Cdzinha raquel

Uma vez num ano em que eu estava de férias na escola tive o convite de uma tia,de estar uns dias em casa dela mas também devido ao seu trabalho e do marido dela,eu ficar a substitui-los nuns afazeres:levar bebida e fazer comida a um senhor que ia arranjar e trabalhar numa quinta deles.Ora eu sou moreninho de olhos esticados como os indios do brasil e tinha um cabelo muito longo e encaracolado,meio ondulado e acho que uma carinha de menina(uma vez assobiaram-me e diziam “coisas” quando andei junto a uma obra,tava a ir à escola e baixei a cabeça,tinha entendido que eu aos olhos deles era uma mulher e tive vergonha e medo!!!Mas naquelas férias tinha de muito cedo tar lá ou então até dormir lá.O homem começava cedo mesmo,às 6 da manhã tava lá e eu fazia-lhe café.Mas com aquela coisa de curiosidade e idade nova às

vezes via como ficava vestido de mulher.Tinha muitas coisas naqueles armários e quartos e andava na casa com sandálias de salto alto transbarentes como uma butinha e usava quase só fio dental e até verniz rosa ou vermelho nas unhas,menos as das mãos,assim escondia quando tava “normal” e sozinho andava e via como era sexy as unhas assim e usar sandálias estilo tamancos ou aquelas que já disse.Ia usando objectos que achava semelhantes a um caralho e treinava o buraquinho do meu cú neles…até uma vez da janela acroquei me em cima dos tacões sentando o rabo numa cenoura enorme que vinha no cesto das coisas que me deixavam,e fiquei a ver o homem que tava a cortar com uma foice mato,todo suado,tinha alguns cabelos nos braços,barriguinha de cerveja mas sem ser grande e alto,forte mesmo,mas aquele jeito de lavrador com barba curta todos os dias mas forte,e a camisa quase aberta.Era de dizer bom dia e meter conversa mas

normal.Imaginei como seria ele se vir em mim,como era a verga dele,e queria enquanto montava a cenoura que fosse ele a comer o meu cú,vestido como uma mulher daquela maneira…mas claro,só na imaginação e escondido.Esse foi o homem que me tirou a virgindade,doeu muito,correu muito sangue e chorei.Mas não vou contar esse dia,vou contar um outro,dois dias antes tinha acontecido ter dado o rabinho a ele lá na mata e fui evitando voltar a falar com confiança com ele mas quando fui lhe levar uma cestinha com vinho e comidas leves ele foi mijar,mas não escondeu o mangalho dele da minha frente e deixou fora das calças com o cinto solto aquela verga a balançar à minha vista:então raquelinha?!-ele chamava me de raquel quando távamos os dois sozinhos-nunca mamaste na rola dum homem?anda!não faz mal nenhum,ninguém tá aqui,nem vai saber-e já tava a chegar a mim agarrando os meus cabelos e assim fui abrindo a boca naquele mastro,mamei tanto ele…já me doía os ossos da cara de tantos minutos ali…-Já são 5 horas,já acabei o trabalho hoje,vamos a casa

grande,vou te comer lá.-e fui andando com ele,minha mãozinha levada na mão enorme dele e às vezes a outra dele analisando o meu rabo.Quando se sentou na cozinha nem sequer quiz comer,disse que é que eu gostava de fazer ou imaginava…e admiti que gostava de me vestir feminino,e ele gostou da idéia.Demais.Dali em diante naquelez dias que ia ter com ele,tinha de ter ao menos fio dental debaixo do que usasse.Mas quando voltei à cozinha de vestidinho curto mesmo,e sandálias,etc.,o caralho dele ficou logo todo teso e e ele veio logo a mim e levou me a um quarto com uma cama alta.Ele não me deixou de costas viradas e fodeu meu cu a olhar nos meus olhos,meus tornozelos nos ombros dele…eu gemia tanto…lavava me menos o cú,há 2 dias,ele tinha dito que queria que eu tivesse o cheiro do dono,mas acho que isso excitava ele,marcar o meu rabo dentro com o leite de macho dele.Habituei me tanto que até já conhecia as veias do

mangalho dele a limar as arestas do meu cú…inacreditável tar a deixar um homem foder o meu cú assim…e notava começar a ter um andar novo mas bom no fundo,derivado ao tesão dele me trabalhar sem dò e ele todo sacana ficava cheio de orgulho,e falava nisso…e eu caminhava na mesma e sorria a ele…isso deixava ele louco e doido de tesão…mandava me logo ganhar na boca até engolir o sémen da verga dele e em seguida tava a chamar me de buta e maricas e viado e adorava comer o meu cú .Nunca mais o vi desde que voltei noutras férias,mas aquela mata da quinta e a casa viram coisas que ele me fez…ai tantas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *