Comi a casada em Curitiba a pedido do marido

Conheci Letícia através de outros contos, ela me enviou um e-mail falando que se marido queria ser corno.
Letícia tem 33 anos, casada a 8 anos, falou que algum tempo seu marido tinha está fantasia, ela sempre negou dizendo que não queria trai-lo, e que não faria bem ao casamento.
Porém, ela me relatou que alguns meses a relação esfriou e na última transa ele pediu para ela realizar está fantasia e ela topou em procurar algo, foi assim que me achou em um conto.
Leticia se sentiu confortável em me procurar, falou que não trairia seu marido com alguém conhecido e que comigo seria uma boa opção pelo sigilo.
Conversamos um bom tempo, trocamos watts, até que Letícia arrumou uma tarde para me conhecer sem seu marido saber, ela queria fazer surpresa.
Marcamos em um bar em Curitiba, cheguei a tese no local, passados uns 10 minutos Letícia apareceu com um vestido solto, curto, bronzeada, cabelos longos, com luzes, vi um belo par de pernas, uma bunda arrebitada e um sorriso encantador.
Convidei ela para sentar, tomamos algumas cervejas e colocamos o assunto em dia. Letícia e seu marido são empresários bem sucedidos, estava com medo do sigilo, assegurei ela que aquilo ficaria entre nós, e eu escreveria o conto se ela permitisse.
Letícia estava mais tranquila, cruzava as pernas para me provocar, quando perguntei se ela queria ir em um lugar mais tranquilo, ela topou na hora.
Saímos do bar e fomos direto para o motel, tomamos um banho, pois, o calor estava imenso nestes dias em Curitiba.
Cheguei na cama, Letícia estava nua coma bunda para cima, que visão linda, que corpo escultural e que bunda arrebitada.
Comecei beijando suas pernas, fui subindo até sua bunda, beijando, dando mordidinhas, vi que estava toda arrepiada, olhei para sua bucetinha estava toda molhada, continuei beijando suas costas, minha língua desenhava aquele corpo gostoso. Cheguei em seu pescoço, beijei, falei besteiras e safadezas em seu ouvidos.
Letícia se virou e me deu um beijo, guloso e longo, pedindo para entrar nele, falei que não era hora ainda, que ainda tinha muito beijos para aquele corpo.
Voltei a beijar seus seios, que estavam durinho, eram pequenos, cabiam todo dentro da boca, desci até sua virilha, lambi ao redor, passava a língua e Letícia levantava o quadril como dissesse me chupa. Queria deixar ela louca de vontade, dava leves mordidas ao redor de sua bucetinha, toda depilada, até chegar a seu clitóris, o de chupei, suguei, e iniciei dando leves lambidas até aumentar o ritmo, de uma forma que eu consegui arrancar seu gemidos. Letícia segurou pelo meu cabelo e pediu para não parar, chupei, e chupei, quando ela levantou o quadril e soltou um grito de gozo, sua bucetinha piscava, contraia com seu gozo. Deixei ela relaxar um pouco, beijei sua boca e desci novamente a chupar sua bucetinha, passava a língua de leve em seu clitóris, comecei a introduzir dois dedos em sua bucetinha, até tocar o céu da mesma por dentro, e continuei chupando seu clitóris, não foi difícil arrancar mais um gemido de gozo de Letícia.
Nos beijamos com gosto de seu gozo, meu pai estava encostado na entrada de sua bucetinha, Letícia rebolava tentando encaixa-lo, na posição papai/mamãe, ela estava tão molhada, que meu pai deslizou inteiro dentro dela, ela só deu um gemido e falou: me fode, me faz sentir sua puta!
Iniciei as socadas, meu pau entrava fácil, entre beijos, chupões e socadas, chamava Letícia de gostosa, safada, puta, vadia, sentia sua bucetinha molhada mais. Foi quando mandei ela ficar de quatro, queria ver aquela bunda gostosa arrebitada. Letícia ficou de quatro,, abraçou um travesseiro, me oferecendo aquela bucetinha rosada, encostei a cabecinha e deixei deslizar lentamente, queria sentir bem meu pau rasgando aquela delícia. Iniciei o vai e vem, aumento as socadas, segurei firme ela pela cintura e meti fundo, Letícia gemia, e fala isso, me fode, mete, enquanto socava dava uns tapas naquela bunda grande e chácaras de puta gostosa,. vadia, foi quanto senti Letícia gemendo e mordendo meu pau gozando.
Ela caiu na cama, sem deixar o pau sair fiquei dentro dela deitado por cima, fazendo um vai e vem, e beijando a nuca daquela delícia. Letícia falou que estava acabada, com as pernas tremendo, perguntei onde ela queria porra, ela disse na bucetinha, enche ela, quer tirar um monte de fotos para meu marido ver porra de outro na mulher dele, quero sua porta quente dentro de mim
Ainda deitado por cima de Letícia voltei a socar, desta vez ela pedia porra, goza, goza gostoso de troca de mim, quero sua porta, goza gostoso, e com ela pedindo assim, soltei vários jatos dentro de Letícia.
Ela pediu para eu tirar e filmar sua bucetinha escorrendo porta, mandei ela virar de frente e sentar na borda da cama, assim iria escorre melhor e foi assim que aconteceu, sai minha porra, Letícia esfregava com os dedos para lambuzar bem a bucetinha, enfiava dois dedos e tirava chupando os mesmos.
Depois da sessão de foto, seu marido ligou, Letícia falou que havia acontecido e chamava ele de corno, não era isso que você queria, te coloquei um chifre e estou toda gozada, cheia de porra.
Ela pediu para ir embora, não queria que saísse toda a porta da bucetinha, queria mostrar ao marido. Assim nos vestimos e saímos do motel.
Letícia ainda estava com tesão, foi me punhetando no carro e me chupando, quando parei o carro ela terminou de me chupar até gozar em sua boca.
Nos despedimos e ela agradeceu o carinho e a foda, disse que depois conversavamos mais, estava ansiosa para ver o marido.
A noite trocamos mensagens, Letícia disse que chegou em casa e beijou seu marido com a boca ainda cheia de porta, e fez ele lamber, chupar e tomar toda porra que tinha em sua bucetinha. Que depois que limpou sua bucetinha ela deu para ele.
Falou que a vida de casal dos dois mudaram depois daquele dia, seu marido estava mais amável e eles se reaproximaram mais.
Me agradeceu pelo sigilo e descrição, e que logo teria mais
Casais, casadas, solteiras que desejam realizarmos suas fantasias, entrem em contato.
[email protected]

Sexo Por Telefone
Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *