Comendo minha tia lésbica e a namorada dela no motel

Olá, meu nome é Wagner. Essa história é real e aconteceu na véspera do feriado de 1 de Maio de 2008. Eu já postei aqui quando comecei a comer minha tia lésbica. Aqui eu já vinha comendo a minha tia Eliana e a namorada dela a Ângela. Foi no dia 30 de abril, estava no escritório da minha tia e já estava tarde, era mais de 22 hs. Era último dia de entregar imposto de renda e eu fiquei junto dela. Nisso chegou a Ângela e ficamos os três lá. Eu já comia minha tia no escritório de sexta feira. Toda sexta eu traçava ela em cima das mesas e cadeiras. Ângela então que eu também vinha comendo, era sexo sem compromisso com as duas e elas não tinham ciúmes. Quando eu comia uma, na outra semana eu comia a outra e muitas vezes comia as duas juntas. Aquele dia eu ia comer as duas. Ângela mandou eu tirar a roupa e ficar só de cueca. Eu fiquei de cueca, era verde de cetim. Minha tia também ficou louca, as duas se esfregaram em mim, deixando eu de pau bem duro.
Ângela passou a mão dentro da cueca massageando as minhas bolas e depois o pau, me masturbando. Minha tia vamos sair daqui e vamos pra outro lugar. Peguei minha roupa pra vestir Ângela me segurou e falando não. Você vai descer pro carro só de cueca. Era dois andares até a rua aonde estava o carro dela. E mesmo assim o carro não estava em frente ao escritório. Tinha que andar uns 40 metros. Falei não vou sair de cueca na rua posso ser pego e aí já viu. Ela falou já é tarde da noite e não tem ninguém na rua, desce agora. Então descemos dois andares do prédio pela escada. Eu só de cueca e as duas vestidas. Saímos Ângela olhou a calçada e falou aí está deserto não tem ninguém. Vem, eu andei até o carro na rua com medo e chegamos ao carro. Sentei no banco da frente e minha tia atrás, Ângela dirigia o carro.

Sexo Por Telefone

No caminho ela passou a rua que entrava na casa da minha tia, eu falei aonde vamos? Ângela falou hoje vamos fazer diferente, disse não vamos pra casa da sua tia, vamos pro motel.
Eu disse mais só estou de cueca no carro, ela falou ótimo já vai entrar preparado. Na porta do motel quando ela pediu um quarto a atendente ficou olhando no carro. Ângela acendeu a lâmpada de dentro do carro e falou ele já está preparado pra me fuder. Eu com vergonha, minha tia no banco de trás veio pra frente passando a mão no meu peito disse, e vai me fuder também.
Atendente ficou olhando e Ângela pegou a chave disse obrigado, agora ele vai nos fuder a noite toda. Desci do carro que nem doido. O pau estava Durão. Entramos no quarto tirando a roupa das duas. Beijando elas é elas passando a mão no meu pau. Comecei a tirar a roupa das duas até ficarem peladas e então comecei a fuder a Ângela, deitei ela na cama e fui enviando o pau na buceta dela. Fui empurrando tudo. 25 cm de Rola, entrava tudo até as bolas. Ângela pedia para enfiar mais. Minha tia passando a mão nas minhas costas e falava no meu ouvido, soca, soca tudo nela. Vai come ela, come essa puta. Arromba ela. Fizemos sexo que nem loucos. Terminei com Ângela e a Eliana já queria pau também, eu ia enfiando na buceta dela tudo e agora Ângela que gritava soca, come essa galinha. Ela gosta da sua rola. Eu comia as duas que nem doido. Fizemos sexo até na banheira. Depois minha tia Eliana falou, agora que estamos no motel você vai comer o cu da Ângela. Eu deixei o pau bem duro coloquei a Ângela de quatro na cama, minha tia ficou de frente pra ela é disse, Meu sobrinho vai te fuder, vai socar no seu cu e você vai aguentar.

Eu coloquei a cabeça da rola, abrindo o cu da Ângela, fui empurrando devagar, foi quando minha tia falou porra Wagner soca o pau no cu dela. Não tenha pena. Com as mãos ela abriu a bunda da Ângela, e falou vai soca, soca tudo, arromba, estoura esse cuzinho. Eu ia empurrando, cada movimento de sair e entrar o meu pau ia entrando mais. Ângela começou a gritar, puta que pariu, assim não, vai devagar caralho. Eu ia empurrando, ela começou a chorar então falei vou parar. Minha tia falou não. Não para ela aguenta. Vai come essa cadela. Eu ia enfiando o pau cada vez mais. Ângela chorava e gritava aí caralho, o meu cu, meu cu, aí, aí, aí. E eu socando cada vez mais. Até que entrou tudo, 25 cm de pau. Minha tia disse vai soca nela, essa égua aguenta. Soca rápido agora, então eu enviava com tudo, as bolas batia na porta do cu da Ângela. Fazia, pof, pof, pof, eu enrrabava sem do. Ângela só gritava aí, aí, aí, caralho, porrra, meu cu. Você está estourando. Minha

tia falava aguenta, você gosta. Gozei que nem doido. Depois é lógico peguei a minha tia Eliana também de quatro. Ângela falou agora é a sua vez de aguentar. Comecei a socar a rola no vizinho da minha tia. Eu ia empurrando meu pau. Minha tinha já começou a gritar, aí meu cu filha da puta. Vai devagar, a Ângela vai devagar nada, soca rápido abre ela como você me abriu. Soquei tudo, até as bolas, enfiava sem dó. Eliana gemia, gritava, Ângela também falava não para, não para. Termina de socar tudo. Então falei porra vou gozar. Ângela doida falou goza na cara de nós duas. Fui ao delírio. Tirei o pau e a camisinha, coloquei as duas com a cara colada uma na outra, fiquei me masturbando. Olhei pra duas e falei vocês vão

ganhar leitinho quente na boca vadiad. Abre a boca, as duas e falei vou gozar, vou gozar, lá vai leitinho. Pura net da gozei forte na boca e na cara das duas. Dei um banho de porra. Escorria na cara das duas, na boca minha tia cuspiu, caindo pelo queixo. Eu peguei a cabeça do meu pau passei no queixo dela pegando o gozo que escorria na cara e enfiei na boca dela. Engoli tia minha porra, engoli cospe não. Ela engoliu. Quando terminamos tudo, na saída do motel minha tia falou pra Ângela. Se você fazer ele sair de novo de cueca na rua ele vai arrombar nosso cu de novo. Ok.

Não passou muito tempo foi minha tia que toda sexta feira pedia pra eu dormir na casa dela e ficar só de cueca no escritório. Eu comia ela dentro do escritório, no corredor e nas escadas. Ela também fazia eu sair de cueca na rua. Entrava no carro e quando chegava na casa dela e fudia minha tia na garagem em cima do capô do carro. E apenas uma vez acabei fudendo ela na calçada da casa. Fazia isso quase todo fim de semana. Acabei ganhando umas calcinhas delas que tenho até hoje guardado. Isso já faz uns oito anos, hoje não trabalho mais com ela, de vez enquanto a gente se ver. Mais aqueles 5 anos que trabalhei com ela não vou esquecer. Fudia minha tia que é lésbica e a namorada dela como eu quis é elas quiseram.

Disk Sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *