Enrabando meu maridinho

Olá a todos vocês meus queridos leitores, eu em outro conto que foi publicado no meu livro(contos de LU), eu narro uma parte a qual eu comi o cuzinho do meu primeiro marido. Eu fiz isso várias vezes, ainda mais por ele ser um cara muito safado e mentiroso. E desde aquela época, eu ficara com o vírus deste desejo martelando na minha mente de que um dia eu iria arrumar um marido bonzinho que me deixasse enrabar ele bem gostosinho. E acabei dando uma sorte danada ao me juntar ao meu atual, William, com ele acabou despertando este meu lado que estava adormecido. Agora eu estava me despertando para uma vida sexual sem barreiras, e antes mesmo da gente ir morar juntos, eu andei sondando sobre a vida dele, para ver até onde poderíamos ir. Eu cheguei a descobrir um grande segredo dele, em que ele mantinha um caso com um amigo dele, um negão com uma senhora tora, eles já tinham na época uns doze anos de um caso sexual, isso me

deixou mais atiçada. E tão logo fomos morar juntos, eu comecei a dar asas a imaginação combinada com minha tara, eu as vezes o tratava como se o macho fosse eu e ele eu o fazia ser minha fêmea, e muitas vezes eu usava um brinquedinho para comer aquele rabinho que tanto me fascinava. Teve uma vez que eu comprei e mandei que ele colocasse um babydol e se deitasse com sua bunda virada para cima, eu era vidrada na bunda dele, só de ver minha boceta piscava, e ainda sou tarada na bunda dele, só de pensar sinto um arrepio. Eu montava nas costas dele e ia relando meu grelinho na bunda dele, eu ficava toda meladinha, meu gozo escorria pelo rego da bunda dele, era uma delícia. Eu pegava meu brinquedinho, o tchuk, o colocava na cintura, colocava um dedinho no cuzinho dele que estava já piscando, mirava em direção ao cuzinho dele e ia lentamente enfiando meu brinquedinho, ele ia gemendo como uma putinha safada, eu até tremia ao ver aquele cuzinho se dilatando e abrindo para deixar aquela tora entrar, eu estava com meu gozo escorrendo, e segava ele pelos

ombros para que minha pica entrasse mais.
Aaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh….. .saaaaaaafaaaaaaadaaaaaaa…… piiiraaaaanhaaaaa…… queeeee…. cuuziinhooooo…. gooooossssstooooosooooooo….. tooooomaaaaaaa…… voooooouuuuu…. .teeeeee….. arrooooommmmbaaaaaarrrrrr….. deeeeeliiiiiiciiiiiiiaaaaa…. deeeee….. cuuuuuziiiinhoooooo…..
Eu meti naquele cuzinho até me cansar, arregacei ele, seu cuzinho ficou enorme, eu judiei dele, que berrando, acabou gozando no lençol, era muita porra que saía.
Aaaaaaaaaahhhhhhh…. caaaaaraaaaaalhoooooooo…….
sssssshhhhhhhh……… pooooooorraaaaaaaaa………

Estávamos banhados de suor, pois naquele dia fazia um calorão, tinha outras vezes que eu procurava uma calcinha bem cavadinha no meia das que eu tinha e o fazia vestir, e ele bem safado a vestis bem lentamente com seu bundão virado para meu lado, era uma tortura para mim. Eu ficava vendo ele com aquele bundão e vestindo aquela minúscula calcinha, ele de propósito só para me deixar com tesão, ele enfiava aquela calcinha na bunda e se deitava na cama com aquela bunda virada para cima. Eu chegava a estremecer de tesão, minha boceta ia ficando meladinha, eu tinha que me tocar e sentia como se uma corrente elétrica me percorresse o corpo. William ficava como uma putinha, ficava com aquele bundão

fazendo poses, empinava ela só para me deixar doida, minha boceta parecia bater palma de tanto tesão, eu não me segurava e partia para cima dele de olho naquela bunda que me fascinava. Eu ia lentamente passando minha língua pelas costas dele, fazendo que seu cuzinho piscasse, ia descendo lentamente até chegar na sua bunda, tirava sua calcinha, ás vezes até com os dentes, enfiava minha língua no cuzinho dele fazendo que ele gemesse e ficasse com seu corpo arrepiado e seu cuzinho ficasse piscando doido para ser enrabado. Sentia o corpo dele todo estremecer, eu adorava isso, sentir ele dominado, uma vez eu o amarrei na cama e fui torturando ele bem devagar, até que não aguentando mais, ele me implorou para que eu o enrabasse, eu então fui bem devagar para meu deleite. Eu não estava aguentando ver aquela pica entrando naquele cuzinho guloso, meu tesão veio avassalador, agarrei ele com força pelos ombros e empurrei tudo no cuzinho dele, eu sentia meu gozo vindo e minha boceta meladinha e minha pernas bambearam…

Aaaaaaaaahhhhhhhhhhhh…… ssssssshhhhhhhhhhhh……. tooooooooo….. goooooooozzzzzzzaaaaaannnnnnndooooooooo……. aaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiii……. caaaaaaaaaraaaaaaaalhoooooooooooo…. cuuuuuziiiiinhoooooooo….. goooooosssssstooooooosooooooo….. sssssssshhhhhhhhh…..

Assim que me recupere deste gozo maravilhoso, eu me deitei de costas na cama e apontando a minha pica para o alto, mandei que ele fosse montando nela, ele ia descendo devagar, eu via como o cuzinho dele ia se abrindo, eu sentia mais tesão, segurava nas cadeiras dele e fazia que a pica entrasse mais no cuzinho dele, ele então começou a tocar uma punheta, ele parecia um desesperado que queria muito gozar. Seu cuzinho engolia minha pica todinha, ele era muito guloso, seus movimentos ficaram mais acelerados e seu corpo começou a tremer e ele a gemer mais forte e de repente ele deu um urro e senti sua porra quentinha espirrar em meus seios, rosto e cabelos..

Aaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiii…… ssssssssshhhhhhhhhhh…. .toooooomaaaaaaaaaa…….. uuuuuuuhhhhhhh…… caaaaaaraaaaalhoooooooooooo……
Aquilo para mim fora o máximo, senti que eu ia ter um novo gozo, meu corpo estremeceu e senti ele vindo lá do fundo segurei na cintura dele com força, fazendo que o tchuk entrasse todinho no cuzinho dele, eu berrei também, não dava para segurar mais, eu estava explodindo….

Aaaaaaaaaahhhhhhhhhh……. sssssssshhhhhhhhhh…….. deeeeliiiiiiiciiiiiiiiaaaaa…….. caaaaaaraaaaaalhooooooooo……. eeeeeuuuuuuu….. taaaaaaaaammmmmbeeeemmmmmmmm…….. uuuuuuuuuhhhhhhhhhh………
Ele foi se levantando e a pica saindo do seu cuzinho, eu vi como ele tinha ficado, parecia um enorme túnel, mas depois ele voltaria ao normal, pois ele já estava acostumado com a tora do seu amigo que era uma coisa assustadora, uma verdadeira anaconda. Bjssss/ LU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *