Dando o cu para um desconhecido

Olá tarados de plantão. Vou narrar aqui a segunda vez que traí o meu marido, sendo que esta teve um sabor especial, simplesmente por ter ocorrido a poucos metros dele e com um desconhecido. Ocorreu da seguinte maneira:
Nas ocasiões festivas costumo frequentar uma bela propriedade que tenho em Ponta Negra, na região de Maricá. É uma casa confortável com piscina, sauna, etc. Normalmente a casa é frequentada por vários amigos nestas épocas. Assim, resolvemos romper o ano lá. Fui com meu marido e mais cinco casais com os filhos. Éramos ao todo, dezoito pessoas. No último dia do ano “churrasqueamos” e bebemos o dia todo. Meu marido, para varia, embebedou-se até não aguentar mais. Dentre os casais havia um que não fazia parte do nosso rol de amizades, pois nos foram apresentados no mesmo dia, por um outro casal, este sim, amigos de longa data. À noite todos resolveram ir à praia para curtir a queima de fogos. Ficamos então eu, meu marido e Rodrigo (o rapaz do novo casal). Eu, por estar cansada, Rodrigo por não gostar de tumulto e meu marido por estar completamente bêbado.

Sexo Por Telefone

Assim que todos saíram fui para a piscina e fiquei algum tempo me refrescando e pude perceber quando Rodrigo sentado numa poltrona na varanda, me observava. Aproveitei que não tinha ninguém em casa e coloquei um biquíni fio dental. Depois da piscina resolvi ir para a sauna. Deixei numa temperatura amena e lá fiquei meditando, até que subiu uma tremenda tesão e comecei a me masturbar. Acariciava a boceta e o cuzinho introduzindo os dedos e executando os movimentos de vai e vem. Gozei gostoso. Estava neste delírio quando repentinamente abre a porta da sauna. Era Rodrigo me surpreendendo com os dedos enterrados na boceta. Ele não fez ou falou nada. Apenas ajoelhou-se no degrau e começou a lamber a minha bocetinha inundada. Que língua!!! Lambia e chupava com maestria. De vez em quando tentava introduzir a língua no meu canal vaginal. Eu estava enlouquecida de tesão. Ele lambia minhas coxas, minha barriga. Mamou muito nos meus seios. Lambeu os biquinhos e mordeu com delicadeza. Tudo. Um dos dedos estava enterrado no meu cuzinho. Depois sentou-se e me mandou chupar o seu pau. Lambi com delicadeza acariciando a cabeça com a língua. Sorvi com prazer o caldinho que saia dali. Depois com a língua fui acariciando até a base, chegando aos ovos. Beijei e lambi com sofreguidão. Acabei engolindo aquela vara enorme e tocando uma punheta com a boca. Rodrigo gozou fartamente na minha língua. Degustei aquele sêmen com todo prazer do mundo. Ficamos nos acariciando mais um pouco e nos compusemos com medo de que as pessoas chegassem e nos encontrassem naquela situação. Mas a minha tesão não acabou. Queria foder. Queria sentir um pau dentro de mim, tanto no cu quanto na boceta. Queria rebolar sem parar numa pica grossa, grande e gostosa. Minhas pregas ansiavam por sexo, por sêmen. As ali naquele momento era muito arriscado continuar, não por causa do corno que bêbado, dormia. Bom, não demorou muito e as pessoas retornaram. Foi ima festa só. Jogaram-se na piscina, beberam e dançaram até o dia amanhecer. Aí surgiu a oportunidade, pois todos muito cansados foram dormir, inclusive Maira, a esposa de Rodrigo. Aproveitamos então e fomos para a sauna novamente. Lá não perdemos tempo. Para não perder o hábito dei uma bela mamada em Rodrigo, mas queria mesmo era foder, ou seja, dar a bunda e a boceta. Rodrigo me colocou de quatro nos degraus da sauna e começou a acariciar a entradinha da minha boceta com o seu pau imenso. Devagar foi introduzindo até que eu engoli totalmente. O pau dele era bem grosso e eu apertadinha podia quase que sentir cada músculo daquela pica maravilhosa. Ele me fodeu gostoso. Gozei muitas vezes. O que mais gostei é de que enquanto me fodia ela ficava brincando com os dedos no meu cuzinho e eu para retribuir contraia a musculatura anal prendendo os dedos dele. Após foder a minha boceta ele me manteve de quatro e lambeu o meu cuzinho. Que loucura!!! A língua quente e úmida acariciava as minhas pregas sedentas de sexo. Depois de algum tempo ele cuspiu na cabeça do pau e encaixou na entrada do meu cuzinho. Rebolei para demonstrar a ele que era o que eu queria. Rodrigo não perdeu tempo e começou a enterrar aquele mastro dentro do meu cuzinho guloso. Apesar do pau dele ser grosso eu não senti dor. Acho que foi a tesão. Não demorou muito e eu já sentia os ovos dele batendo nas minhas nádegas. Me sentia uma égua sendo enrabada pelo seu garanhão. Rodrigo metia com força puxando os meus cabelos, o que eu adoro. Arranhava as minhas costas com as unhas e fodia meu cu com força. Eu não pensava em nada. Só gozava naquele pau delicioso. De repente Rodrigo solta um urro e goza no meu cu. Senti a explosão dele dentro de mim. Eu rebolava feito uma puta. Depois do gozo do meu macho ficamos alguns minutos na mesma posição, até que ele saiu de dentro de mim. Então, sentei-me no degrau, deitei a cabeça no seu colo e comecei a acariciar o seu pau todo babado voltando a acariciá-lo com a língua, mamando a cabeça enquanto ele, aproveitou para enfiar os dedos no meu cuzinho. Depois, cuidadosamente saímos da sauna e fomos cada um para seu quarto. Antes de todos irem embora, porém, no dia seguinte, ainda arrumamos um jeito de fazer uma delicioso oral rapidinho. Ganhei mais uma gozada na boca. Lucianakersexo@gmail. Com (Contatos)

Disk Sexo

One thought on “Dando o cu para um desconhecido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *