Minha Primeira Vez fazendo anal foi em uma suruba

O conto que passo a relatar aconteceu quando eu já tinha 23 anos, me chamo Amanda,(nome fictício) sou loira natural de origem italiana, sou bem alta considerando os padrões, com 1,78m, 80 kilos, olhos verdes e cabelos um pouco abaixo dos ombros, e a maioria dos rapazes apesar de me acharem atraente até tem certo receio de aproximar-se de mim devido a minha estatura, alta e um corpo proporcional a minha altura, apesar de eu ser bem feminina.

Não sou nenhuma menina toda recatada, perdi minha virgindade aos 14 anos com um namoradinho do segundo grau, mais por pressão das colegas mais ou menos da mesma idade que eu e que já não eram virgem e viviam tirando sarro de mim, então por esse motivo acabei me entregando ao meu antigo namoradinho, coisa de colégio que durou apenas o tempo em que estudávamos juntos, e depois veio outros namorados com os quais transei também, eu gostava de sexo, mas sempre fui instruída nessa matéria e muito cuidadosa pra não engravidar, eu andava com anticoncepcionais na bolsa já aos meus 16 anos.

E na época do fato aqui narrado eu estava sem namorado, trabalhava numa empresa de telemarketing, onde havia tantos funcionários que a gente nem conhecia todos, mas ao lado da minha mesa trabalhava um rapaz bem atraente chamado Roberto, gente fina, pelo qual me encantei, o único problema é que ele á tinha namorada só que eu notei que ele também olhava para mim de uma maneira interessada com um olhar guloso, como quem dizia que também me desejava, durante nossos intervalos pra descanso, pra lanche ou almoço, era que a gente tinha chance de conversar um pouco, confesso que meu tesão por ele foi crescendo, até que num fim de semana haveria uma conferencia de atualização em tele-marketing para todos os funcionários que quisessem participar, e esse evento seria num hotel fazenda bem próximo da nossa cidade.

Interessada falei pro Roberto que eu estava pensando em me inscrever, aproveitei e perguntei se ele também iria participar, quando ele respondeu que sim percebi que o caminho estava se abrindo pra mim, percebi que esta era uma boa oportunidade para aproveitar e saciar o meu tesão por ele, e claro que me inscrevi imediatamente, foram longas duas semanas de ansiedade até que chegou a tão esperada data da conferencia, fomos para o hotel na sexta-feira a noite, chegando lá cada um recebeu um folder com a programação do fim de semana, eu fiquei num quarto com uma colega ao passo que ele com outros rapazes, claro havia separação por sexo, e quando fui dormir na sexta feira adormeci pensando nele, e o horizonte que eu vislumbrava.

No sábado logo cedo tomamos o café e nos dirigimos ao salão da conferencia tornei a dar uma olhada na programação das atividades notei que havia certos intervalos bem longos entre uma atividade e outra, devido a eu e o Roberto trabalharmos em mesas próximas foi natural que ficássemos bem próximos no auditório, e eu procurava sempre estar próxima a ele que apesar de ter apenas 22 anos era uma pessoa agradavel de se conversar, e assim se passou o sábado inteiro e as atividades findariam no domingo na hora do almoço, eu resolvi que se eu quisesse algo com ele eu que teria que tomar a atitude mais ousada para não perder aquela oportunidade, talvez unica.
Então quando todos se dirigiam para o auditório, quando a gente assinava a lista de presença, segurei o Roberto pelo braço e falei, vamos sair daqui, ele não entendeu nada peguei na mão dele e levei-o para o meu quarto, chegando lá disse-lhe aqui a brincadeira fica mais interessante, ele perguntou que tipo de brincadeira faremos, no que eu respondi, “Estou doida para transar contigo”, ele nem falou nada foi logo tirando a minha blusa e a mamar em meus peitos, ora noutro, mordiscando e lambendo meus mamilos. Eu fiquei maluca de tesão, “me deixa eu te chupar”, ele imediatamente baixou a bermuda, deixando a mostra aquela pica dura ali na minha frente, eu abaixei-me e comecei a mamar bem devagar, às vezes tirava da
boca e passava a língua em volta da cabeça do pau dele, para depois meter novamente na boca e voltar a mamar, a minha cabeça ia e vinha num movimento muito bom, aumentando o ritmo aos poucos, até que o Roberto não aguentou e disse, “tira o resto da roupa”. obedeci, apoiei as minhas mãos na borda da cama e ele veio por trás de mim agarrou na minha cintura e enfiou o pau lentamente na minha xana,… eu soltava gemidos baixinhos, delirando de tesão.

De repente nós dois ali naquela posição a porta se abre, para nossa surpresa apareceram a Maria, a minha colega de quarto com o Gustavo outros dois colega da nossa turma, ao ve-los tentamos nos recompor mas ela falou-me, continua o que estava fazendo, vamos fazer igual, e pra nossa segunda surpresa ela começou a tirar a roupa toda e mandou que o Gustavo e o Renato, também tirasse.

A essa altura, o Roberto já tinha voltado ao trabalho bombando forte sua pica na mina xota, eu nunca havia vivido algo parecido mas estava adorando, enquanto eu fodia com o Roberto admirava com tesão a cena que eu estava presenciando. A Maria é muito bonita, com cabelos bem pretos e curtos, era mais baixa que eu devia ter uns 1,65m de altura, e uma bundinha perfeita redondinha que dava até inveja, enquanto o Roberto me fodia fiquei mais impressionada quando o Gustavo se despiu, eu não acreditava no que via, ele tinha um cacete enorme, grande e grosso, do qual eu só havi visto antes em filmes pornôs,
A Maria tratou de abocanhar aquele cacete o máximo que ela podia, querendo colocar tudo aquilo na boca não conseguia, mas prosseguia lambendo e chupando a cabeça o quanto podia, e o Renato ia pincelando a pica dele na bunda da Maria nisto o Roberto
tirou o pau da minha xota e disse, “Chupa a minha pica Fernanda,”, “Chupa pra sentir o teu gostinho, referindo-se aos meus liquidos”, e eu sem pudores fazia o maior boquete, e olhava ao mesmo tempo para a mamada da Maria no Gustavo me dava mais água na boca ainda, ao ver o tamanho descomunal que mal cabia na boca, fiquei imaginando como seria um pau daquele dentro da buceta, de repente a Maria parou de mamar deitou-se na outra cama de solteiro que havia no quarto puxou o Gustavo pra cima ela e disse, vem amor, me fode gostoso, e ele imediatamente posicionou o caralho dela e socou forte, a Maria deu um gritinho de prazer e começou a rebolar.

Meu parceiro vendo aquela cena me posicionou também para me foder da mesma forma, estava muito gostoso eles fodendo ao lado dois casais no mesmo quarto parecia que deixava ainda mais excitante a situação, estávamos os dois casais fodendo gostoso quando a maria me surpreendeu dizendo ao parceiro dela assim… “Gustavo agora quero que voce me foda atrás”, e virou seu lindo cu para o Gustavo, ela fez como eu já
tinha feito, ajoelhou-se na borda da cama com a bunda pra cima, e deitada de bruços chamou o o Gustavo que veio por trás deu uma cuspida no cu da Maria e devagarinho foi socando o pau dele pra dentro sem muita pressa, a Maria rebolava, enquanto eu chupava o pau do Roberto, enquanto o Gustavo ia espetando aquela vara enorme no cu dela, que gemendo e dizia que bom, oh!!! e outros gemidos sem nexo, ele foi enfiando o caralho devagar, até que desapareceu dentro do cu dela. A puta da Maria não tinha conseguido engolir o pau do Gustavo pela boca mas ela engoliu ele todo com o cu, fiquei só imaginando como ela conseguia aquela proeza, ele num vaivém, tirava quase tudo e metia bem fundo de novo e a Puta da Maria quase gritando implorava, “mais forte, mais forte!”. enquanto eu e o Roberto metíamos numa comportada situação de papai e mamãe,

O Roberto vendo aquela cena me disse para ficar de 4, e eu obedeci, até que senti a ponta do pau dele forçando a entrada do meu cuzinho e eu disse, “no cu não!”, e ele disse, “mas eu quero o teu cu.”, Eu respondi, “no cu nunca fiz e não vou fazer, nunca dei o meu cu.”, ‘Está bem”, disse ele. Então ele enfiou com raiva o pau na minha xota, comendo-me e olhando para o casal. Depois de algum tempo acho que o Renato gozou porque tirou o pau do cu da Maria e foi até o banheiro, ela exausta descansava na mesma posição com o cu virado para o lado que a gente estava, proporcionando uma vista tentadora para o Roberto, que estava a olhar e não perdeu tempo, tirou o pau da minha xota que não quiz dar o rabo pra ele, e sem falar nada enfiou no rabo da Maria que estava ali se oferecendo, a partir desse momento virou uma suruba porque ela não reagiu, nem reclamou por ser outro homem, parecia que estava adorando ser fodida pelo meu homem.
O Gustavo que nesse momento tinha retornado do banheiro veio pro meu lado me deu um beijo na boca, me empurrou pra cama veio por cima de mim se apossou de mim como dizendo se seu homem tá comendo minha mulher eu vou comer a mulher dele, na verdade eu estava tão excitada que nem esbocei reação nenhuma deixei rolar, qundo ele começou a me penetrar foi que senti o tamanho da vara dele, enorme eu jamais tinha transado com alguem com esses atributos, quando ele socou aquea vara toda dentro de mim tive que forçar o corpo dela pra fora porque senti muito dsconforto, mas logo me acostumei com o tamanho, eu fodia com o Gustavo enquanto o Roberto estava comendo o cu da Maria. que dizia “Porra Foda-me! me fode com força !”, e ele enfiava com toda vontade .

Eu fiquei ali em sentindo diminuída apesar de estar fodendo com o Gustavo, quando ele terminou vendo aquela cena e com certa inveja daquela puta, que estava possuindo os dois paus, decidi que aquilo não ia ficar assim pensei comigo se essa puta consegue eu também consigo, me coloquei de quatro chamei o Roberto e disse “Pode comer se é o que voce deseja, pode foder-me no cu que ainda é virgem.” “mas vá devagar e com calma!” disse eu. Ele foi colocando lentamente, primeiro a cabeça, eu sentia cada
centímetro daquele caralho invadindo o meu cuzinho virgem, forçando a entrada. Sentia muita dor e gemia baixinho, eu fiquei pensando como era que a Maria aguentava levar no cu com tanta facilidade o pau do Gustavo que era bem maior do que o pau do Roberto que estava a me possuir, eu estava até meio tonta, e algumas lágrimas escorriam dos meus olhos, mas depois de algumas estocadas o Roberto tinha socado todo seu pau na minha bunda eu até comecei a sentir prazer naquela situação, o meu rabo tinha sido inaugurado mesmo com a dor. Eu estava doidinha sentindo os golpes daquela pica dentro do meu cu, ele enfiava sem piedade, com movimentos vigorosos, indo até o fundo, eu sentia as suas bolas batendo e roçando minhas nádegas, eu fazia um esforço grande para aguentar mas a verdade é que eu estava gostando e sentindo um prazer indescritível.

Eu gemia loucamente por causa daquele pau delicioso, quando então o Gustavo veio e disse Roberto vamos trocar, Renato”. quero comer o cu da Fernanda também, adoro um cuzinho quase virgem, Então o Roberto tirou o pau do meu cu e foi comer o cu da Maria novamente. o Gustavo disse-me “Agora vais ver, o que é uma pica de verdade no cu!”, e começou a enfiar o pau no meu rabo. primeiro bem devagar, aue ´passaram a ficar mais rápidos num entra e sai alucinante, o pau dele já deslizava mais facilmente porque o meu rabo já tinha sido alargado pelo caralho do Roberto. ao mesmo tempo que eu via o Roberto e a Maria fodendo dava para ver a felicidade estampada na cara dela, parecia até uma ninfomaníaca, até que de repente ele tirou o pau do rabo dela e jorrou uma golfada de porra em cima do cu e das costas dela.

O Gustavo continuava fodendo o meu cu e passados nem dois minutos depois do ele tirou a piça do meu cu e esporrou em cima de mim também. depois disso descansamos um pouco, nos lavamos e vestimos as roupas para nos juntar-nos aos outros, ao final da tarde encerrou-se as atividades e fui embora para casa com a bunda ardendo mas com a sensação do dever cumprido,aproveitem muito bem o fim-de-semana, transei com o cara que eu queria, apesar dele ter voltado pra namorada me saciei pelo menos por um fim de semana, a Maria e o Gustavo estão namorando, que inveja tenho da Maria em ter aquele monumento a sua disposição.

3 thoughts on “Minha Primeira Vez fazendo anal foi em uma suruba

  1. Nossa tenho 1.88 de altura sei como é comer uma mulher alta.
    Que delícia melhor coisa é quando a mulher quer dar o cu, a gente come com mais vontade, você foi corajosa segurou os 2.
    Adorei o convite conto eles devem ter ficado muito felizes até pq duas mulheres com a disposição de vocês não se acha com facilidade.
    Se eu tivesse no lugar deles ia jogar o leite todo dentro do seu até pq era virgem.
    Mais apertado!!!!

    Adorei… Piroca não desce por nada.

  2. Perfil dominador, bonito, alto, magro atlético disponivel á amizades com pessoas do sexo oposto, educadas e de bom caráter.
    Sou Dominador, procuro uma daminha para ser meu brinquedo sexual, dispenso curiosas.
    Não procuro gays, pessoas desesperadas por sexo e mulheres fáceis.
    Se encaixa no perfil que procuro mulheres quentes que gostam de sexo e com inclinação á submissão (esqueça o arquetipo ilusório, eu falo de D’s BDSM, não sabendo o que é isso por favor não contacte)
    Novamente Gays! não me interessam, respeitem-se!
    Dotado com 18cm, sobretudo fodedor mas me interessa a quimica e a amizade, não estou incluido no arquetipo comedor, nem sou “safadão” ou sarado, sou um cara com pegada, Dominador que gosta de boas amizades, não me interessa o desespero por sexo, gosto de qualidade e com mulheres de bom carater, tenho predileção em esporrar dentro portanto dispenso transas com desconhecidas, amizade e quimica com meninas novas é o que procuro, está em meu perfil amarrar, fazer de cadela, humilhação verbal, spanking e DD/lg.
    Mulheres famigeradas procurando um garoto brinquedo NÃO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *