O Motorista pauzudo

Sempre desço no mesmo horário pro trabalho e pego o mesmo condutor pro trabalho, desço no mesmo ponto e pra ir embora a mesma coisa. Com isso acabei ficando conhecida do motorista e do cobrador, que as vezes me esperavam, e até me deixava descer mais pra frente do ponto no meu local de trabalho. O motorista era um rapaz careca, moreno, com uma barba toda detalhada e cavanhaque. Um pouco gordinho, mas forte também e mais alto que eu.

Com o passar dos dias eu tive uma mudança de escala em apenas um dia pra cobrir uma amiga no trabalho, com isso sai mais tarde do serviço e acabei perdendo o ônibus que me levaria até em casa. Peguei um outro que passava na principal e subi o resto do trajeto a pé. Não era muito tarde, devia ser cerca de umas 23 horas e onde moro é tranquilo sem muito movimento também, quando viro minha rua e começo a subir ela escuto um boa noite quando olho pra tras era o motorista do ônibus que também subia a pé. Respondi seu boa noite e ele veio puxando assunto comigo. Fomos conversando até proximo a minha casa quando ele me pediu meu telefone, nossa conversa foi amistosa mas dava pra ver seus olhares pro meu corpo e como ja leram meus contos anteriores eu acabei ficando mais sedenta e aberta aos homens. Não levei por mal e passei meu numero a ele e segui.

Na volta a rotina nosso contato no onibus se mantinha normal apenas com um bom dia, tudo bem que ja era diario. Isso era otimo pois ninguem perceberia nada de anormal em conversamos, e nossas conversas rendiam, e em momento nenhum ele se insinuou pra mim. Mas em um desses dias eu vesti uma calça leg preta, e a blusa da empresa, quando entrei no onibus senti seus olhares diferente. logo mais parte ele me envia um mensagem me elogiando, dizendo que hoje não teve como se controlar com minha beleza e etc … Ele começou a falar algumas bobeirase tudo do tipo de que queria me conhecer melhor e tudo.

Acabei aceitando seu convite pra uma barzinho, mas pedi que fosse em um lugar mais distante de onde morava. Assim foi no dia, ele veio me buscar de carro e fomos a um barzinho. Bebemos algumas cervejas e tomei até um caipirinha … ai meu erro. Fechamos a conta e fomos embora, e no caminho sua mão ja veio em minha perna e disse: Vamos pro motel, conheço um bom aqui perto. Te deixo em casa pela manha.

Ele nem esperou minhas respostas e naquela altura nem precisava: Ja logo tratei de tirar o pau dele pra fora e ai uma surpresa alem de grande era grosso. Talvez o maior até então, e não é exagero, parecia até coisa de filme porno.

Na hora ele percebeu e disse: gostou? Ja logo fui beijando e lambendo sua pica. QUe logo endureceu em minha boca, comecei a mamar bem gostoso passando a lingua na cabeça e babando toda sua pica.

Caralho sua puta que boquete gostoso, disse me segurando nos cabelos. Tirei seu pau e comecei bater em minha cara e voltava a mamar. Até que chegamos no motel, não parei e continuei chupando enquanto ele pedia um quarto.

Quando chegamos ele ja foi tirando minha roupa e me jogou na cama, começou a chupar minha buceta com vontade de um jeito gostoso. Passava a lingua no meu grelo, enfiando dentro de mim os dedos, minha buceta ja escorria e ele passava o dedo melado no meu cuzinho. Acabei gozando na boca dele, que gemia muito de tesão. A essa altura eu so queria dar pra ele, ja logo puxei por cima de mim e fui guiando sua picaa. Que não teve dificuldade de entrar a cabeça mas quando senti seu pau avançando dei um grito

– Caralho que pauzão, calma.

– Calma nada sua puta, toma tudo na sua bucetinha toma.

E avançava seu pau a cada estocada. Me deu um tapa na cara com força.

-Então mete esse pauzão em mim vai, mete gostoso. assim caralho, fode essa buceta fode.

e ele metia com força por cima de mim, ficamos nessa posição um bom tempo.

Quando ele saiu que perecebi que estava sem camisinha, mas nem importei e ja fui sentando nele, comecei cavalgar na sua pica enorme que ainda sentia um pouco de dor mas uma sensação ainda melhor daquele pau me rasgando.

Sentei gostoso até sentir ele me encher de leite.

Logo em seguida ele ja me botou pra chupar e limpar seu pau. Botando pra mamar tudo gostoso, chupei seu pau e depois fudi gostoso de quatro com ele que gozou de novo na minha buceta.

Ainda transamos mais umas 3 vezes na noite até ele me deixar em casa.

Depois desse dia toda vez que o via no onibus eu ficava com vontade de sentir aquele pauzão de novo.

Marcamos mais uma vez depois de um tempo, dessa vez em sua casa. Conto no proximo conto com mais detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *