Minha Noiva Consegue Tudo o Que Quer

Meu nome é Léo, sou magro, alto e claro, tenho 29 anos e sou noivo da Hellen, uma morena espetacular, não muito alta, de pernas grossas, seios grandes e bunda empinadinha. Uma delícia de mulher de 22 aninhos.

Nos conhecemos em 2017, numa festa na casa de uma amiga em comum. Na época eu tinha 25 anos e ela 18.

Logo que a vi fiquei enlouquecido com aquela gata, tomei coragem e chamei para conversar. Ficamos naquela noite e logo em seguida começamos a namorar.

No final de 2018 ficamos noivos numa cerimônia particular, só para nossos pais e irmãos e em 2019 resolvemos fazer uma viagem para comemorarmos o noivado.

Hellen sempre gostou muito de sexo e foi bem safadinha. Antes de namorar comigo já tinha dado para um ex-namorado (com quem ela perdeu a virgindade com 16 anos), para um amigo da faculdade e também para um primo. Porém nunca havia feito anal, apesar de ter muita vontade. Eu então fui o responsável por descabaçar aquele cuzinho apertadinho e delicioso.

Depois que fizemos anal ela não queria mais transar sem ser penetrada por trás, eu sempre tinha que fuder gostoso aquela bunda empinadinha, e muitas vezes ela pedia pra começar a foda pela raba, pois assim ela se sentia mais safada ainda, coisa que eu simplesmente amava.

O tempo ia passando e Hellen cada vez ficava mais safada, tirava a roupa dentro do carro no meio do trânsito (já que os vidros do carro são bem escuros), fazia um delicioso e molhado boquete enquanto eu dirigia, pedia pra eu parar na rua de trás da casa dela para fuder ali dentro do carro, saia com vestidinho sem calcinha quando íamos pro motel e chegou a ir plugada algumas vezes encontrar comigo, o que me deixava cada dia mais apaixonado e tarado naquela safada.

Conversávamos muito sobre sexo e ela sempre dizia ter o fetiche de ser dominada, por isso eu a tratava como uma verdadeira putinha na cama, batia muito na sua cara, na sua bunda, segurava forte o pescoço, xingava de muita coisa e claro, gozava muito na cara dela que adorava sorrir com o rostinho todo gozado.

Hellen também tinha muita vontade de ser comida por quatro caras ao mesmo tempo, queria um na sua bucetinha carnuda, um na sua bunda e os outros dois revezando entre sua boca e uma punheta. E pra finalizar tinha a vontade que todos fizessem uma fila e gozassem não cara dela ou gozassem todos num copo e desse para ela beber.

Eu escutava ela dizendo isso e ficava louco de tesão imaginando minha deliciosa noiva numa cena dessas.

Definimos então que viajaríamos para o nordeste, mais especificamente para Costa do Sauípe, na Bahia, pois Hellen sempre gostou de sol, calor e praia. Fechamos um pacote em um resort cinco estrelas com all inclusive para sete dias.

Nossos planos eram simples, queríamos aproveitar os dias de sol para tirarmos fotos e pegar um bronze e a noite para transarmos sem limites.

Partimos então rumo à Bahia numa quinta-feira logo pela manhã. Todo correu como o esperado durante o voo. Ao chegarmos em Salvador, pegamos um táxi que nos levou até o resort.

O lugar era um luxo, tinha 4 piscinas, salão de jogos, sauna, acesso particular a praia, muitos coqueiros, uma estrutura de primeira.

Nós ficamos num quarto no segundo andar que tinha uma cama de casal, um banheiro e uma sacada com uma rede de balanço de frente para a piscina principal. Essa sacada era um lugar propício para transarmos de maneira aventureira como minha noiva gostava.

Chegamos, colocamos nossa bagagem no quarto e já fomos para a praia. Eu coloquei minha sunga e um óculos escuro e minha noiva colocou um biquíni verde normal, mas que deixava a calcinha atoladinha na sua raba empinada.

Chegamos na praia, escolhemos um guarda-sol e pedimos cada um uma água de coco. Enquanto eu fiquei sentado na cadeira, Hellen foi entrar na água e mesmo a praia não estando cheia, pude notar os olhares dos machos ali presentes secando o rabo empinado da minha gata. Ela provavelmente percebeu e fez questão de rebolar ainda mais que o normal.

Ficamos ali a tarde toda e depois fomos para o quarto tomar banho e esperar o jantar.

Jantamos, depois curtimos um pouco do show ao vivo oferecido pelo hotel e mais ou menos umas 22hs fomos para o quarto. Transamos como sempre, muito oral, muita safadeza, eu tratando ela como uma putinha e ela amando ser submissa. Depois dormimos agarradinhos a noite toda, pois estávamos cansados da viagem.

Acordamos no dia seguinte às 08hs, tomamos banho juntos, demos uma rapidinha embaixo do chuveiro e fomos tomar café no restaurante do resort. Comemos bastante, pois havia uma variedade enorme de comidas típicas deliciosas.

Resolvemos então ir para a piscina principal para aproveitarmos o sol da manhã. Como ela é um pouco mais funda que as outras, não tinha crianças nela, somente alguns casais, duas moças e um grupinho de cinco homens.

Ficamos nos refrescando e minha noiva aproveitava para esfregar sua bunda gostosa na minha rola ou sentar no meu colo no degrau de lado da piscina, o que fazia minha sunga ficar totalmente marcada pelo volume.

Num certo momento Hellen me chamou para entrar no mar com ela, mas como eu não gosto muito do sal da água, preferi ficar na piscina e ela foi sozinha. Foi aí que tudo começou a acontecer.

Da piscina dava pra ver apenas uma parte da areia praia, por isso minha noiva estava fora do meu campo de visão. Mas eu estava tranquilo, ela tinha ido apenas dar um mergulho e por sinal nada muito bem.

Eu fiquei ali na piscina curtindo o sol, o tempo passava e nada da minha noiva voltar. Já tinha quase uma hora que ela havia saído, eu preocupado resolvi ir ver o que estava acontecendo.

Sai da piscina, enxuguei na toalha que estava na nossa mesa, vesti o short e fui até a praia procurar pela minha gata.

Logo que cheguei na areia aviste Hellen conversando descontraída com um rapaz alto e forte, aparentando ter uns 26 anos, próximo a um jetski. Eles riam muito, se abraçavam, pareciam se conhecer de longa data.

Eu preferi não chegar perto e fiquei atrás de um dos coqueiros observando onde aquilo iria chegar.

Aquela conversa continuou por alguns minutos até que o rapaz segurou minha noiva pela mão e ela deu uma voltinha, ele aproveitou e deu um tapinha na bunda dela que respondeu com um belo sorriso.

Eu quis muito ir lá e perguntar o que estava acontecendo, mas fiquei paralisado com a situação sem entender nada.

O rapaz então convidou minha noiva para dar uma volta com ele de jetski e ela prontamente aceitou.

Subiram então os dois no veículo e saíram mar adentro, enquanto eu continuava ali observando toda a situação.

Vinte minutos depois eles voltaram, ele deixou ela na praia, deu outro tapa na bunda dela, e foi embora. Eu voltei correndo para a piscina e fiquei esperando a volta dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *