Meu irmão, fruto proibido

As vezes eu ia dormir na casa do meu pai, não que eu gostasse de dormir lá mas as vezes batia essa vontade. Casa ampla mas não muito confortavél, pois eu dormia na sala.
Não tinha muito o que fazer, eu ia mesmo era para visitar meu irmão. Ele estava no frescor da vida, e no vigor da puberdade. Meu pai, a mulher dele, que é mãe de meu irmão, e ele moram juntos. E eu fazia essas visitas às vezes, quase todas as visitas eu dormia lá na casa deles.

Vou contar sobre uma dessas visitas… eu comecei a sentir certo carinho por meu irmão, ele exagerava um pouco em suas maneiras de se expressar, muitas piadinhas que ficavam um pouco ridiculas, pois sempre que tinha oportunidade as fazia… no entanto o que me atraia era seu belo corpo.
Ele é e sempre foi mais baixo que eu, talvez um palmo de diferença, mas seu corpo era excelente, tinhas curvas deliciosas, um bumbum de proporcões equilibradas, um corpo delgado, pele macia, quiamada do sol, cabelos lisos um pouco compridos… um rosto iluminado de labios deliciosos.

Ás vezes eu ficava observando e desejava-o, como uma fera que observa uma presa e acaba se apaixonando. No entanto o fruto proibido só pode ser comido às escondidas e ele era para mim esse fruto proibido no qual eu salivava enquanto olhava e o desejo sempre almentava assim como a frequência das visitas.

Eu devorava-o em pensamento, deitada em minha cama, minha calcinha jogada do lado e meus dedos faziam o trabalho de meu irmão. Meus dedos deslizavam, em um momento imaginava a lingua molhada dele e em outros seu pequeno pau me penetrando. ele tem um pequeno pau mas delicioso de chupar, não tão bom quando está em mim pois é pequeno, coisa de doze centimetros.

Meu desejo sempre aumentava e pensando em ir até ele fui em mais um visita, diria que com objetivo ja formulado e plano de execução. Eu não via a hora de chegar a noite, pois eu sabia que ele tinha um sono pesado, mas pensei que ele poderia acordar mesmo assim. Havia duas camas de solteiro próximas na sala, ali seira onde eu realizaria meu desejo.

Meu pai e a mãe de meu desejado irmão saíram às compras no mercado, e eu sabia que dispunha de uma hora e meia pelo menos. Quando eles saíram meu irmão já estava deitado e eu aguardava a melhor hora para agir. Não demorou muito pois desejava-o com intensidade. Logo me aproximei para verificar se estava dormindo, parecia estar, então fui passando miiinha mão levemente em no corpo que tanto desejava, e fuii saboreando o prazer enquanto eu já estava molhada, meu corpo se preparava para o que viria.

Ele estava deitado de lado, coloquei-o virado de peito para cima, aproveitei para ariciar aquele torax que estava viril em sua puberdade. Comecei acariciar o pau dele enquanto ficava duro, quando completou este intevalo eu abri a bermuda que ele vestia, deslizei minha mão por dentro procurando o que eu tanto desejava

Eu sentia o cheiro de sexo pairando no ar quando estava com o pau dele em minha mão, eu olhava aquela pequena rola com adimiração, uma curvatura para cima que invergava como um arco. Um pau pequeno mas viril e cheio de desejo em minha mão deliicada, aproveitei e observei a cena comtemplando minhas unhas pintadas de rosa e branco em meus dedos realizados por segurarem o que desejavam.

Fiz os movimentos que quis para excitá-lo ainda mais, o momento de colocar aquela rola em minha boca ainda me faz salivar. Aproximei e chupei levemente aquela pica gostosa, meu cabelo longo e preto que acompanhava a meia luz que fazia atrapalhou um pouco e colequei-os de forma a se ajeitarem. Tomei o cuidade de não usar batom naquele dia, e beijei com minha boca rosada e fui chupando enquanto sentia o meu lubrificante natural que deslisava para minha boca, de pouco em pouco, apreciei esse momento que tanto desejei.

Eu sabia que não restava muito tempo, então fiquei apenas chupando e meu irmão sonhando sonhos não seis quais mas creio que eram bons a ponto de deixa-lo com muito tesão. Chupei as bolas dele como se fossem uvas, enchi minha boca com seu saco que guardava o semêm desejado. Depois de um tempo ele começou a se mover levemente na cama mas ainda dormindo, percebi que estava prestes a gozar. Nesse momento só pensei em fazê-lo gozar gostoso e satisfazer o tesão que ele sentia. Já não pensava só em mim, pensava em satisfazê-lo. Chupei com mais pressão e ele não ofereceu resistência e encheu com o liquido precioso a minha boca, saboreei o esperma que ele derramava em minha lingua, deixei que ele demasse por completo e bebi com satisfação o que eu tanto havia desejado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *