Tirando o cabaço da novinha

Olá caro leitores, vou contar pra vocês como foi minha transa com uma virgem.
Meu nome é Rodrigo e tenho 20 anos. Trabalho numa empresa que gerencia cursos profissionalizantes. Fico sempre em busca de alunos/alunas para se interessar e fazer os cursos.
Bom, já ia dá 11 da noite e eu aguardava meu chefe me dispensar. Saí da empresa morto de sono, com fome… só queria mesmo era comer e dormir quando chegasse em casa. Cansado fazendo e recebendo telefonemas o dia todo de alunos….e tal. As vagas já tava se esgotando e só restava uma.

Sexo Por Telefone


Minha casa é uns 3km da empresa. Moro sozinho.
Cheguei, tomei banho, fui tomar café . Isso era mais ou menos 11:30, sentei no sofá e liguei a tv. Quando terminava uma parte do programa, eu trocava de canal.
Já estava na ultima parte e eu já ia dormir. Meu olhos estavam quase fechados. Nesse instante toca a campainha, achei estranho.

—- quem pode ser?

Me perguntei e logo me direcionei para a porta meio com medo, pois poderia ser assaltantes, ou lá sei o quê. Abri a porta devagarinho com a faca na outra mão, antes de abrir, perguntei.

—- quem é?

—- meu nome é Priscila e estou interessada em um dos cursos.

Lembrei que havia me telefonado uma Proscila… logo abri.

—- oi, posso entrar?

—- claro. Pode sim.

Ela entrou e mandei se sentar no sofá.
Ela tinha 16 anos, mais ou menos 1.45m de altura, cabelos loiros e lisos. Estava vestida com uma blusinha e um shortinho curto, aparecendo um pouco sua calcinha de cor vermelha. Seus olhos verdes me enlouqueceu.

—- só tem uma vaga, para informática.

—- mas é básica ou avançada?

—- básica. Mas se quiser aguarde o próximo mes….

—- não, vou fazer o básico mesmo.

—- voce deu sorte.

—- jura? Porque?

Nessa hora me deu uma vontade de agarrar ela e comer ela toda, pois fazia mais de 6 meses que eu nao faço sexo, e esta apareceu como um anjo, na hora certa.

—- por que esta era a última vaga.

—- sério? Que sorte minha mesmo, né?

Daí nao aguentei mais, fui seduzindo ela ate leva la para a cama. Meu sono parece que acabou e mimha vontade de fuder aumentava ainda mais.

—- voce é muita gatinha.

—- ai obrigada.

Será que essa puta tem namorado? Ficava me perguntando…

As horas se passavam e no meio da conversa sobre o curso ia dizendo palavras picantes e ela gostava.

Nessa hora acaba a luz… e tudo ficou escuro na sala, na casa toda. No bairro todo também.

—- socorro.

—- calma princesa. Não se assuste.

Sem querer levei minha mão em sua coxa. E com voz de educado pedi descupa a ela.

—- nao foi nada. Disse assim ela sorrindo.

—- Nao se assuste, deve ser o disjuntor que queimou, logo logo a energia chega….

Ela sentou ao meu lado com medo e me abraçou. Sem dúvida como essa loirinha agora mesmo…pensei.

—- você tem namorado?

—- nao. Sou virgem. Ainda nao namorei com ninguém.

—- acho que seus pais vão ficar preocupados com voce. Nao acha?

—- nao, porque estou morando na casa de minha amiga.

…..e agora simmm. Como ela agora mesmo…

Continuemos ali abraçados. Dei um beijo em sua cabeça. Ela sorriu.

—- Vamos deitar aqui, estou louco para fazer sexo com voce, gostosa.

Ela ficou muda por um instante…
E começou a tirar sua blusa e disse que nao sabia dessas coisas. Mas ela aceitou e se deitou. A energia chega e ela já estava sem blusa. Agarrei seus seios e fui beijando, chupando, que eram branquinhos e pequenos.

—- vamos para o quarto. Lá te ensino as sacanagens.

Peguei ela e levei ate o meu quarto.
Deitei ela na cama e disse

—- agora voce vai aprender da a buceta como uma cachorra.

Fui tirando a roupa dela, primeiro tirei seu shortinho, abri a perna dela e comecei a passar o dedo na racha de sua bucetinha.
Meu pau já estava duro como uma pedra, logo tirei meu short e minha cueca.
E fui tirando devagar sua calcinha. Que maravilha de buceta virgem, estava depiladinha. Abri ainda mais sua perna e comecei a chupar essa delicia, ela gemia…: aaaiiiii, aaaaiiiiii……
Sugava com vontade e ela gemia mais ainda. Seu corpinho de puta me enloqueceu. E ela sempre dizia.

—- me fode logo! Vamos, tira esse cabaço, mete logo essa porra na minha buceta que está queimando, mete esse caralho.

Ela dizia com voz de safadinha, ja estava louca para que eu arrombasse ela toda. Dei mais umas lambidas na sua xoxota virgem e me deitei em cima dela, dei um beijo e fiquei de pé, ela deitada na cama e eu em pé no chão. Cuspi na cabeça do meu pau e enfiei de levinho, sem meter toda a cabeça e fazia movimentos com meu pau de cima para baixo na buceta dela. Arreganhei com meus dedos e fui metendo pra valer. Ela gemia, gemia pedindo pra enfiar logo minha vara. Foi quando eu finquei lá dentro, sem dó, sem piedade, e seu cabaço saiu sujando meu pau. Metia rápido de vai e vem e com o rítmo mais acelerado ainda. Ela gritava gemendo e eu tapei sua boca com o lonçol. Depois mandei ela ficar de bruços e eu meti no seu cu, dando tapas na bundinha. Depois peguei ela pelo quadril e abraçei, de modo que sua perna se cruzaram na minha costa.

—- vai vagabunda, geme.

—- ai, ai,.

Meu pau ia até la no fundo.
Passados algumas horas de tranza. Fomos pro banheiro e la continuou bem mais selvagem o momento. Soquei, soquei bastante naquela buceta. Nós se banhamos bem coladinhos. Acariciava seus seios de donzela fudida. Me sentei no chão do banheiro e mandei ela sentar, e me obedeceu, pois era eu que mandava na festa, e ela sentou, sentiu um pau entrando no cu e foi sentando e sentando, no mesmo movimento, de sobe e desce.
Depois fomos para a cama novamente, com meu pau enfiado no cuzinho apertado que ela tinha. Nos deitemos fudendo ainda mais, até que gozei na xoxotinha deliciosa. E acabamos dormindo abraçadinhos….

Disk Sexo

2 thoughts on “Tirando o cabaço da novinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *