rsrsrs
Entro no meu facebook diariamente, e sempre tem solicitações de amizades pra eu aceitar, nesse dia, não foi diferente, estava lá um pedido da S (primeira letra do nome dela). S é professora, e por coincidência foi minha professora no 3º colegial.

Sexo Por Telefone


Sei que tanto homens quanto mulheres tem aquele amor platônico por professores, alguns até consegue transar com eles.
Porém comigo foi diferente, sempre tímido e respeitoso, jamais deixe transparecer a vontade de chupar bem gostoso aquela bucetinha da professora.
A professora é uma loira, de 1.60 de altura, pés 33, pés dela é simplesmente lindos, adorei chupar eles todinhos.
Assim que aceitei seu convite, já mandei uma mensagem agradecendo e puxando assunto, conversamos por algumas semanas, relatando experiência de vida, anos de escolas, faculdade e tudo mais. Ela hoje tem seus 42 anos, mas está em forma, alias, ela faz academia, ioga, aulas de dança, e ainda colocou silicone nos seios, então ela esta sim linda.
Conversa vai conversa vem, perguntei se ela estava solteira e a mesma respondeu que sim. Lembro que em setembro meus pais iriam viajar e pediram pra eu ir dormir na casa deles, para vigiar, pois moro em apartamento.
Resolvi chamar a S pra ir na casa de meus pais e com isso conversaríamos melhor neh. Ela aceitou e como ela dá aulas a noite e numa escola próxima a casa de meus pais, foi uma ótima ideia.
No horário marcado ela chega, conversa vai conversa vem, eu já parti para a iniciativa. Dei um beijo e ela compartilhou do beijo, ou seja, a vontade de beijar era recíproca. Começamos a nos beijar e ao longo dos beijos intercalávamos com conversas e alguns beijos no pescoço dela e nas orelhas.
Mas ela sempre esquivava quando a coisa começava a esquentar demais. Eu já desistindo, pois a gente conversava e beijava, e eu já sem assunto, pensei, hoje não vai dar nada não. Já estávamos nos despedindo, quando eu tive a brilhante ideia de tirar a minha camiseta, quando a tirei, o jogo virou, pois estava realmente calor, ela me olhou e falou, agora não da mais pra resistir a tudo isso.
Começamos a nos beijar, eu acariciando ela, e ao mesmo tempo puxando seus cabelos, e chupando seus seios, principalmente o biquinho de seus seios, comecei a apertar sua bunda e ela sentada no meu colo em cima do sofá começou a esfregar sua bucetinha em mim.
Quando tirei a sua blusa e sua calça jens, me deparo com a professora, apenas de calcinha fio dental vermelha e um sutiã vermelho, aquela imagem é sensacional, olhei pra ela, pedi pra ir até a porta e voltar.
Quando ela voltou precisei falar que já tinha batido muitas punhetas pensando nela e imaginando todo aquele corpo em minha frente.
Ela logo respondeu, então, vamos a ação.
Não demorou muito e já estávamos completamente nus, desejando o corpo um do outro. Levantei, peguei ela no colo e levei pro quarto onde eu dormia, pois a minha cama é de casal, e como mora apenas meu pai e minha mãe na casa, a minha cama continua do mesmo jeito lá
Comecei a tirar o sutiã e a calcinha dela, e logo fui fazendo aquela chupada deliciosa na sua bucetinha, intercalando com seus seios, e passando do dedo no biquinho de seus seios, enquanto chupava com muita vontade a sua bucetinha (a bucetinha dela era pequenininha, rosinha, toda delicada, muito melhor do que eu imaginava durante minhas punhetas). Com as chupadas, logo ela gozou, e já querendo meu pau em sua buceta, e eu como não sou bobo, queria provocar ela ainda mais, continuei chupando e ela não demorou muito gozou novamente, quando olho o lençol já tinha uma mancha de suas gozadas, já era hora de parar.
Perguntei se ela tinha gostado, a mesma foi até irônica, a mancha nesse lençol já diz tudo, concorda? E eu com certeza professora. E já retruquei, quer retribuir? E ela não pensou duas vezes e já estava pagando um boquete pra mim.
Já sou acostumado com as mulheres não conseguirem colocar meu cacete em suas bocas, pois ele é um pouco grande e um pouco grosso, mas ela fazia força pra tentar colocar, e aquelas engasgadas com muita saliva deixava meu cacete mais molhado ainda, acho que ela tava apenas lubrificando ele para não rasgar toda aquela bucetinha delicadinha e gostosinha dela.
Quando ela parou de chupar, já coloquei ela pra cavalgar no meu cacete. Aquele vai e vem, encostando no seu clitóris logo fez ela gozar novamente, e aquele gozo escorria até as bolas do meu saco, e logo já tirei ela da posição e coloquei ela deitada, fiz papai e mamãe com ela por alguns minutos, até que ela gozou novamente.
Ela gemia gostoso no meu cacete. Mete safado, come sua putinha, come sua professorinha do colegial, come essa professora, faz o que muitos ainda não conseguiram fazer.
Que disposição sexual é essa garoto…. Mete com força, quero que ela fique inchada pra eu lembrar de você a noite toda.
Mete nessa puta safada…Mete que se não meter gostoso vou dar pra outro. Mete, que estou gozando de novo nesse cacete.
Eu metia com força, bombadas rápidas e forte, puxando seus cabelos e dando tapas em sua bunda, bombava com gosto e com muito tesão.
E ela gemia como uma cachorrinha safada no sil, gemia e gemia, pedindo pica, pedindo rola, pedindo pra ser arrombada como nunca tinha sido.
E foi isso que eu proporcionei a ela, alias, estava ali pra isso neh, satisfazer a professora de todas as formas que ela quisesse. Estava ali apenas pra ela.
Ela já saciada, cansada e com a xoxotinha toda vermelha, inchada e arrombada pediu pra eu gozar nela, então falei, fica de quatro professora.
Quando ela ficou de quatro, empinou o rabinho dela pra mim, com aquelas marquinhas de esparadrapos, não resisti, dei algumas bombadas devagar, comecei a aumentar o ritmo, e logo, logo estava anunciando o gozo, enquanto ela gemia, agarrava o lençol com as unhas eu apertei sua cintura, e gozei jatos e mais jatos em sua xoxotinha, e ela como uma boa professora, gozou novamente comigo.
Deitei e como gosto de fazer com as mulheres que fico, coloquei a professora deitada no meu peito, como sou alto, 1.83, ela deitou todinha em cima de mim, e com a cabeça no meu peito, nisso, ela sentiu-se segura e realizada, tanto sexualmente, quanto como mulher.
Após o amor maravilhoso que fizemos voltamos a conversar, e ela revelou que se soubesse que eu era tão gostoso assim na cama, tinha experimentado a tempos atrás, por sorte, temos tempos a frente pra fazermos isso, devolvi a resposta.
Assim, terminamos aquela noite de amor com ela dormindo comigo na casa de meus pais, e no outro dia, realizamos outra festinha, e isso aconteceu bem na garagem da minha casa, mas isso, deixo pra outro conto, alias, tem ainda o encontro que tive com ela, antes dela ir pro clube na casa de uma amiga minha que eu também estava dormindo vigiando a casa enquanto a família dela estava de viagem de férias…. mas esses contos ficam pra outra oportunidade.
Espero que tenham gostados.
No final de ano agora estarei em Salvador – Bahia, entre os dias 25 de Dezembro a 07 de Janeiro, gostaria de conhecer uma leitora de Salvador ou da região, e quem sabe relatar o conto aqui pra vocês, com a autorização dela, é claro.
Atenciosamente.,
Dr.. (34)9-9239-3510…
Trinta e quatro nove noventa e dois trinta e nove trinta e cinco dez….
Whatsapp, chama lá, casais e mulheres que queiram conversam, com respeito, educação e um papo inteligente.

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *