Virei corno sem perceber

Oi! Me chamo Rafael, tenho 28 anos, e a história que vou montar agora resultou há 3 anos atrás, na data no qual namorava a minha atual mulher fazia uns 8 meses. A Evelyn constantemente foi bastante atraente, morena de olhos verdes, com um corpo de permitir ambição a muita novinha de 15. Na data, ela tinha 23 anos, com assento e peitos fartos, além de umas coxas grossas bastante gostosas.
No momento em que nos conhecemos, ela já tinha se alusivo com diversos caras, e tinha uma vida sexual bastante ativa. Adorava sair pra balada com vestidos apertados, curtíssimos, várias vezes sem calcinha. E eu a conheci exatamente numa aberta dessas. Um essencial meu tinha me levado pra abronzar uma noite dessas, no momento em que vi a Evelyn dançando na pista. Foi amor à primeira ideia, além de um corpo escultural, ela era bastante atraente. Conversamos muito, e eu não acreditava que ela tinha se interessado em mim.
Passou um tempo, e começamos a afeiçoar-se. Inclusive estando comigo, ela continuava a mesma mulher de antes. Saía de microssaia, com shortinhos acusando a crista da assento, topzinhos curtos e super decotados. Eu não me importava. Gostava que ela atraísse a atenção de mais machos, isto até me excitava, fazia eu me sentir fodão, forma, “são capazes de até olhar, porém ela é apenas minha!” E a Evelyn, concluindo que eu não tinha complicações com isto, se aproveitava para achar-se o mais puta que podia. De modo algum teve um aficcionado que havia deixado ela achar-se do modo que gostava, e que também incentivasse isto.
No momento em que completamos seis meses de amor, eu a convidei para achar-se comigo. Eu a amava bastante, queria me casar com ela, quem sabe ter filhos. As coisas deram bastante certamente, aparecia amando achar-se com a Evelyn. O dificuldade era que, na data, eu aparecia trabalhando num callcenter, e o meu cargo me fazia sair de casa às 10 da manhã, e eu chegava de volta apenas às 22h. Por isso, no momento em que eu chegava, aparecia super esgotado, e na maior parte das vezes não tinha a menor desejo de fazer sexo. Ocorre que ela era bastante fogosa. Como eu tinha mencionado, antes de namorarmos, ela tinha uma vida sexual bastante ativa, chegava a fazer sexo 3 vezes por dia, porém eu não tinha este acinte todo, e acabava deixando ela na mão.
Os tempo passou, e ela começou a ficar chateada com isto. Dizia que eu não a amava, que eu não a satisfazia, que aparecia carecente e que não aguentava mais. Eu tentava abranger, dizendo que trabalhava para permitir uma vida melhor a ela, que a amava efetivamente, e que o amor era bastante mais que apenas coito, e ela começou a dizer que, se eu não queria comê-la, ela encontraria indivíduo que quisesse. Eu constantemente bulha no momento em que ela falava isto, visto que sabia que ela apenas aparecia me provocando, ela sabia que eu gostava de entender que os machos a cobiçavam. Nessa noite, transamos bem bom e fomos dormir com ela falando sobre isto, que se a nossa vida sexual continuasse ajuste daquele modo, uma momento ou outra ela ia me colocar arma, e eu nem sequer ia perceber.
No momento em que estávamos com oito meses, ela me chamou para irmos num agremiação de rock que possui aqui na município. De acordo com ela, um carinha da aptidão dela tinha conhecido por uns colegas para abronzar a noite, e ela queria bastante sair para ingerir.
— Já que você não me come, no mínimo me leva pra ingerir – ela disse, toda manhosa.
Naquela noite, saí do trabalho lá pelas 21h, e como tínhamos abalizado de nos obter na frente do agremiação, fui direto para lá. No momento em que cheguei, logo a encontrei na ala. Aparecia com um microvestido preto, tão decotado que os peitos aproximadamente pulavam para fora, e tão limitado que aproximadamente dava pra analisar a assento dela inteira. Como constantemente fazia nesse forma de afago, aparecia sem calcinha, e apenas de vê-la dessa maneira na ala, já comecei a ficar de pau difícil. Percebi que não aparecia sozinha, tinha diversos caras em volta dela, certamente colegas da aptidão.
Um dos caras aparecia especialmente próximo, pareciam estar conversando bem juntinhos. Resolvi me abeirar e cumprimentei os 2. Dessa maneira que cheguei, eles se afastaram, e pensei ter averiguado a Evelyn esfregando a calça do adstrito na altura da rola. “Precisa ter sido apenas impressão”, pensei, e apertei a mão dele. Ele se trouxe como Ricardo, colega de aptidão da Evelyn, e por um hora percebi que a mão dele aparecia meio melecada, cheirando a buceta. Não questionei, somente dei um como, e me virei para ficar com a minha amada.
No momento em que entramos no agremiação, o grupinho da aptidão já foi pegando uma alimentação para abancar, e antes que eu pudesse ir juntamente com a Evelyn, ela me pediu para adquirir umas bebidas pra gente. Tudo bem, dei um adorável lhe, e saí para acarar a ala do aparador do agremiação, que era amplo e ficava bem no fundão do lugar. Devo ter aguardado uns vinte minutos na ala, e no momento em que finalmente voltei na alimentação, vi que Evelyn aparecia sentada do lado de Ricardo e de um outro colega da aptidão, Tiago. Aparecia no meio deles, com a cabeça no alteamento de Ricardo, e um bravura no bocal de cada um, rindo enquanto parecia… acariciá-los por baixo da alimentação.
Percebi que Tiago e Ricardo estavam olhando para o decote de Evelyn, e imaginei que ela estivesse fazendo aquela coisa para me provocar, por isso me aproximei. Apenas tinha lugar para mim do outro lado da alimentação, por isso sentei de frente para Evelyn, que se ajeitou na alimentação, saindo do alteamento de Ricardo, porém mantendo as mãos no bocal dos 2. Eu não percebi na momento, porém o cheiro de buceta na setor da alimentação aparecia bastante forte.
— Já voltou, amor? – ela perguntou, dando risadinhas. Tiago e Ricardo similarmente deram uma cascalhada.
— Já, e trouxe as bebidas.
Ela pegou o taça e virou tudo de uma vez. Ficou um tanto tonta, porém logo se voltou para mim.
— Poxa, será que você pode resultar mais?
Como um bom companheiro que sou, deixei ela voltar a… abordar com os colegas da aptidão e fui pra ala do aparador de novo. No momento em que voltei, coisa de meia momento em seguida, vi que a alimentação aparecia aproximadamente vazia. O único tinha levantado para afrouxar, e vi Evelyn na pista. Aparecia tocando funk, e ela rebolava juntamente com Tiago e Ricardo. No momento em que descia até o chão, o abafado já limitado dela subia, e no momento em que ela se abaixava para rebolar, eu podia analisar a bucetinha molhada dela de relance. Percebi que, enquanto rebolava, esfregava a buceta bem próximo dos paus de Tiago e Ricardo, bem provocativa inclusive, e no momento em que começava a afrouxar mais próximo, constantemente passava a mão na calça deles.
No momento em que os 3 voltaram para a alimentação, vi que Tiago e Ricardo estavam bastante duros, e Evelyn bastante bêbada. Já era tarde, e diversos dos colegas da aptidão já estavam indo ainda que. De acesso, ela me perguntou:
— Amor, o Tiago e o Ricardo são capazes de dormir lá em casa? Eles tão bêbados demais pra ir ainda que de automóvel.
Olhei para eles, e nenhum dos 2 parecia alcoolizado. Porém tudo bem, eu disse que efetivamente, porém lembrei a ela que precisaria dormir dessa maneira que chegasse, visto que no dia posterior acordaria cedo para trabalhar. Ela deu uma risadinha, concordando, e fomos todos para casa no meu automóvel. Claramente, Evelyn quis ir no banco de após para não deixar os rapazes sozinhos. Pode ser que estivesse imaginando coisas, porém pensei tê-la ouvido gemer baixinho ao longo o caminho, fora o cheiro de buceta que começou a empestear o automóvel.
No momento em que chegamos, peguei um colchão de celibato acúmulo que tinha guardado para aparecer, e coloquei na frente da nossa cama de casal. Sugeri que os 2 teriam que se apertar então no colchão, enquanto eu e a Evelyn dormiríamos na nossa cama.
— Poxa, amor, vai deixar eles apertados então no chão? Sacanagem realizar isto com os meus colegas.
— Bom, podemos deixar um deles então, e o outro se aperta com nós na cama de casal. Acho que cabe 3 indivíduos aqui em cima.
Ela tirou uma careta.
— Amor, seja um bom anfitrião, não coloca eles dormirem no chão. Coloca eles ficarem na nossa cama que eu divisão conta, por favoooor. – ela tirou uma carinha de pidona e me deu um adorável.
Eu analisei bem o pedido dela, olhei para a cama no chão e suspirei.
— Tudo bem, porém apenas dessa vez!
Ela deu uma risadinha, me agradeceu, e me deu mais um adorável. Deitei no colchão difícil que aparecia no chão, enquanto ela se ajeitava na nossa cama. Deitou no meio dos 2, evidente. Naquela noite, eu não dormi bastante bem. Os 3 fizeram bastante agitação de noite. Acho que estavam apertados, visto que não paravam de se mexer na cama, que balançou a noite toda, fora que a Evelyn não parava de gemer e reclamar. Acho que no fim, foi melhor inclusive eu ter dormido no colchão, a não ser não teria acertado bem para ir trabalhar no dia posterior.
No momento em que acordei no dia posterior, a Evelyn também tava dormindo do lado dos mais 2. Não a acordei, ela ficava tão atraente no momento em que aparecia dormindo. Saí para trabalhar e apenas voltei de noite. Ela aparecia toda adamado e parecia também mais bonita que o comum. Me disse que, em seguida que acordou…. conversou um tanto com os colegas, e eles foram ainda que apenas mais tarde.
Eu não sabia na data que já era corno, embora de ter ficado com a pulga atrás da aba, porém foi dessa maneira que eu virei corno sem nem sequer perceber.

2 thoughts on “Virei corno sem perceber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *