Fiquei louco na suruba

Um certo dia, era sábado e o tédio estava reinando. Como não havia na pra fazer e eu já estava com tesão, resolvi entrar em uma sala de papo para procurar um sexo casual. Mas algo me chamou a atenção, um cara estava organizando uma suruba entre machos na casa dele. Criei coragem e puxei assunto. Começamos a conversar e ele quis saber sobre as minhas experiências em surubas, eu tinha dito que era versátil e que sempre quis participar de um sexo grupal, mas nunca tinha tido coragem e nem oportunidade. Eu já havia feito sexo a três algumas vezes, mas a experiência de entrar em uma orgia seria inigualável. O cara então pediu meu número, disse que se chamava Douglas e me adicionou em um grupo no WhatsApp. Quando olhei o grupo, percebi que haviam dez caras muito tarados e afim de sexo e isso foi me deixando cada

vez mais louco. Fomos conversando, cada um se apresentou e marcamos que a nossa festa particular seria no mesmo dia as 20:00. No meio da conversa cada um foi mandando foto dos seus respectivos pênis. Eu já estava explodindo de tesão só de imaginar o que eu iria fazer com todos os pintos daquele grupo. Chegou a hora, seis dos dez que estavam no grupo confirmaram que iam participar. Por pouco eu também desisti, estava muito tenso, muito apreensivo do que iria acontecer ali naquele lugar. Eu fui. Acabei sendo o último a chegar porque era o que morava mais longe. Alguns estavam só de cueca já e outros ainda estavam vestidos. Começamos a conversar e beber um pouco de vinho. Além de mim, haviam cinco outros homens, um mais gordinho que tinha o menor pau; um loirinho que tinha o pinto muito lindo, cheio de veias; um

meio japonês que tinha o pau torto; um bem magrinho e bem dotado e o Douglas que era meio baixinho e tinha uma bunda redonda e arrebitada. No meio da conversa, o loirinho e o dotado começaram a se beijar, essa foi a deixa pra começar a putaria, logo eu já estava beijando o japinha e consequentemente chupando o seu caralho. Virou um festival de boquete, todo mundo se chupava, às vezes um cara chupava dois paus ao mesmo tempo, outrora era um cara sendo mamado por dois ou três. Em um determinado momento, o loirinho e o Douglas me chupavam, eu tava morrendo de tesão, tava muito gostoso ver aqueles dois machos se beijando com o meu pau no meio. Até que não aguentei e acabei gozando no canto da boca do cara loiro e então o Douglas começou a beijá-lo. Foi incrível que aqueles caras gostosos beijando com a minha porra escorrendo. Fui no banheiro me limpar e quando eu volto já me deparo com Douglas de quatro dando o rabo pro

dotado. Aproveitei a oportunidade, catei o gordinho e sentei gostoso na vara dele enquanto chupava o japinha. Todo mundo foi se comendo, com exceção do dotado que era só ativo e do Douglas que era só passivo. Gozei pela segunda vez comendo o loirinha enquanto dava pro japonês num sanduíche maravilhoso. Nesse momento eu já estava um pouco cansado, então sentei do lado da cama e fiquei observando aquela putaria e batendo uma punhetinha suave. Era muito bom ouvir cada barulho, cada gemida, ver cada estocada. Fiquei assim um tempo, até que o dotado sentou do meu lado, ele começou a bater uma punheta pra mim e depois me mamou gostoso. Ele foi levando a mão até meu cu, que já tava meio

ardido, querendo saber quando ele iria me comer. Eu tava evitando ele, pois tava morrendo de medo daquela pica de 21 cm. Mas eu percebi que todo mundo já havia dado pra ele e eu não iria ficar de fora. Coloquei ele deitado e fui sentando devagar naquele mastro. Fui rebolando com prazer, até que chegou o japonês e me abraçou por trás, começou a me beijar. A boca dele tava com gosto de porra fresca e aquilo foi me deixando mais louco que eu fui rebolando com mais força, então, de repente, o japa me deitou sobre o peito do dotado e enfiou seu pau em mim. Eu gritava de dor, jamais imaginaria que um dia eu fosse fazer dupla penetração. Aquelas metidas estavam me levando a loucura, até que eu gozei no peito do dotado sem nem encostar no meu pinto. Então, já exausto, tomei um banho, me despedi do pessoal e fui embora pra casa, com o meu cansado e o Cu esfolado.

Posted in Gay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *