Putaria no Metro de SP

Esse fato ocorreu em junho de 2017, quando fui a São Paulo para visitar alguns parentes e estava indo para a rodoviária da Barra Funda, peguei o metrô em Itaquera e junto comigo entro um rapaz alto por volta de 1,80m, cabelos curtos e pretos olhos pretos, sem barba, por volta de 25 anos no máximo se chamava Fernando, estava com uma bolsa nas costas, de social e fones de ouvido. Era segunda feira o metrô estava lotado, quase não consegui entrar, com muito esforço, entrei, fiquei de frente para ele, com os fones ele olhava para o horizonte enquanto eu o observava discretamente sentia sua respiração, que tesão. Por duas vezes nossos alhares se cruzaram, resolvi virar de costas para segurar melhor, ele estava encostado na porta, o vagão estava cheio, mas tinha espaço o suficiente para se mexer. O metrô balançava e as vezes nessas balançadas minha bunda encostava no pau do cara, no começo fiquei meio constrangido e tentei me ajeitar, porém, durante os balanços eu ainda encostava no homem, mesmo que sem querer. Aos poucos isso foi me exitando e eu ficava imaginando o que o cara estava pensando, será que estava gostando? Aquilo foi ficando gostoso demais a minha cabeça rodava um filme pornô. Não importava, gostando ou não gostando, continuei roçando nele involuntariamente até a estação Sé. Continue lendo Putaria no Metro de SP…

Perdi meu cabacinho de novo

Como ja havia explicado no meu outro conto, minhas primeiras vezes tinham sido maravilhosas com a pessoa que eu sempre desejei, o Fábio, um rapaz que foi da minha sala no ensino médio. Depois disso, sim, nunca mais transei, porque nao achei nenhuma pessoa que me prendesse, ou que me fizesse despertar um desejo tao intenso quanto tinha por aquele menino, O famoso, amor de pica bate e fica, e como ficou, ficou e fica ate hoje.
Atualmente moro na europa, vim para estudar. Mas acontece que fui passar ferias no Brasil, e estava doido para encontrar o Fabio, mesmo que tinhamos tido pouco contato após a minha vinda, ele sempre me mandava msg no snap dizendo pra eu voltar, e que estava com saudade. Continue lendo Perdi meu cabacinho de novo…

Chupei gostoso o policial amigo do meu pai

Meu pai é policial e as vezes ele e seu amigo Tony fazem bico a noite como segurança nas boates aqui da cidade, meu pai é separado e então só mora eu e ele.

Sou Vinícios, 1.70 de altura e cabelo na moda, jeitão descolado como todo adolescente, roupas estilosas e pouco afeminado, afinal sempre soube do que gosto

Como disse Tony é amigo do meu pai e sempre aparece em casa para buscá-lo para os bico nas boates, Tony é alto, 30 anos e corpo de boas, não é atlético, mas também não tem barriga de shop, olhar perigoso, moreno e estilo charmoso que me dava um tesão ao ver, nunca pensei que um dia aconteceria algo. Continue lendo Chupei gostoso o policial amigo do meu pai…

Negão Bruto arrombando o meu cuzinho

O meu nome aqui é Lucas, mudarei todos os nomes dos envolvidos nas historias pra manter o sigilo, pois prefiro assim. Sou gordinho e bem alto, sou bi porém com homens sou apenas passivo. Vou relatar algumas historias que já aconteceram comigo ao longo dos anos, porém não será na ordem de acontecimentos e sim na ordem que elas me deixaram mais excitado. Sem mais delongas vamos ao que interessa.
Apesar de ser gordinho, sempre fiz caminhada por gostar mesmo, andava por varias ruas, e meu bairro é bem tranqüilo, tem ruas bem desertas mais por falta de morador acaba sendo pacata, em uma dessas ruas tem uma empresa que eu conheci o Carlos, toda vez que eu passava ele me cumprimentava e troca vamos duas ou três frases e eu seguia meu caminho, confesso que ele nunca tinha despertado nada em mim, pois so via seu rosto e achava ele um negro comum, até um certo dia que começou a chover não estava muito forte mais ele me ofereceu abrigo, e eu aceite, quando ele abriu o portão fiquei encantado por ele, ele era magro forte estava de regata e dava pra ver seus músculos, sua calça preta realçava uma bela piroca, mais tentei disfarçar, mais acho que não deu certo, ele me ofereceu água e eu aceitei quando abaixei pra pegar notei pelo reflexo do bebedor que ele me olhava, ai meu lado safado aflorou. Continue lendo Negão Bruto arrombando o meu cuzinho…

Aventura noturna com desconhecido

Estamos no ano de 1993. Conforme descrevi no conto anterior acabei envolvendo-me com o pedreiro que precisou fazer um serviço em casa. Eu era um rapaz jovem, branco, olhos castanhos, cabelos pretos, tendo um 1,69 de altura e ele negro, baixo, bom dote físico, seus quarenta e cinco anos, casado.

Passei a frequentar umas duas vezes por semana a sua casa quando ele não tinha serviço e sua mulher ia trabalhar como doméstica. Cheguei a ter umas cinco relações a mais com ele mas em menos de um mês a coisa complicou sendo que meu esquema “fechou” porque sua esposa ficara sem serviço também. Avisou ao encontrar-me na rua e melou. Continue lendo Aventura noturna com desconhecido…

Adrianinha Cdzinha Fogosa

O supermercado estava lotado aquela noite, e estava um pouco friozinho , um vento meio que gelado soprava entre um corredor e outro, mas eu precisava ter ido ali , pois estava com vontade de comer batata de microondas com suco de uva.(Gosto muito de uva apesar de não beber bebida que contenha Álcool).

Estacionei o carro la fora mesmo , pois era só isso que iria comprar,estava louco pra voltar pra casa era terça feira e não tinha programado nada para aquele dia.

Peguei uma cestinha e fui até a seção de frios no final do corredor a esquerda ,entre uma olhada e outra tive que voltar quando vi uma coroa de calça legue branca parada escolhendo uma lampada na seção elétrica Uma bunda enorme com a marca da calcinha bem pequena enfiada todinha dentro dela, me deixou exitado, dei a volta por de trás do corredor pra não chamar a atenção e fingi estar escolhendo umas pilhas. Continue lendo Adrianinha Cdzinha Fogosa…

A Primeira vez de uma putinha crossdresser

Olá, meu nome érafa e tenho 21 anos. sou branco, cabelos longos e loiros, magro, 1,68 de altura olhos castanhos.
meus pais se separaram quando tinha 7. depois de um ano de separação minha mãe arrumou um namorado mais velho com 60 anos, ela tinha uns 28 anos, loira e com um corpo lindo.
robson era um coroa viúvo e tinha uma vida financeira legal, eles viviam viajando, mas cada um morava em sua casa. aos 9 anos comecei a descobrir minha homossexualidade, não tinha atração por meninas e gostava muito de ver minha mãe se vestindo, achava muito legal e sentia vontade me vestir como mulher também, mas ainda relutava com minhas vontades. uma vez por mês minha mãe viajava com o robson na sexta e voltavam no domingo, eles me convidavam, mas preferia ficar em casa. tinha amizade com um garoto de 15 anos do condomínio que se chamava artur, ele era branco, alto e muito simpático, vivia me chamando para ir na sua casa para jogar video game com ele e seu irmão de 11 anos que se chamava raul. eu sentia atração pelo artur e ele me olhava diferente, acho Continue lendo A Primeira vez de uma putinha crossdresser…