Como virei ator porno gay

Vou contar a história de como me tornei um ator porno gay mesmo sendo hétero.
Meu nome é Geraldo, tenho 35 anos e tudo começou há uns 3 anos, eu nunca gostei de malhar, nem de esportes, muito menos de estudar e trabalhar, eu morava no interior de São Paulo e vim para a capital para fazer faculdade, acabei não concluindo por causa das farras e drogas, mas mesmo assim arrumei alguns empregos, o último foi num banco aqui, eu estava tendo uma vida muito boa, estava casado, tinha três filhos, sendo o primeiro de outro relacionamento, e podia curtir minha vida tranquilamente, eu bebia e cheirava todos os dias, meu salário era uma merda, mas dava para tirar um extra com um esquema lá, dava para viajar quase todo mês.
Tudo mudou quando o filho de uma puta do gerente resolveu me investigar, acabou descobrindo o esquema e mandando em bora por justa causa, saí sem os direitos, no começo eu peguei uns empréstimos para segurar a onda em casa, as coisas foram ficando difíceis e uns 3 meses depois minha mulher me largou também, aí comecei a cheirar para caralho e fui vendendo as coisas para para pagar as contas e as pensões, eu tentava arrumar emprego mas nesse país de merda não conseguia arrumar nada. Eu comecei a dever todo mundo e comecei a ficar com medo de me matarem por causa do pó, ao mesmo tempo e cheirava mais ainda. Foi então que me masturbando em casa vi um anúncio de “ator pornô”. Eu pensei que seria ótimo, ganharia uma grana e ainda comeria umas gostosas, seria perfeito. Liguei para a produtora e eles marcaram uma entrevista, chegando lá eles fizeram um monte de perguntas e como eu estava fora de forma, com 1,85 de altura pesava 92 kg e estava calvo e tinha um penis de 13 cm eles disseram que não tinham interesse, só se eu topasse fazer umas cenas gay, eu logo mandei eles irem tomar no cú e fui embora, nessa noite eu tive que pedir comida na rua para não passar fome. Durante a noite eu pensei melhor e cheguei a conclusão que se pagassem bem até que daria pra meter a rola em algum boiola. Voltei na produtora no outro dia e disse que teria interesse em fazer alguma cena gay, então perguntei qual era o chachê, eles disseram que eram R$ 200,00 para o ativo e R$ 2000,00 para o passivo. Duzentos contos não dava pra nada e tentei negociar, eles então falaram “se quiser é esse, com esse seu pau pequeno aí nem isso merece.”
Disse então que toparia ser passivo e eles falaram para eu ir numa oficina mecânica próxima do local, que lá seria a cena. Fui então pra lá, pensando e que porra eu estava fazendo, eu nunca tive tesão em homem, nem troca-troca tinha feito na adolescência, agora iria dar cú na frente de todo mundo, mas a necessidade falava mais alto. Cheguei ao local eles me apresentaram ao Kaíque, era um cara moreno, malhado e devia ter uns 25 anos, disseram que eu contracenaria com ele. Ele nem me deu moral foi se preparar, eu não sabia o que fazer e só pensava, esse mané aí vai me comer, que merda. Mandaram eu tomar um banho e trocar de roupa, e nos explicaram a cena, eu seria o cliente e o Kaíque o mecânico, enquanto eles nos explicavam a cena o Kaíque estava nú e se masturbava para já ir aquecendo, quando eu vi o pau dele devia ter uns 22 cm e era bem grosso, eu pensei estou fudido, eles então me perguntaram se eu tinha passado gel no cú, eu disse que não, eles então brigaram e disseram que já estava atrasado e mandaram a Cíntia vir me preparar, a Cíntia ajudava na produção, era negra, baixinha e gordinha, ela mandou eu abaixar as calças e veio passando o gel no meu cú, ela iria me ajudar para eu não me machucar, achei constrangedor mas logo que ela começou a a enfiar os dedos no meu cú meu pau começou a endurecer, ela notou e disse “Já tá gostando é viadão?” fiquei sem reação e ela começou a me tranquilizar falando que era para eu pensar que não tinha ninguém olhando, que era igual quando eu dava o cú fora dali, eu nem respondi, só pensei que merda, e o pior é que meu pau estava duraço, ela terminou de lubrificar meu rabo e me mandou para a cena, na cena eu tinha que beijar o cara, chupar o pau dele e depois ele me comeria.
Começou a filmagem com um diálogo tosco que seria interrompido pelo beijo, o cara me agarrou e começou a me beijar, achei estranho para caramba, mas continuei, logo tiramos a roupa e eu fui chupar o pau dele, eu nunca tinha chupado um pau e quando comecei a chupar eu via todo mundo ali me observando e aquilo começou a me excitar principalmente quando eu via a Cíntia simulando como fazer um boquete, eu fazia igual ela, lambia desde a cabeça até as bolas e estava gostoso fazer aquilo, logo ele me virou e me agarrou por trás, pensei, “vai ser agora que vou virar viado”, ele começou a enfiar o pau e foi entrando facilmente, pois a Cíntia havia feito o trabalho bem feito, doeu um pouco para a cabeça passar, mas nada que eu não aguentasse, logo ele começou a meter forte e meu pau estava duro feito pedra, estava uma delícia aquilo, eu sendo fodido por um cara que eu mau conhecia e um monte de gente olhando, eu rebolava igual uma puta e forçava o meu cú para trás pra ver se entrava mais, eu não precisaria gozar na cena, mas logo não aguentei e gozei quando ele encheu meu cú porra, logo que eu gozei veio aquele remorso e o sentimento de humilhação, eu tinha acabado de dar o cú para um estranho que nem sabia o meu nome na frente de um monte de gente por causa de uma mixaria de dinheiro, o pior é que ainda gravaram um “making-off” de nós dois tomando banho, era terrível ver aquele cara que tinha me comido me chamando de bichinha, de viado, falando que era meu macho, eles me deram mais R$ 100, 00 por eu ter ido bem na cena e pelo making-off. Eu saí de lá prometendo que nunca mais faria aquilo, promessa que não cumpri…

One thought on “Como virei ator porno gay

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.