O cara da assistência me comeu gostoso

Então, a pouco tempo minha internet começou a dar problema e eu solicitei a visita de um técnico pra resolver.
E era um problemão, foram uns 3 técnicos e nenhum conseguiu resolver. Até que o Sérgio entrou em campo.

A primeira vez que o Sérgio veio aqui em casa eu não estava esperando pela visita dele, tinham me falado que a próxima visita só seria na semana seguinte. Aí do nada, sexta à noite, me parece um morenão, sexy pra cacete, me dizendo que iria tentar resolver o problema da minha internet. Sério o cara era sexy daquele tipo que consegue te deixar de pernas bambas só com uma olhada.

Como era sexta à noite, eu estava me arrumando pra ir a um barzinho e o modem da net fica no meu quarto… Tive que continuar me arrumando com o Sérgio lá, me olhando.
Percebi que ele tava um pouco sem graça por estar me atrapalhando, mas tudo mudou quando eu precisei me abaixar pra pegar umas bijus na última gaveta do criado mudo. Eu estava usando uma sainha curta e na pressa de acabar nem me preocupei em me abaixar “decentemente”. Joguei a bunda pra cima e peguei o que queria.
A visão da minha calcinha fio dental, preta, socada lá dentro da bunda deve ter deixado o cara doido porque ele começou a me comer com os olhos e eu fiquei toda sem graça quando percebi o que havia acontecido.
Mas continuei. Quando terminei tudo, ele me olhou dos pés à cabeça com a cara mais safada desse mundo e falou baixinho:
– Tá gostosa pra caralho! Ahhhh se eu não tivesse de serviço…

Eu fiquei vermelha, tenho certeza! Mas olhei pra ele e dei um sorrisinho, agradecendo pelo elogio. Ele terminou o que tava fazendo, mas não conseguiu resolver o problema, porém me falou que já sabia o que tava acontecendo e voltaria no outro dia com o material necessário.

A minha noite foi maravilhosa, mesmo lembrando vez ou outra da cara de safado do Sérgio consegui aproveitar a noite. Cheguei em casa de madrugada, cansada e morrendo de sono. Tomei banho e vesti só um shortinho curto pra dormir e deixei os peitões descobertos por conta do calor.

No sábado de manhã, em meio ao sono, começo a sentir algo passar pelas minhas costas, de levinho, subindo e descendo. Com o susto virei de barriga pra cima e dou de cara com quem?
Sérgio.
Quando o cara viu meus peitos quase babou, e eu no susto tentei me cobrir né?! Mas ele segurou minha mãos e puxou o lençol pra baixo.
Nossa aquilo me excitou muito, mas falei:
– Tá louco?! Quem te deixou entrar aqui? – ele bem calmo e sem tirar os olhos e agora as mãos dos meus peitos respondeu:
– Sua mãe. Alguém chamou e ela precisou descer – minha casa é primeiro andar e todos os quartos ficam na parte de cima. Isso queria dizer que só estávamos nós dois nesse andar.

Minha pepeca já estava encharcada, mas eu quis dificultar um pouco as coisa pra o lado do Sérgio. Levantei e fui em direção à porta, minha intenção era fecha-la, mas ele deve ter pensando que eu ia embora dali. Sabe um animal feroz quando parte em busca de sua presa? Foi o que aconteceu, antes que eu chegasse a porta ele me alcançou e já foi enchendo as mãos com meus peitos e me puxando de encontro a ereção dele. Minha única reação foi soltar um gemido, enquanto ele me empurrava pra parede na direção contrária da porta e falou no meu ouvido com uma voz safada:
– Não faz escândalo pra sua mamãe não escutar.
– Você é louco. Se ela aparecer aqui a gente tá ferrado. É melhor você me soltar.

O safado em vez de me soltar dá uma sarada na minha bunda e aperta ainda mais os meus peitos:
– Tem certeza que quer que eu te solte? Hein?!

Nossa, eu já estava toda derretida com ele falando no meu ouvido.
Bruscamente ele me vira de frente pra ele, com as costas grudadas na parede, e caí de boca nos meus peitos. Chupou, lambeu, mordeu e começou todo o processo de novo. Minhas pernas já estavam ficando sem forças porque eu tenho muitas sensibilidade nos seios, muita mesmo! Ele foi contornando meu biquinho com a língua, subindo até minha orelha.
– Tô louco pra te comer desde ontem. Se eu não tivesse trabalhando, tinha te seguido e você não teria me escapado.

Eu só conseguia gemer, tentando controlar o volume.
– Você jogou esse rabo pra cima só pra me provocar né?! – balancei a cabeça em negativa, não tinha mesmo sido de propósito.

Ele agarra meus cabelos na nuca com força, o que me faz gemer mais, e começa a rodear meu clítoris com os dedos por dentro do meu short.
– Porra! Que buceta molhada é essa? Você gosta de ser pega assim né?! Desprevenida? Bruto? Você gosta de provocar os caras que vem aqui? Já deu pra quantos?
– Nenhum!
– Hummmm! Vai dar pra mim, agora, aqui em pé, sem fazer barulho pra sua mãe não vim nos atrapalhar.
– Você é louco!

Ele baixa meu short com força e se afasta pra me olhar nua, completamente.
Minha pepeca depilada, só com aquela faixa em cima, o resto tudo lisinho.
Ele enfia a mão no meio da minha pernas, me penetrando com dois dedos, fundo e duro. Gemo alto. Com a outra mão ele tapa a minha boca.
– não faz escândalo, safada gostosa.

Começa a me penetrar forte com os dedos enquanto chupa meus peitos, meu pescoço, minha boca. E eu vou perdendo a força das pernas com aquela pegada dos diabos. Que cara gostoso é esse?! Adoro homem que tem pegada bruta na hora do sexo, sei que não vou me arrepender de dar pra o Sérgio. Minhas pernas fraquejam e ele para tudo que estava fazendo pra me segurar.
– Tira esse short e põe uma calcinha daquelas que você tava usando ontem.
Fiquei sem entender o pedido. E ele me explicou: – Desde ontem que não paro de pensar na tua bunda com aquela calcinha socada nela enquanto eu te como por trás, cachorra!

Eu terminei de tirar o short e fui até o guarda-roupas pegar uma calcinha fio dental, mas dessa vez vermelha. Enquanto visto a calcinha, faço questão de repetir o movimento da noite anterior e jogo a bunda, sem nada agora, pra cima. Da pra ele ver tudo: meu cue a pepeca piscando por ele.
Visto.
E ele volta a me atacar.
Me coloca de costas pra ele, escorada na cama, com a bunda pra cima. Enquanto ele abre a calça dele com uma única mão e bota um pau comprido e grosso pra fora, enquanto a outra mão começa a me masturbar e afastar minha calcinha pra o lado.
– Ahhhh delícia! Vou te comer logo e matar meu tesão acumulado.
– Vai! Mete logo esse pau na minha ppk, a gente tem pouco tempo.

E ele obedece. Pega uma camisinha da carteira, coloca e por trás, com minha calcinha puxada de lado, ele enfia tudo, até eu sentir as bola batendo na minha bunda e a cabeça do pau empurrando meu útero. Solto um grito.
– não grita, safada! – fala empurrando minha cabeça contra o colchão pra abafar meus gemidos e gritos enquanto ele me penetra com brutalidade e força.

Minha vontade é gritar, muito, mas não posso. E ele continua entrando e saindo e falando coisas que não consigo entender. Quando do ele enfia o polegar na minha bunda… Não aguento e gozo, gemendo alto o que o obriga a tirar a mão da minha cintura e voltar a empurrar minha cabeça no colchão.
– Não grita, minha putinha. Eu tô quase gozando, mexe essa bunda aqui no meu pau, vai!

E eu obedeço. Enlouquecida. Começo a rebolar sentindo o pau dele crescer e pulsar dentro de mim enquanto o dedo entra e sai do meu cú. Eu amo a sensação de estar sendo penetrada nos dois buracos. É demais!
– Posso gozar no teu cú, putinha? – ele só me dá a opção de responder com um aceno de cabeça.

Não tenho tempo de me preparar.
Ele arranca o pau da minha ppk, tira a camisinha e já começa a me penetrar na bunda. Dói, o pau dele é grosso mas não posso gritar. Aguento, gemendo enquanto ele me alarga toda.
– aí que cugostoso! É tudo apertadinho! Você vai me deixar te comer outras vezes né? Num outro lugar que você possa gritar bastante e eu possa te dar uns tapas bem estalados? – ele puxa minha cabeça pra cima pelos cabelos, bruto.
– Não sei se você merece – desafio o morenão gostoso e ganho uma recompensa.

Ele termina de socar o pau inteiro no meu cue volta a me masturbar, esmagando meu botão. Quando eu ele percebe que eu vou gozar mais uma vez, ele enche minha pepeca com dois dedos, entrando forte e duro no meu cú. Quase gozo a segunda vez.
Ele me puxa pelo ombro, me colocando de pé e me empurra contra a parede novamente.
– não grita! Vou gozar. Vou encher seu cucom a minha porra. Da próxima vez vou gozar na sua cara, na sua boca pra você tomar meu leitinho, vai engolir tudinho não vai?!
– Só se você me fizer gozar na sua boca antes – falei toda sacana, provocando-o.
– Vou ter chupar toda, vadia. Não vai restar um lugarzinho sequer que eu não passe a língua. Essa buceta gostosa pra caralho, esse cudelicioso, esses peitos que me deixaram doidos, tudo. Vou te comer todinha!
– Aiiiiii! Eu vou gozar!
– Goza, putinha, vou gozar também!

E ele enche meu rabo de porra e eu encho os dedos dele de gozo enquanto aperto forte o pau dele dentro do meu cú.
Não esperava ganhar uma foda dessas, nem com um morenão safado e sexy como o Sérgio.

Nos ajeitamos e descemos pra ele ir embora.
Minha mãe enfim aparece:
– e aí? Deu certo?

Ele me olha com uma cara de safado, lembrando do quanto tudo deu certo. Mas volta e reponde pra minha mãe:
– deu sim! Mas deixei meu contato com sua filha caso ela precise novamente dos meus serviços. Qualquer coisa estou à disposição.

E vai embora.
Ele deixou o cartão com os números do seu celular.
Eu com certeza vou precisar dos serviços dele outra vez. Com certeza!

*Esse é meu primeiro conto por aqui, espero que gostem!
Deixem comentários pra eu saber.”

4 thoughts on “O cara da assistência me comeu gostoso

  1. Procuro mulher fogosa ou casal cujo marido sinta prazer em me ver transando com a amada
    Tenho excelente nível, cheiroso, saudável e sigiloso
    [email protected]
    sp interior e viajantes
    Sem baixaria ou prostituição.
    Vem gozar comigo.Quero te proporcionar longas preliminares para deixar sua calcinha ensopada, cair de língua demoradamente e depois penetrar lentamente no início e depois enfiar vigorosamente ate se derreter em gozos alucinamentes e voltar arrombada e saciada para casa com cheiro de meu pinto impregnado pelo corpo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.