Priminho super dotado metendo gostoso

Oi gente, meu nome é Clara, tenho 23 anos. Nas férias de julho de 2016, eu fui para a casa dos meus avós no interior de Minas Gerais. Meu primo, Danilo, que tem 18 anos, já estava lá. Depois de passar alguns dias com nossos avós, ele iria voltar pra casa e eu ficaria lá. No dia que cheguei, minha tia ligou dizendo para Danilo ficar lá e me fazer companhia até que as férias acabassem.
No dia seguinte, durante a tarde, já estava entediada de tanto assistir tv e fui no quarto do Danilo. Quando entrei, tomei um susto: ele estava dormindo com um short muito curto, deixando seu pau para fora. SEU PAU ERA GIGANTE… mole já era maior do que o pau do meu ex duro. E olha que ainda era inverno. Fiquei um pouco nervosa e sai. Durante o resto do dia não consegui parar de pensar no pau do meu primo. Mas isso era errado… afinal de contas ele é meu primo! Eu não podia simplesmente dar em cima dele.
No dia seguinte eu acordei pensando nele. Já não estava mais conseguindo me segurar. Meu desejo de sentir aquele pau dentro de mim era muito grande, mas ao mesmo tempo não tinha coragem de transar com meu primo.
Mais tarde sai do banho e esqueci a porta do meu quarto aberta. Comecei a acariciar minha buceta… meus gemidos, ainda tímidos, atraíram meu primo. Fiquei de costas para a porta, fingindo que não sabia que ele estava lá. Eu estava deitada na cama nua, me masturbando, pensando no pau dele, mas ele não veio… Deve ter ficado nervoso o coitado. Mas eu não desistiria. Já de noite, vesti rápido meu pijama, sem calcinha nem sutiã. Ele estava assistindo televisão. Me sentei ao seu lado. Primeiro, levantei minha calça para realçar as curvas da minha bunda. Fui até a frente da tv, empinei minha bunda na altura de seu rosto e disse “você não acha esse programa chato?”
Ele riu e disse “Não”. Comecei a mover minha bunda de um lado para o outro, e, olhando por cima do meu ombro, percebi que ele não tirava os olhos da minha bunda. Voltei e me sentei de novo. Depois de alguns minutos, resolvi abaixar um pouco minha calça, deixando um pouco da minha bunda de fora. Me levantei e fui de novo em direção à tv, fiquei alguns instantes parada. Ele não reclamava por eu estar na frente da tv… Eu ri por dentro, ele estava caindo direitinho. Me deitei ao seu lado e virei minha bunda em sua direção. Ele me olhava disfarçadamente. Aos poucos, comecei a acariciar minha bunda. Me levantei e bocejei forçadamente: “Primo, fica comigo um pouco, está frio… você poderia ler o livro que eu estou lendo pra mim.” E disse que sim e, ao se levantar, reparei o mastro dentro de sua calça… ele estava duro e eu estava louca pra experimentar o gosto daquele caralho de cavalo do meu primo.
Quando chegamos no meu quarto, ele se deitou na beirada da minha cama e começou a ler para mim. Eu só pensava naquela pica grossa e dura… Depois de um tempo fingi que estava dormindo. Ia esperar meu primo agir… e ele agiu. Se deitou atrás de mim e começou a passar a mão delicadamente na minha barriga. Aos poucos subiu para os meus seios, apertou meus mamilos… eu tinha que me segurar, não podia deixar ele saber que estava acordada. Ele começou a esfregar seu pau na minha bunda e desceu sua mão para minha bucetinha. Ele acariciava minha buceta e esmagava minha bunda com seu pau. Aos poucos ele tirou minha calça e me virou. Começou a lamber minha bucetinha e a apertar meus seios. Eu não podia gemer alto, já estava ofegante. Depois ele me virou novamente, deixando minha bunda pra cima. Ele abriu minhas nádegas e começou a lamber meu cuzinho. Aiiiiiiiii… eu não podia gritar. Enquanto ele lambia meu cu, sua mão massageava minha bucetinha. Não consegui mais aguentar. Comecei a tremer e gozei. Não sei como não gritei. Àquela altura já estava apagando.
No dia seguinte, acordei muito bem humorada. Na mesa do café meus avós disseram que iam passar o dia na cidade e nós dois iríamos ficar sozinhos o dia inteiro. Ao escutar isso não disfarcei nem um pouco e olhei nos olhos de Danilo e mordi meus lábios.
Assim que meus avós saíram, fui no quarto de Danilo: “Eu sei o que você fez ontem”. Ele ficou paralisado. Me aproximei dele e agarrei o pau dele. “Ontem você colocou sua língua na minha bucetinha, hoje eu quero seu pau”. Abaixei a calça dele e comecei a chupar aquele pau gostoso. Eu estava sentindo ele ficar duro na minha boca. Ele se levantou me agarrou pelo pescoço e sussurrou no meu ouvido “Eu estava tentando me segurar, mas se é isso que você quer…” e tirou minha calça e me deu um tapa na bunda. Com aquele caralho quase duro, ele me colocou de joelhos, e com uma mão puxando meu cabelo e com a outra empurrando minha cabeça, começou a meter forte na minha boca. Eu tentava freia-lo, mas ele era mais forte do que eu. Ele metia bem fundo na minha garganta, me fazendo engasgar muito. Meus olhos se encheram de lágrimas, foi quando ele começou a meter mais forte. Eu não conseguia respirar. O pau dele ficava cada vez mais duro e penetrava cada vez mais fundo na minha garganta. Ele deitou na cama e me puxou, me colocando em 69. Enquanto ele chupava minha buceta, ele segurava minha cabeça e penetrava seu mastro na minha garganta como se fosse uma buceta. Depois, ele me deitou por baixo dele e, levantando minhas pernas na altura da minha cabeça, começou a pressionar a cabeça do seu pau gigantesco na minha buceta. Era muito grande e estava me machucando um pouco. Quando a cabeça entrou eu gritei muito alto. Eu mordi sua boca e disse ” Mete em mim seu cavalo! Acaba com minha bucetinha!”. Seu pau não parava de entrar em mim. Parecia que ele não acabava. Estava ficando difícil de respirar. Eu tremia muito. A cada estocada daquele pau, eu sentia a parede do meu útero sendo agredida. Ele metia sem dó. E eu gritava sem parar. Não era só o pau dele que era gigante, eu era pequena e apertadinha. Ele começou a me enforcar. Aaaahh…Aaaaaaaahh…Aaaaaaaaahh. Eu gozei muito, nunca havia tido um orgasmo tão grande. Ele me virou e me colocou de quatro e, segurando na minha cintura, continuou me agredindo com aquele mastro. Me deu um tapa muito forte na bunda. “Bate mais forte na minha bunda”. Isso parecia provocar ele. Ele começou a bater muito forte, deixando minha bunda vermelha. Depois, abriu minha bunda e pressionou um dedo no meu cu. “Aí não”. Ele riu, se levantou e, me puxando pelo cabelo, enfiou aquele mastro na minha boca, de novo. Ele gostava de me fazer engasgar com seu pau na minha garganta, ele até começou a segurar minha cabeça quando seu pau estava me sufocando. Por mais que eu engolisse seu pau, eu não chegava nem na metade dele… Quando seu pau estava na minha garganta, ele gemeu muito alto. Danilo tinha o pau de um cavalo, e gozou como tal. Ele gozou litros dentro da minha boca. O que eu não consegui engolir, escorreu pelos cantos da minha boca, caindo nos meus peitos.
Eu estava acabada, minha bucetinha nunca mais seria a mesma depois de ter sido violentada por um cavalo. Danilo se aproximou e sussurrou no meu ouvido “Tome um banho Clarinha, até o final das férias eu vou foder sua bucetinha todos os dias…”. Ainda faltavam duas semanas para o fim das férias…

Sexo Por Telefone
Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *