Trabalho e prazer

Vou contar a historia de como perdi minha virgindade com meh chefe haha.
Sou loira, 1,65cm, coxas grossas, bunda bem redondinha, seios fartos e com 19 anos. Sempre fui bem reservada, mas mesmo sendo virgem, era muito safada. Sempre percebi que meu chefe Bruno, 1,70cm, branquinho, bem normal, porém muito charmoso, me olhava de forma diferente, com desejo, também notava uma atenção especial para mim, claro que como boa safada, seus olhares eram convites para minha imaginação fértil, em um dia comum, estava com um problema o qual não estava sabendo como resolver, logo solicitei que o Bruno viesse me ajudar, e o mesmo sempre solicito veio de

Sexo Por Telefone

prontidão, estava sentada na minha mesa e o mesmo chegou por trás massageando meus ombros, sempre me sentia um tanto nervosa com sua presença, mas de forma prazerosa, sentir aquelas mãos firmes me massageando fizeram com que eu soltasse um pequeno gemido.

Bruno: – Tudo bem, parece um pouco nervosa?

Eu meio desconcertada, afirmei que era apenas pelo problema ao qual não conseguia resolver. Bruno logo sentou ao meu lado para me ouvir e ao enteder a situação, levantou-se virando-se para mim e chegando um pouco mais perto pude sentir seu membro encostando em meu ombro. Mordi os lábios involuntáriamente enquanto meu chefe dizia:

Bruno: – Me dê 10 minutos, e vá a minha sala.

Pouco confusa imaginei que talvez fosse algo maior do que eu pensava. E neste momento já não referia apenas ao problema rs.

Dado os 10 minutos, me dirigi a sala do Bruno, fiquei um pouco tensa por estar sozinha com o mesmo. Entrei na sala:

Bruno: – Sente-se por favor.

Sento na cadeira apontada pelo chefe que estava em frente sua mesa.

Bruno: – Estou um pouco preocupado com você, parece um pouco tensa.

Disse o mesmo chegando mais próximos alcançando meus ombros por trás massageando-os, eu obviamente aquela altura já estava tensa, com tesão, sentindo um calor inexplicável.

Eduarda: – Não se preocupe, estou bem, apenas um pouco apreessiva com este problema ao qual não consigo resolver.

Bruno: – Você deveria relaxar um pouco. Disse o mesmo, se abaixando perto do meu ouvido.

Aquela hora, Bruno notou minha pele arrepiada, principalmente minhas coxas a mostra por conta da saia.

Bruno, continuou massageando meus ombros, com mais intenssidade.

Bruno: -Talvez, se relaxar um pouco, possa resolver o problema. Esta tensão toda não ajuda, posso te ajudar se quiser.

Naquele momento, vi que as coisas estavam caminhando para outra coisa, e eu como sou decido entrar no jogo. Pego meus cabelos, colocando para o lado, deixando meu pescoço a mostra.

Eduarda: – Tudo bem, aceito sua ajuda!

Neste momento pego a mão de Bruno que está no meu ombro e a conduzo de vagar para um dos meus seios, Bruno o alerta delicadamente, mas com muita vontade. Logo solto um gemido baixo, e Bruno vai até a porta e tranca a mesma, para que ninguem possa nos flagrar nos próximos momentos. Após fechar a porta Bruno segura em minha mão para que eu possa levantar, e segurando em meu pescoço me beija com vontade. Era possível sentir o calor dos nossos corpos enquanto nos beijavamos, Bruno usou a mão que estava um minha cintura para agarrar minha bunda, apertando com vontade, eu que já estava cheia de tesão, achei melhor contar sobre minha virgindade, antes de transarmos. Entre beijos, digo:

– Bruno, sou virgem. Quero isso tanto quanto você e achei de deveria saber.

– Isso realmente é uma surpresa, mas fique tranquila, te darei uma primeira vez inesquecível, prometo não te machucar. – Disse ele susurrando em meu ouvido.

Então me entreguei ao meu chefe ali mesmo. Ele me sentou em seu colo, na sua cadeira, de costas para ele, foi desaboatoando minha camisa devagar, enquanto beijava meu pescoço. Logo tirou meu sutiã e subiu minha saia, afastou minha calcinha para o lado, e com as mãos começou me masturbar em seu colo. Eu estava molhada, delirando, e ele cada vez mais rápido, quando me pegou no colo, me deitou em sua mesa e começou a me chupar, primeiro revezava entre meus peitos e depois descendo para minha bucetinha, onde me chupava loucamente, Bruno estava com uma das mãos na minha boca para abafar os gemidos, afinal, não queríamos ser interrompidos.

Bruno me chupava com cada vez mais vontade, enfiando um dos dedos devagar na minha buceta, assim já estava me levando a loucura, quando de repente, senti minhas pernas tremerem, e uma sensação inexplicável, ele me fez gozar, ali, em cima de sua mesa. Levei 1 minuto para me recuperar. Decido retribuir, peço para que ele fique de pé na minha frente, e ajoelho ali mesmo, abrindo sua calça e tirando seu membro para fora, logo começo a masturbação. Bruno gemia bem baixinho, e aquilo me deixava tão excitada. Logo comecei a passar a língua bem devagar na cabecinha do pau dele, e depois o coloquei na boca. Eu chupei aquele homem como se não houvesse amanhã, e antes do mesmo gozar sentei novamente em sua mesa, de pernas abertas para que ele pudesse me penetrar, Bruno logo pegou nos meus cabelos, entre beijos, dizia:

– vou colocar devagar, se estiver doendo me fala. – Apenas assenti.

Bruno foi colocando bem devagarzinho, e a dor era suportável, o tesão estava falando mais alto. Logo meu chefe, estava todo dentro de mim, fazendo movimentos de vai e vem bem devagar, aquilo incomodava um pouco, porém foi ficando gostoso, pedi para o mesmo ir mais rápido, e a felicidade em seu olhar, demonstrou o quanto o mesmo queria ouvir aquilo. Bruno, aumentou a velocidade, indo cada vez mais rápido e intenso, eu ja estava delirando, arranhando suas costas, pedindo por favor para que aquele homem gostoso me fizesse gozar novamente. Bruno puxou meu cabelo para trás e em uma estocada intensa me fez gozar, gozando junto comigo. Depois disso, de nos recompor, voltei para minha sala, e toda vez que tenho um problema vou a sala do meu chefe para relaxar rs.

Espero que tenham gostado, um beijo bem gostoso na boca de vocês!!!

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *