Conheci uma garota do OnlyFans

A pouco mais de 1 mês atrás me separei. Meu apetite sexual sempre foi alto, bem maior que o da minha ex esposa, isso fez nosso relacionamento se desgastar demais, aguentei bastante, sempre acreditando que as coisas iriam melhorar, mas não melhoram.

Era tarde da noite, nesse dia qualquer, quando recebi uma notificação no chat aqui. Uma pessoa dizendo “acho que eu sei aonde você mora”. No primeiro momento dei risada, pedi qual era a cidade e ela me respondeu. Para meu espanto, estava certa. Gelei. Quando comecei a escrever as minhas histórias, meu objetivo era apenas aliviar meu tesão reprimido, mas permanecer 100% do anonimato.

Fui no perfil dela, tinha um link para o seu OnlyFans e algumas poucas fotos postadas, abri mas não consegui nem apreciar a beleza do seu corpo, eu estava realmente nervoso. Voltei para o chat e apenas mandei “por que você acha que é essa a cidade?”. Ela então me explicou, tinha lido quase todos meus contos e identificou algumas características dessa cidade, pedi quais eram as características e ela descreveu-as. “Inclusive, a casa de veraneio com a trilha do lago, passei umas férias com meus pais nela”, se referindo a essa história. Isso era quase de madrugada, passei o resto da noite relendo meus contos, identificando esses pontos que ela falou e editando, tentando dar uma escondida neles.

Eu estava me sentindo ameaçado. A manhã do dia seguinte fiquei pensando nas possibilidades que poderiam acontecer comigo. Até que me dei conta do óbvio, para ela saber todos esses detalhes, deveria morar na mesma cidade. Peguei o celular, entrei no Reddit e mandei uma mensagem “somos conterrâneos então”. Apesar de eu ter me sentindo ameaçado, ela tinha sido gentil e parecia ser uma pessoa querida.

Ela mandou emojis de risada e falou “eu sei um segredo teu, você sabe um segredo meu, estamos quites”. Comecei a conversar com ela, parecia legal, nosso papo fluiu muito bem. Por um pequeno instante esqueci que ela tinha um OnlyFans e me atentei a conversa. Puxei o assunto sobre o anonimato, expliquei que tinha ficado nervoso com sua abordagem, ela se desculpou, não era a intenção e entendia perfeitamente, presava 100% pelo seu anonimato também.

Depois ela puxou o assunto dos meus contos, foi explicando que tinha gostado deles, ficava muito excitada lendo, conversamos sobre eles um pouco. Tentei imaginar como ela seria, até que me lembrei da sua conta e fui no seu perfil dar uma olhada. Abri todas as fotos, não tinha muito mais que 10. Realmente, as fotos davam bastante ênfase em seu corpo, mas nunca mostrando o pescoço para cima, apenas peitos, bunda e buceta. O fundo das fotos geralmente eram bem neutros e não dava nem pra identificar o tipo de ambiente que era. Como ela disse e dava para perceber, morria de medo que descobrissem quem era.

Fiquei apreciando por um tempo as suas fotos. Ela era linda, um corpo magrinho, mas não era seco. Dava para ver o formato de alguns músculos, não era bombada, mas percebia-se que cuidava bem da alimentação e frequentava academia. Tinha peitos redondinhos de tamanho médio, bunda e coxas também médios. Sua bucetinha era toda depilada, bem rosadinha. Nas fotos de costas dava para ver o cabelo descendo até quase chegarem na bunda, cabelos castanhos bem compridos e lisos. Tinha umas fotos com o pés também, unha vermelha, bem delicado, com a sola rosinha. Mas ali não dei muita bola, não tenho fetiches por pé.

Mandei para ela “essa última foto ficou sensacional”. Era uma foto que ela estava sentada no chão, com as pernas abertas, uma mão no clitóris e outra segurando um celular que estava no nível dos peitos. Dava para ver que sua bucetinha estava bem molhada. Novamente ela mandou emojis de risada e pediu “sério mesmo? Gostou dessa?”. Respondi “é claro, teu corpo é muito lindo, ainda mais molhadinha desse jeito”. Eu estava excitado.

“Que legal que você gostou dessa, estava tocando uma lendo o conto do rodeio”. Male mal acabei de ler, fui no banheiro e toquei uma também, afinal, eu estava no meu escritório. Meu deus, como eu tinha ficado excitado. Voltei para o chat e falei “bom, agora bati uma vendo a sua foto”. Ela riu novamente. Eu não curto assinar OnlyFans de modo geral, já assinei algumas vezes quando a menina era linda demais para meu gosto, e o dela ali estava sendo tentador demais. Além de linda, senti uma conexão “profissional”.

Pedi como ela tinha tirado a foto, já que estava com o celular na mão “lendo meu conto”. Explicou dizendo que tinha 2 celulares, um que ela utilizava como particular, para o dia a dia e outro utilizava como um celular comercial, não tirava de casa e deixava bem guardado quando não estava utilizando. Sempre presando pela segurança de seu segredo. Ela me pediu de onde tirava inspiração para escrever, respondi “me inspiro em coisas que aconteceram comigo, ué, mas é claro, a história é contada por aqueles que venceram a guerra”.

Comecei a pensar que se ela veio falar comigo para conquistar um seguidor, parabéns, tinha conseguido. Mandei “ótima tática” e dei uma risada. Ela pediu sobre o que eu estava me referindo, expliquei então essa teoria. Ela riu e disse “não foi tática nenhuma, só quis te parabenizar, algumas fotos que tenho, só aconteceram por causa das suas histórias”. Fiquei mais feliz do que o esperado com esse ‘elogio’, falei para ela que estava pensando em assinar seu OnlyFans. Ela disse para não fazer isso, queria me agradecer e que se eu quisesse, ela poderia mandar fotos e vídeos de graça, “quem sabe você usa elas para se inspirar em uma nova história, tu me ajuda e eu te ajudo”.

Eu estava muito excitado, mesmo depois de ter tocado uma. Não flertava fazia anos, estava me sentindo animado e me divertindo demais. “Que tal a gente se encontrar pessoalmente? Gosto de escrever histórias reais” eu falei e ela não respondeu. Bom, joguei tudo água abaixo, deveria ter se contentado com o seu conteúdo de graça. O dia foi passando, cada pouco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *