Puta na praia

Sou de São Paulo, casada, tenho 36 anos, longe de ter meus 18 aninhos e ser toda sarada, mas aí da tenho meus atributos e aprendi a usar eles. Sou loira 1, 60m 70 kg, mãe de dois filhos e tenho uma bunda bem redonda e chama muito a atenção.
Como falei sou casada, e sortuda, pois, liberada por um marido que gosta de levar chifre, que mulher que não sonha com isso? No começo sempre tive receio, mas aprendi que quanto mais chifre eu colocava, mais ele babava em meus pés
Foi quando a 4 anos atrás comecei a gostar da brincadeira e entrei no jogo, já não sei para quantos eu já dei até então, mas aprontei algumas boas fodas, outras nem tantas, mas aprendi a ser uma puta de carteirinha.

Sexo Por Telefone


Dentro de casa, sou mãe, esposa, e uma mulher exemplar, não é todo dia que saio trepar, mas tem dias que a minha bucetinha mela toda e é nestes dias que preciso de uma boa vara grande e grossa para sentar.
Foi assim que acontece em dezembro de 2017, estávamos na praia em Santos-Sp, eu marido, filhos, sogro, sogra e alguns outros parentes, casa cheia.
Sabe como é praia parece que o tesão aumenta, não sei se é por que as pessoas andam semi nuas, mas a vontade de trepar era grande, e com toda família junto é difícil. Cheguei no ouvido do meu marido e disse que minha bucetinha estava melada, ele já entendeu, e levou para o quarto me encostou na parede e já me meteu, mas tudo em silencio, foi quando nos chamaram para jantar e quebraram o clima.
Decidi que iria sair, falei ao meu marido que colocaria as crianças dormirem e depois iria dar uma volta, ele entendeu, arrumei a desculpa que queria fazer umas comprinhas e meu marido disse que não queria ir junto.
Coloquei uma blusinha soltinha, saia jeans sem calcinha, pois, estava pronta para aprontar, sempre da frio na barriga, medo, até às coisas acontecem, depois passa.
Pois bem, sai comprei algumas coisas, tomei várias cantadas, as ninguém que me atraísse. Resolvi dar uma volta na beira da praia, já era 23: 00, andava sozinha com roupa bem curtinha, só precisava me soltar mais, deixae alguém chegar em mim, foi qua do foi garotos com cervejas na mão, falaram: andando sozinha, precisa de companhia.
Resolvi retribuir e encaralos com sorriso, dizendo: acho que preciso de companhia sim!
Logo os dois estavam em meu lado, Bruno e Marcos, ambos 20 anos, me ofereceram cervejas e batemos um papo.
Menti que havia brigado com marido, para eles entenderem que sou casada, e queria refrescar a cabeça. A cerveja logo acabou e eles pediram se eu queria ir na pousada que estavam tomar mais uma. Pronto, sabia que eles queriam, e eu também queria o mesmo, eles não eram lindos, maravilhosos, mas eram novos e simpáticos, pensei vamos ver o que acontece, com muito frio na barriga aceitei.
Entramos no quarto, havia uma cama de casal e uma de solteiro, era apertado, mas minha buceta escorria, andei um watts avisando onde estava e nome da pousada a meu marido, para ele saber que eu havia achado macho.
Logo Bruno já veio me elogiando e dando um beijo, falou que iriam cuidar de mim, Marcos chegou junto beijando meu pescoço e já passando a mão, quando me dei conta está pelada, e os dois me beijando toda, foi quando elea tiraram os shorts e tive uma linda surpresa em ver pau de Marcos, era grande, grosso, bonito, de Bruno não era tão grosso, mas tinha seus 18 cm
Marcos deitou na cama de casal e cai de boca naquele pau duro, já que é para ser puta vamos se soltar, estava de quatro mamando aquele lindo pau, quando sinto uma língua lambendo meu cuzinho, era Bruno, logo sinto a cabeça de seu pau cutucando minha buceta, falei para ele colocar a camisinha, mas estava tão melada e me deliciando no pau de Marcos que quando percebi Bruno já estava socando em mim. Foi a vez deles trocarem, Marcos era mais safado, encostou a cabecinha e forçou com tudo, dava tapas em minha bunda e me chamava de puta, minha bucetinha estava piscando de tesão, e levando socadas fortes de um pau desconhecido e gostoso. Sai de quatro e fui sentar no pau de Bruno, logo Marcos ficou de pé em minha frente e e meu deu seu pau lambuzado de minha buceta para chupar. Bruno estava mais solto, chupava meus peitos fortes, e dava tapas em minha bunda que já ardia de tanto apanhar, comecei a rebolar gostoso, Bruno falou para eu acalmar se não iria me encher de porra, adoro provocar e ver até onde eles aguentam, dei duas reboladas e uma sentada gostosa e senti Bruno enchendo minha buceta de porra. Logo ele sai e Marcos me pegou de papai/mamãe, ele metia gostoso, falava que eu era uma puta gostosa, linda, mas vadia, isso me excitava mais, pedia para ele socar forte, foi quando ele levantou minhas pernas e iniciou um vai e vem alucinante, senti seu pai lá no fundo, e sua socada era gostosa, logo estremeci e gozei, junto com meu gozo Marcos soltou jatos de porra dentro de mim.
Minha buceta era puro esperma, Bruno tomava uma cerveja e me ofereceu um pouco, tomei e ele já estava de pau duro me oferece do para chupar, ele de pé e eu sentada na borda da cama, sentia porra vazando da minha buceta, Bruno mandou eu ficar de quatro, obedeci, elogiou minha bunda, e meteu e minha buceta de novo, senti seu dedo forcando meu cuzinho, deixei ele brincar, logo senti a cabeça de seu pau na entrada, falei para ele que não, não costuma dar o rabinho, mas Bruno disse que iria me comer que puta como eu tem que ser fodida de todo jeito, a maneira que ele disse me encheu de tesão, obedeci e arrebitei mais a bunda, senti ele cuspindo no pau e forçando a entrada, relaxei, o pau dele era menor e não foi muito difícil de sentir ele inteiro dentro de mim, pedi para ele segurar queria me acostumar, como falei raramente dou o cuzinho, e para meu marido que come com cuidado. Bruno disse a Márcia que estava saindo do banho, olha estou comendo o cuzinho desta vadia, fácil, oferecida, nisso senti o vai e vem, e logo véio as socadas, gemia alto, eles falavam, gemi puta, gosta sua puta, sabíamos que era fácil quando te vimos na praia, e está mais fácil que imaginávamos, vadia!
A maneira que eles me tratavam me excitava mais, queria mais, Marcos sentou em minha frente pau mole, e comecei a chupar logo estava duro, e Bruno socando e socando no meu rabo, ele tirava o pau e via como meu cuzinho estava ficando largo, minha bunda ardia de tapas, mas eu estava amando me sentir puta, chupava Marcos lambia aquele pau todo, quando senti que ele iria gozar, tentei tirar a boca, mas Marcos me segurou pelo cabelo e não deixou tira o pau da boca, senti sua porra na minha garganta, e ele fazia vai vem dizendo, chupa puta, chupa, toma minha porra, hoje vamos te encher por todos os buracos, confesso que não queria porra na boca, mas fazer o que estava na chuva, e sendo segurada forte pelo cabelo, tive que lamber e ele me fez tomar, limpar todo seu pau, disse que não queria uma gota de porra no pau, era para deixar limpinho, e como uma boa puta obedeci, limpei tudo, qua do senti Bruno gozando em meu cuzinho, estava toda arrombada, fodida e gozada.
Pedi uma cerveja, eles me deram, tava com gosto de porra queria tirar da minha garganta, eles me olhando falando como eu era gostosa, que nunca fizeram alguém tão puta.
Me vesti estava envergonhada, aquela sensação de querer ir embora, que é putinha me entende, coloquei minha roupa, nem me limpei, só dei uma ajeitada no cabelo e falei que teria que ir embora, já era tarde, eles me deram um beijo cada e falaram que queriam me comer antes novamente me deram o telefone, e que eu seria a puta deles novamente.
Mal sabem que estás aventuras são apenas de uma foda, não rola de novo, nada de segunda vez, exceto se tiver um amante.
Voltei para casa, sentia minha buceta e cuzinho escorrendo porra ainda, meu marido estava sentado em um murinho próximo onde estavam hospedados, disse que me esperava ali, pois, falou a todos na casa que iria me encontrar em um barzinho.
Cheguei perto dele dei um beijo, e ele enfiou a mão em minha buceta por baixo da saia jeans e sentiu ela toda lambuzada, meu tesão com o gozo dos dois, falei para ele colocar o dedo em meu cuzinho e ver também, ele não acreditou que dei até meu cuzinho, ele tirou onpau para fora e sentei no seu colo, e falei que havia transado, não com um , mas com dois garotos e gozaram em tudo, boca, buceta e bunda, que nunca me trataram tão puta como eles fizeram e eu adorei, foi maravilhoso.
Meu marido me beijava, dizer do que me amava, e eu retribuía sentando em seu pau, logo ele gozou de tanto tesão, era mais porra em minha buceta, foi um dos dias mais incrível da minha vida e mais louco. Sai de cima do pau do meu marido, olhamos para o lado tinha um casal nos observando, demos risadas e entramos, eu precisava de um banho, afinal estava cheirando porra e foda.
No banho fiquei pensando como era uma mulher de sorte e como é bom aprontar com o consentimento do marido, você volta para casa sem peso na cabeça, e ainda pode realizar suas melhores e devassas fantasias.
Para mulheres que tem a vida parecida com a minha, ou tem dúvidas e querem se soltar entre em contato, mas somente mulheres, homens nem percam tempo que não responderei, quem procurq macho sou eu, não adianta vir atrás, [email protected] Com

Disk Sexo

One thought on “Puta na praia

  1. Procuro mulheres casadas ou solteiras que gostem de uma boa putaria pois sou muito safado e quero chupar uma buceta e deixar o grelo inchado de tanto chupar, se aguentar eu chupo por horas , e quero dar a você mulher vários orgasmos múltiplos, e se quiser posso comer seu marido também. Meu WhatsApp 21966808088

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *