Tia boa de boca

Bem, o que vou contar, mudou o minha vida (pra melhor). Eu tinha 16 anos e já não era virgem a alguns anos, mas mesmo assim eu ainda não era muito experiente no sexo, até que um dia, uma tia, irmã da minha mãe, foi nos visitar pela primeira vez.
Ela era a irmã mais nova da minha mãe, na época ela deveria ter uns 27 anos e já tinha uma bela carreira de puta, pois ela me disse que chupou uma piroca pela primeira vez, ela não tinha nem pelos na buceta.

Nos dois primeiros dias foi tudo bem normal, ela me tratava como uma tia trata um sobrinho, e embora eu ficasse olhada o quanto ela era gostosa, também não imaginava em passar dos olhares. Ela era um espetáculo de mulher 1,60 de altura cintura fina, barriga chapada, peitos grandes, coxas grossas e uma bunda linda bem durinha e empinada. É claro que eu, um moleque de 16 anos ficava doido, mas ela era a minha tia. Até que no terceiro dia, ela estava na cozinha conversando com a minha e eu passei pra tomar banho, só que a porta do banheiro havia dado cupim e o meu padrasto arrancou pra fazer uma limpeza e minha mãe colocou uma cortina no lugar da porta.
Em quanto eu estava no box, minha mãe entrou no banheiro pra pegar sei lá o que e deixou a cortina com uma fresta. Eu como de costume toquei uma punheta durante o meu banho em quanto eu me ensaboava e ao terminar o meu banho eu saí do box, pra me secar e não vi que havia ficado uma fresta na porta. Só que a minha tia putinha percebeu, e quis dar uma olhadinha. Eu estava com o meu pau mola mais ainda meia bomba, por causa da punheta que eu havia batido. Eu morria de vergonha do tamanho do meu pau, pois os meus primos me chamavam de jumentinho, porque a minha pica era bem maior do que a deles e por isso, eu ainda bobão, morria de vergonha. Mas a minha tia quando viu a minha pica… ficou doida!

Eu saí do banheiro ela me olhou com um sorrisinho, e de ironia falou… demorou no banheiro hem, o que vc tanto fazia? Eu fiquei vermelho e apenas disse que eu estava com muito calor e por isso demorei. Ela disse: sei…
Eu terminei de trocar de roupa e fui pra janela pra vê quando os meus amigos iam passar pra eu descer, e de repente a minha tia, para do meu lado e começa a puxar assunto. Ela disse: tá cheiroso hem, vai namorar?

Eu falei que não! E ela disse: mas vc tem namorada? Eu só balancei a cabeça que não. Ela então disse: vc quer pegar todas, né? Eu sorri e disse: quem me dera tia, mas não estou com essa bola toda, não! Ela disse: quem falou isso pra vc? Eu vi vc trocando de roupa pela fresta da cortina e pelo o que eu vi vc tem muita mais do que bola! Ela falou isso e deu uma gargalhada kkkkkkk. Eu fiquei muito sem graça, por causa da vergonha que eu tinha do meu pau e fiquei pensando que ela estava zombando de mim. Ela percebeu o meu constrangimento. E perguntou, o que foi? Eu contei pra ela do meu “problema” e o quanto me zoavam.

Ela então fez algo que me deixou louco… olhou pro lado pra vê se minha mãe estava na cozinha e colocou a mão na minha bermuda e ficou alisando o meu pau e falou… não seja bobo, vc tem o que todo homem gostaria de ter… uma piroca linda e capaz de satisfazer qualquer mulher, basta saber usar! A essa altura a minha pica já estava igual a uma rocha. Ela sussurrou no meu ouvido: a tia vai te ajudar! Ela pegou em minha mão e me levou para o quarto que a minha havia instalado ela. Trancou a porta e pediu pra eu sentar na cama, o que eu fiz na mesma hora.

Ela então, abriu a minha bermuda puxou até eu ficar só de cueca e começou a mordiscar o meu pau por cima da cueca e depois de uns minutos ela resolveu colocar a pica pra fora. Quando ela puxou a minha cueca que minha pica saltou pra fora, ela arregalou os olhos e disse, ela é enorme! Nessa época eu já estava com uma pira de 21cm bem grossa com veias em auto relevo e uma cabeça bem grande, mas era desproporcional ao corpo magrelo que eu tinha. Minha tia caiu de boca no meu pau e eu nem podia acreditar no que estava acontecendo. Aquela mulher maravilhosa estava de joelhos abocanhando o meu pau como uma leoa faminta. Ela chupava e punhetava a base do meu pau cuspia e deixava ele todo babado e fazia um vai e vem que me deixava louco. E aos poucos ela foi engolindo a minha piroca até que não sobrou nada

pra fora. Ela engolia tudo e ficava forçando até lhe faltar o ar. Eu já estava tomando pelo prazer daquele boquete, agarrava em seus cabelos e puxava ela pelos cabelos pra fuder a sua boca como se fosse uma bela buceta. De repente ela começou a gemer e tremer e disse que iria gozar… Sim! Ela gozou de tanto prazer que ela sentia em pagar um boquete. Ela ficou chapando mais rápido e depois de uns 15 minutos eu não aguentei mais e disse que iria gozar. E quando eu falei que iria gozar, eu achei que ela iria fazer como as meninas que já haviam me chupado e toda vez que eu dizia: vou gozar, elas tiravam a boca com nojo e as vezes faziam ânsia de vômito, mas a minha titia putinha, não! Quando eu falei, vou gozar… ela enrolou os cabelos bem rápido e acelerou o vai e vem no meu pau. De repente as veias ficaram ainda mais

cheias e pulsavam de um jeito que eu nunca havia sentido antes. Eu não aguentei mais e gozei, gozei com tanta intensidade que eu achei que iria desmaiar! Foi D+++ aquela sensação de prazer, os Jatos de porra saiam fortes um após outro até que ela não deu conta de engolir toda porra e começou a escorrer pala sua boca e sujando minha barriga e pelo meu pau, fazendo escorrer até meu saco. Ela continuou chupando até para de sair porra, quando eu achei que havia acabado ela continuou lambendo minha barriga, piroca e saco, até que eu ficasse limpinho de toda a porra que saiu! Sim, ela bebeu tudo e lambeu até os dedos! Eu nunca tinha vista ou sentindo nada parecido. Ela me fez virar homem!
Foram muitos dias de boquete, buceta e muito mais!
Mas depois eu conta como eu comi a bucetinha rosada e o seu cuzinho. Até o próximo conto. 😋😋😋😋

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *