Enrabando a Comadre Safada

Conheci Amanda quando comecei a namorar minha esposa, eram melhores amigas e permanecem assim até hoje, tanto que foi madrinha de nosso casamento e nós dela, e nunca nos distanciamos, somos casais amigos e próximos, Amanda sempre foi muito franzina, era extremamente magra, não tinha muito seios e nem bunda, mas isso foi mudando a partir do casamento e principalmente depois do nascimento da filha dela, da qual inclusive somos padrinhos.
Embora não tenha o tipo físico que me agradava, sempre fui muito curioso, pois como disse, minha esposa e ela eram melhores amigas e confidentes, minha esposa nunca entrou em detalhes, mas sempre deixou a entender que Amanda era muito fogosa, transava várias vezes ao dia quando ficava em casa sozinha com o namorado e gostava de todo jeito, eu entendi que de todas as posições e todas as formas, e sempre ficava imaginando isso.

Depois de casada quando íamos a casa de Amanda ela sempre usava uns shortinhos que demarcavam bastante a sua bunda, que após o nascimento da filha deu uma bela de uma crescida e ficou redondinha, muito gostosa, ela usava uns shorts de cintura baixa e umas calcinhas bem estreitas mas que ficavam aparecendo quando se sentava, sempre achei isso muito sexy, sempre que ia a sua casa ficava observando o varal e sempre haviam calcinhas dela penduras, super sensuais e pequenas.

De uns tempos pra cá ela minha esposa me contou que ela estava bem insatisfeita com meu compadre, que fazia mais de 1 mês que ela não comparecia, que estava sempre cansado e ela não sabia mais o que fazer, achava que ele tinha arrumado outra ou coisa assim, eu disse pra minha esposa acalmar ela e dizer pra não se preocupar, que o compadre não ia fazer isso e que são fases normais do casamento, mas por dentro eu me perguntava como é que meu compadre poderia deixar de transar por mais de 1 mês com aquela gostosura, bundinha arrebitada redondinha, morena de cabelo curtinho e seios médios, barriguinha sarada e pernas super bonitas, lisinhas, ela depila com cera e está sempre impecável.

Há cerca de 1 mês fizemos um churrasco aqui em casa e como sempre eu fico na churrasqueira, e numa dessas ela estava na pia pegando não sei o que e eu passei por trás dela pra pegar um garfo na gaveta e segurei a cintura dela pra não encostar, mas o espaço é pequeno e não teve jeito, ela pareceu não ter se esforçado para que eu não encostasse na bunda dela e tive a impressão dela ter gostado, foi a deixa pra começar a investir na comadre carente, sempre joguei uns olhares nas pernas e bunda dela e tenho certeza que ela já percebia isso de muito tempo, ela sempre deu umas abaixadas provocantes na minha frente que me deixavam de pau duro, ainda nesse dia ao se despedir nos abraçamos e agradeci a presença deles em casa e disse que o próximo encontro seria lá na casa deles.

Pra minha surpresa num sábado uma semana depois minha esposa me disse se eu poderia ir lá na casa da compadre ajudá-lo com a instalação de uma luminária, não gostei muito da ideia mas fui pensando que veria aquela gostosa novamente, ela me recebeu com um beijo no rosto, estava com um top bem soltinho aparentemente sem sutiã, um perfume maravilhoso e diferente do habitual que usa bermuda jeans apertada ela estava com um shorts bem soltinho, não muito curto mais muito sensual, perguntei pelo compadre e ela disse que tinha ido no depósito comprar algumas coisas que iria precisar e eu fui tratando de ajeitar logo pra instalar a luminária, ela ficou embaixo de mim segurando a escada e eu disse que era muita gentileza mas que não precisava não, que ela poderia cuidar dos afazeres de casa, perguntei pela filha dela, minha afilhada e ela disse que estava na casa dos avós e só voltaria no domingo, terminado o serviço ela vira e diz, quer saber compadre, vou aproveitar que a escada está no jeito e vou dar uma limpada em cima desses armários da cozinha, segura pra mim a escada….

Eu não acreditei, a medida que ela foi subindo eu ficando frente a frente com aqueles pernões lisinhos e gostosos, ela subiu mais alguns degraus e com o shorts bem soltinho pude ver a polpa da sua bunda gostosa, meu pau ficou duro na hora, ela fez pra provocar e uma hora tentou alcançar um local mais a frente e deu aquela abrida na perna pra equilibrar e eu não acreditei ao perceber que a comadre estava sem calcinha, fiquei atômico e perturbado de saber que ela estava me provocando e ao mesmo tempo estava com medo se aquilo não estava combinado com minha esposa pra saber se eu daria em cima dela, ao terminar ela percebeu eu um pouco alterado e nervoso e ao descer fica frente a frente comigo:
-Tudo bem compadre?

-Sim comadre, desculpe é que você me desconcentrou com essa sua faxina.
– Ela safadamente disse, gostou?
Eu respondi, claro e ela me puxou pela mão e falou, vem cá…, subimos pra o quarto dela e ela fechou a porta e me tascou um beijo delicioso na boca, eu abracei ela de frente pra mim e passei a mão nas suas costas e ela se arrepiou inteira, disse que estava morrendo de vontade, que não era de hoje que me desejava e que tinha armado aquela situação pra mim, eu disse, – Você é louca, e a Vanessa? (minha esposa) e o Júnior? (meu compadre).

Ela se aproxima mais de mim colocando a mão por cima da minha bermuda e diz baixinho no meu ouvido, sua esposa só vai saber se você contar, e o seu compadre na verdade foi pescar e só volta a noite, temos tempo pra fazermos o que quisermos…e me beijando novamente já foi colocando a mão por dentro da minha bermuda…. que delícia, minhas mãos acariciavam aqueles seus seios médios e durinhos e suas pernas lisas e torneadas até encontrar a sua bucetinha, totalmente lisinha e molhadinha, nos despimos e ficamos ali de pé na beira da cama nos beijando e passando a mão pelos nossos corpos cheios de tesão, ela me empurra pra beira da cama e se ajoelha no chão ficando de frente pra meu cacete e segura meio que hipnotizada e cai de boca num boquete extremamente gostoso, sua boca quente mordiscava a cabeça do meu pau e depois ela sugava e engolia tudo com maestria, com a outra mão ela massageava minhas bolas e também parava para lambê-las, disse pra ir devagar senão não ia aguentar de tesão, ela continuava e disse: -Hoje você vai ter o que sua esposa não te faz, minha esposa não deixa eu gozar na boca dela e acho que elas se conversavam e ela sabia disso, foi aumentando o ritmo até que não resisti e enchi a boca de dela de esperma, ela sorrindo engoliu boa parte, babou um pouco e continuo lambendo o que escorria e disse: – Era isso que você queria né?

Puta, que tesão… Eu disse, não eu quero tudo isso e muito mais, e falei: -Agora é minha vez.
Fiquei eu na beirada da cama chupando sua bucetinha gostosa, enfiava a língua gostosamente sentindo seu sexo quente e seu mel que escorria gostoso, subia para o clitóris dando umas mordiscadinhas e descia até encontrar seu cuzinho lisinho, ela só gema e se contorcia toda de prazer, gozou com minha boca por mais de uma vez porque eu também brincava com meus dedinhos enquanto lambia.

Não aguentando mais Amanda se via de quatro e pede pra eu enfiar gostoso, eu dou uns arranhões de leve em suas costas e vou direcionando meu pau bem duro na sua entradinha, como já fiz vasectomia e sei que ela e o marido não aprontavam (pelo menos acho né rsss) nem pensei em camisinha, que delícia sentir aquela bucetinha quente , metia bem fundo, ia tirando devagarinho e ela delirando, gemendo bem alto, dizendo que bem que minha esposa dizia que eu metia muito gostoso, tirava bem devagarinho e socava forte até o fundo e dava umas mexidinhas e ela delirava, gozamos feito louco pelo menos 02 vezes, deitados ela me disse que sempre me desejou, e eu disse o mesmo a ela, já estava me animando novamente depois de um tempo aí ela disse que eu ia ter novamente o que minha esposa não me dava, já fiquei animadão pensando: Não acredito, vou comer o cuzinho dela !!!

Ela senta no meu pau rebolando e mexendo gostoso, pega e enfia em sua bucetinha e começa a rebolar gostoso, quando estávamos a um tempinho assim ela vem no meu ouvidinho e pergunta se eu quero comer o cuzinho dela, eu digo que sim e ela diz pra eu pedir, eu fico pedindo e ela novamente fica de quatro pra mim, com as duas mãos dá uma abridinha, olha pra trás com um sorrisinho de safada e aí eu começo a colocar bem devagarinho, após um tempo com a cabeça na portinha ela mesmo foi rebolando e fazendo questão de ir socando pra dentro cada centímetro aí chegar ao final, após isso os movimentos foram aumentando até ela acostumar e daqui a pouco já estava naquele entra e sai gostoso, no final disse que ia gozar de novo e ela perguntou se eu queria gozar dentro do cuzinho dela, eu disse que queria na boca de novo, ela se virou rapidamente e me punhetando gostoso e me olhando com uma cara de safada novamente me fez gozar em sua boca, que delícia !!!

No próximo contarei mais aventuras com minha comadre gostosa que foi ficando cada vez mais ousada comigo.
Se você gostou desse conto real, espero poder trocar e-mails com você homem ou mulher a respeito de histórias a respeito dessas aventuras…, aguardo comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *