virei corno

Minha esposa é uma loira tipo a Letícia – ou seja, a personagem babalu da novela o rosto meia boca, muito gostosa, no outro dia de festa com a pularia das trocas de quarto, eu estava bem sossegado, havia metido bem gostoso, churrasco, homem alimentado e satisfeito sem problemas.
Algumas pessoas já haviam ido embora, outras foram dormir como as mulheres, algumas chatas ficaram acordadas, babemos jogamos baralho, alguns ficando dançando, um amigo meu que caiu de pára-quedas e dançou muito com uma sobrinha da minha esposa, achei que iriam fazer sexo ali mesmo na frente de todos kkk
De repente ela meio bêbada vai deitar, ele vem conversar comigo, falei cara não vai comer não, ele fala ela esta caidinha, mas não sei se da, mandou mensagem para ela falou que estava um poco bêbada mas se ele conseguisse achar ela

poderia rolar, meu pinto ficou duro fomos achar o quarto.com a cabeça cheia de cachaça começou a ter umas idéias doidas e pedindo para eu ajudar, bem sua idéia era a seguinte, ele queria aproveitar que minha sobrinha que estava bêbada ia subir no quarto onde ela estava para tirar uma casquinha com ela e quem sabe até algo mais, topei na hora, pois não iria perder a chance de ver a gostosa peladinha. Então sem dar bandeira fomos para os quartos, e bem devagar abrimos a porta do quarto para ver, detalhe, não acendemos a luz do quarto para não assustar, então com a luz do celular deslumbramos ela deitada de bruços com aquele rabão virado para o nosso lado, não deu outra ambos ficamos com tesão na hora, ele foi até La e eu fiquei na porta cuidando para que alguém não aparecesse, mas com um pouco de claridade que entrava pela porta dava para ver o vulto do que ele estava fazendo, percebi que ele mexia nela e nada dela reagir, ele

passava a não pelo corpo dela e nada, ele começou ser mais ousado, passando a Mao por entre as pernas dela, e acabou pondo a por dentro do shorts que ela usada, então na hora me disse; cara, a bucetinha dela é toda depiladinha, na hora eu pensei, grande coisa a da minha mulher tb é mas voltando ao assunto, eu morrendo te tesao resolvi ir até La , e passei a mao da bucetinha dela, mesmo no escuro deu para sentir a textura dela, uma delicia, então ele me disse vamos baixar o shorts dela, eu disse ok, e bem devagar fizemos isso, ela nem se mexeu, pois estava apagada por conta da bebida, ele me pediu vou erguer o quadril dela e vc coloca um travesseiro em baixo, e foi o que fizemos, en ele começou a passar a mao dela, e como ela nao demonstrava nenhuma reaçao, ele foi avançando, começou a passar a lingua no cuzinho dela e na xoxotinha tb, pois a bundinha dela estava empinada, aí ele ficou doido, dizendo que ia comer ela, aí nessa hora eu fale; nao,

ta loco, ela vai acordar, e isso vai dar rolo, mas ele insistiu dizendo que ele deu lado e ia tentar bem de vagar e se ela começasse a falar algo para parar ou sair ele sairia rápido, eu fui para porta cuidar e ele tirou a calça e a cueca e o que aconteceu a partir dai, foi o que ele me contou, pois eu esta perto da porta e com o escuro nao vi exatamente o que ele fazia, mas em algum momento ele me disse ta entrando o pau nela, ela começou a se mexer, e ele parou mas não tirou pau, continuou a enfiar e começou a mexer nessa hora eu via ele fazendo um movimento de vai e vem, lento mas continuo, eu nessa hora com o pau mais que duro me masturbava, ela dava uns gemidos mas não demonstrava nenhuma reação, ele parou um pouco e deu um gemido mais profundo, nessa hora ele gozou, e ficou um tempo com o pau dentro da bucetinha dela e depois tirou, aí eu fui com o celular e clareei a bucetinha dela, e vi uma grande quantidade de esperna escorrendo de dentro da bucetinha dela toda arronbada pelo jumento do meu amigo, nessa hora fiquei apavorado, e disse , cara vc gozou dentro dela, e se ela nao toma comprimido, vc pode engravidar ela, e aí a merda ta feita mesmo, nessa hora ele caiu a ficha e concordou comigo, mas aí ja era tarde, ele se trocou rapidinho, ergueu o shorts dela nos juntarmos com

os outros, e ele com um sorriso de um lado ao outro , e ninguem nem desconfiava do fato, e a bebedeira contimuou, um pouco mais tarde todos aos poucos já começavam a se recolher para dormir, os que tinham bebido alem da conta, se espalhavam pelos sofás, redes, então esse meu amigo Marcelo, me disse que ia dar mais uma na minha cunhada, antes de ir dormir, eu fale, vai sozinho, eu to fora, acho que vou beber só mais um poço vou dormir, e amanha a gente conversa, ele disse ok e foi
Pego o celular e para minha surpresa Puta que pariu.o quarto mudou de novo e para minha surpresa o diticujo ta comendo a minha mulher! Mas ela aceitou isto? Será que ainda não percebeu a diferença? Ele x Eu? Que merda. Vou entrar gritando, dando tapa. Mas se eu desmascaro a situação vai ser a pior coisa que poderia acontecer. Até agora ele pensa que está trepando com a sobrinha. Se eu desmascaro, eu torno pública a minha situação de corno. De toda forma o estrago já está feito.
Mas estranho, notei que estava de pau duro. Duro feito pedra. E agora o que faço?

De repente o murmúrio se intensifica, e nitidamente percebo que estavam gozando. … Alguns instantes de silêncio e começo ouvir passos. Ele deveria estar se vestindo, iria sair e dar de cara comigo na porta. Volto rápido, pego uma cerveja e aguardo . Enfim sai ajeitando o short e a camisa. Bate no meu ombro e me chama pra fora. Quando saímos ele começa a contar as proezas da trepada dele (Ele pensa que trepou com a sobrinha, a escuridão manteve minha condição de corno secreta).
– Eu achei que ia ser difícil, mas bastou eu deitar ao lado dela,ela acordou. Fui logo passando a mão, eu então escutei ela fazendo chiiiii, pedindo silêncio. Logo pegou no meu pau. Quando viu que eu já estava nú, foi logo caindo de boca. Como chupa um cacete aquela mulher. Gozei e ela engoliu tudo. Em seguida passei a chupar os peitos dela, passar a mão na bunda, nas cochas e na buceta.. Não demorou nada eu fui descendo a boca até aquela buceta maravilhosa. Cai de boca, chupei aquele clitóris até ela gozar. Ela se conteve pra não gritar. A esta hora eu já estava com o pau duro de novo. Subi nela ao estilo papai e mamãe. Gozamos rápido. Permanecemos colados, eu ainda tinha o pau latejando dentro dela, nossas línguas se sugavam. Logo eu ressuscitei meu cacete. Aí passei a comer ela em todas as posições…
Quanto mais ele falava, mais eu me apavorava, … este cara tá me contando como foi que ele comeu a minha mulher!!!
– Botei ela de quatro, primeiro comi a buceta dela por trás, em seguida apoiei o pau no cu dela e fui enterrando. Ela só

gemia, mudamos novamente a posição, voltei pra buceta, ela gozou de novo, e eu acabei esporrando sobre sua barriga. Mas meu pau não amolecia. Aquela mulher é um vulcão. Por fim ela caiu quase desfalecida, eu então caprichei. Abri as pernas dela, comecei beijando seu ventre, cheirar sua buceta, que a esta altura estava suada e melada com a minha porra. Fui esfregando meu cacete lentamente naquela vagina fabulosa, e lentamente fui acordando o mastro, mas só esfregando a cabeça do cacete na porta, que a cada esfregada se abria mais. Cara, ficamos uns 5 minutos deste jeito até notar que ela começou a gozar, ela me puxava pra enterrar tudo nela, mas eu não deixei, continuei somente massageando a porta. Até que ela gozou. Gozou feito louca, e ai também gozei sobre a buceta dela que lambuzou tudo. Foi um gozo épico! Tem porra pra todo lado. Ela vai ter que tomar banho, trocar lençol, virar o colchão pra baixo, porque tá tudo esporrado.
– Cara! Chega, vai embora.
– Ok, tô indo. Mas saiba, esta foi a noite mais incrível da minha vida.
E assim fiquei eu, ainda pensando, e agora, o que faço?
Fechei a porta, e fui pro quarto. A luz do celular minha esposa estava deitada toda lambuzada. deu pra ver o estrago que ele havia feito na bucetinha dela, e detalhe ele estava comendo o cuzinho dela tb, pois ambos estavam arronbado E eu,… bem meu pau estava duro. Duro feito pedra. Tirei a roupa, e me deitei ao lado dela. Ela segurou meu pau e disse…
– Você ainda tem fôlego? Hoje eu morro.
Se virou pra mim, me deu um beijo com gosto de porra. Passou a perna sobre mim, esfregando seus peitos e a barriga cheia de porra em cima de mim. Meu pau afundou na sua buceta arreganhada e encharcada. Trepamos, trepamos feito loucos por mais de meia mora. Gozei umas três vezes, e ela também. Acabamos desfalecidos. Só acordei duas horas mais tarde e fui tomar banho.
Na manhã seguinte, levantei cedo fui caminhar Encontrei o Carlos . Ele então comentou, “E aí ela já acordou? Quero conversar com ela
Fudeu, pensei eu. E agora o que eu faço? Eles não podem conversar. Vai ficar evidente na conversa que não foi com ela que ele trepou. Todos vão ficar sabendo que sou corno O que fazer?
Ao chegar as duas estavam acordadas e conversando. Minha sobrinha parecia de mau humor, e a minha esposa veio me contar:
está puta da vida com o Carlos. Ele tinha dado a entender que iria ficar com ela à noite, mas o cara foi embora, sem dizer nada. Vou embora não quero ver ele nem pintado de ouro, Ta resolvido o meu problema.
Naquela noite trepamos maravilhosamente, e isto se repetiu todos os dias até que quinta feira à noite ela puxou o assunto.
“Me diga uma coisa, como foi que você consegui trepar tanto na noite de sábado. No início nem parecia ser você. Seu pau estava enorme, uma pedra. Nunca te vi gozar tanto assim. Era porra que não acabava mais. E o mais incrível é que você saiu pra mijar, e voltou cheio de tesão de novo. Gozou mais três vezes. Eu desmaiei no fim. Estava exausta, esgotada, mas realizada. Nunca havíamos trepado tanto. De lá pra cá, estamos trepando todo dia. Você está com mais tesão que o normal. Nada parecido com o que aconteceu sábado, mas muito mais ardente que antes. Até semana passada trepávamos uma ou duas vezes por semana. Por vezes eu nem gozava, mas agora, uau! Sábado gozei oito vezes, e agora gozo pelo menos uma vez por dia.
E agora? O dilema voltou.
Com a escuridão vocês não perceberam a troca!”
“O QUE VOCÊ ESTÁ ME DIZENDO?”
“Olha, foi a coisa mais desconcertante que eu já vivi. Passei por um dilema. Mato? Trucido os dois? Faço um escândalo? Mas não havia culpa, não havia traição, não havia intenção, e quando eu me dei conta do que acontecia, eu escutei vocês gozando. O que pudesse ter acontecido já tinha acontecido!”
“EU NÃO ACREDITO!”
“Mas foi ainda pior. Ao sair do quarto ele me alcançou na sala bebendo o resto do vinho, me chamou pra a varanda e foi me contar tim-tim por tim-tim como ele tinha trepado com a Mônica, aliás você. Fiquei sabendo todos os detalhes da orgia literalmente narrada por ele mesmo. Imagine o que é ouvir a narração de um sujeito, detalhadamente sobre como ele comeu a minha mulher. Encerrando em um gozo épico, foi como ele classificou”.
“FOI ÉPICO MESMO, quero dizer… Mas e depois, você deixou ele entrar e me comer novamente?”
“Não, nesta hora ele foi embora, e por incrível que pareça eu estava excitadíssimo, e fui eu que voltei e trepei tudo de novo com você. Na segunda vez era eu de verdade.”
“MAS VOCÊ GOSTOU DISTO?”
“Pois é, eu estava excitadíssimo, e não me contive. Aliás, desde aquele dia que minha excitação está a flor da pele. Quero trepar todos os dias, como você mesma constatou. De um lado fiquei com pena da Mônica, que perdeu uma puta trepada. Mas de outro lado acho que você se deu bem. Gozou como nunca.”
“E agora o que fazemos?” perguntou a minha mulher gostei da brincadeira e quero mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *