Chupando a amiga no trabalho

Esse é um conto rápido e gostoso assim como a minha história. Horário de fechamento do serviço, em plena véspera de ano novo, eu e minha amiga éramos os azarados escalados. Eu, alemão na casa dos 30, completamente loiro dos olhos verdes, 1,76, forte e parrudo, nem gordo ou fitness. Já a Bia era uma loira de parar o trânsito da mesma faixa etária, de olhos castanhos claros e uma coisa que realmente mexeu comigo mais que tudo, um apetite voraz por aventuras sexuais.

Já conversávamos a um bom tempo sobre várias coisas incluindo o sexo, então eu tinha meio que um mapa de como a incendiar com sexo, porém nunca tinha investido nela até aquela hora. Pedi sua ajuda para apagar todas as luzes do complexo e assim irmos embora.

Em um corredor nos fundos do prédio, desligamos as luzes e no momento em que iríamos sair para apagar o resto de vez, seguro sua mão e a puxo de volta a escuridão. Surpreendida ela questiona.

– O que é isso?

– Por favor, deixe me te dar um presente de ano novo.

Enquanto falava eu já ia fazendo uma massagem gostosa em seu pescoço e costas.

– Ah..uma massagem.

Ela mal responde quando coloco uma bala de menta na boca e pego de jeito seus cabelos, beijando gostoso sua nuca e pescoço, arrepiando seu corpo todo enquanto a outra mão a pega pela cinturinha.

Gaguejando pausadamente ela reluta.

– O que..que é.. é isso doido?

Sussurrando no ouvido comento

– É uma coisa que eu sei que você adora e não recebe, vou te dar o presente rapidão. Só aceita e pronto.

Depois de beijar muito aquele pescoço, a viro de repente, agarrando-a pela cintura e dando lhe um beijo delicioso, o melhor é que ela correspondeu beijando ainda mais intensamente. Depois de uns beijos demorados eu a mando ficar com as costas na parede já a encostando com minhas mãos.

Sem perder tempo levanto um pouquinho a camisa dela e começo a beijar sua barriga descendo cada vez mais, ela até tenta relutar um pouco, mas pego suas mãos e junto das minhas mãos e língua lhe ajudo a descer só um pouco sua calça e calcinha, dando me o acesso a sua deliciosa buceta, que beijo com minha língua enorme toda sua extensão e clitóris sem parar.

Suas mãos agora estavam em minha cabeça, apertando minha boca naquela buceta deliciosa e lambuzada do seu mel e minha língua, eu chupava e a beijava seguindo seus sinais de prazer, a fazendo gemer cada vez mais alto, continuava beijando e estimulando seu clitóris até que sinto seu ápice, a penetro com a língua só para sentir suas contrações involuntárias e espasmos ritmados com seus gemidos.

E sem que a desse tempo de pensar eu me encaixo por baixo de suas pernas e a suspendo no ar com sua xana na minha boca, a beijando ainda com mais tesão e gosto de forma suave e forte. Suas pernas tremiam e mal teve tempo de gritar. Só se agarrou ainda mais no meu cabelo em um misto do prazer proibido de trepar no serviço, com meus beijos de língua e a bala em sua buceta, além do seu medo de cair. Todo o risco e tesão, e chupadas cada vez mais intensas renderam resultados em minutos.

-NÃOOO PARAAA!!! NÃO PARAAAA!!! AAAHHHHNNNN…AAAHHHHNNNNM.

Sinto suas pernas travarem e tremerem em conjunto com seu gozo inundando sua xota e minha boca, um gemido intenso sem se preocupar com as outras pessoas que poderiam vir ao nosso setor a qualquer momento. Suas unhas cravam em minha cabeça e seu corpo desfalece diante do prazer. A agarro pela cintura enquanto a devolvo chão para não cair, ouvimos passos e o barulho da porta se abrindo. Bia puxa sua calça e nos compomos em saída.

Era nossa chefe, havíamos desligado tudo mas ainda tardamos a ir. A Bia estava meio fraca então falei que ela não estava muito bem, a chefe engoliu e saímos do local.

Me despedi dando um pequeno abraço meio de longe na chefe e um abraço gostoso na Bia.

– Não precisa pedir para não parar, eu nunca paro. Feliz ano novo.

Sussurrei em seu ouvido, ela riu e sussurrou também.

– Outra hora te dou um presente também, feliz ano novo.

seguimos cada um para seu rumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *